domingo, 28 de julho de 2019

Beleza e dinheiro são tudo!


Agora que estou desempregado tenho saído mais e aproveitado mais o meu tempo ocioso. Obviamente que minha mente sempre está enebriada por conta dos elixires dos deuses (cervejas artesanais) que aumentam a minha percepção de mundo, ao ponto de eu me transformar praticamente em um filósofo grego. Quando eu fumo um cigarro de cereja o ciclo se completa e então a realidade observada de um beta B mais feio que cu cagando vira teorias e mais teorias de nossa sagrada Filosofia Diabística.

Pois bem, desde quinta eu tenho saído bastante sozinho, com alguns amigos e também com alguns brotos. Fui de lugares tranquilos à lugares badalados, de locais de diversão à locais de azaração. Em todos eles eu observei muito a dinâmica social, até porque além de um beta B eu sou um autista altamente observador que beira ao retardo mental. As quatro moedas de troca principais nesses ambientes são: em primeiro lugar a beleza, segundo a juventude, terceiro a demonstração de riqueza e quarto o destaque social.

Eu e meus amigos indo curtir a night

Caras bonitos e jovens, alfas e semialfas (chega dessa porra de "Chad"), fazem a festa com a mulherada, as melhores já são deles. Depois tem os que não são tão bonitos, mas são jovens, tem destaque social e demonstram riqueza nos locais, como por exemplo, em camarotes com bebidas caras, os quais se igualam aos anteriores e atraem muitas mulheres gatas. Depois disso vem todo o resto que brigam pela sobra, os quais são: os feios, os pobretões, os invisíveis socialmente e os velhos.

Agora imagine se além de feio, você é pobre, isolado e velho, você está condenado ao esquecimento e a ser duramente rejeitado. Se você é feio, mas pelo menos é jovem, tem algum destaque social e algum dinheiro, você ainda consegue algo. Agora se você é mais velho e não tem dinheiro, então esqueça amigo, você é visto como um cocô ambulante. Alguém sem dinheiro sempre será visto como um fracassado. Um homem mais velho só atrai uma fêmea jovem e não tão feia se ela ver nele algo que traz segurança, conforto, luxo e que irá fazê-la atingir seus objetivos. É uma especial de olhar paterno por parte delas mesmo. Ou seja, prepare muito bem o seu bolso. 


No entanto, saibam que aquele sexo de qualidade e com desejo sempre será dos alfas, é só vocês observarem a natureza. Para os outros sempre sobrará o resto. Para compensar isso é só se você tem um destaque social poderoso, ao ponto de ser praticamente um famoso ou se você tem muito dinheiro mesmo ao ponto de bancar um broto como uma verdadeira princesa, cheia de luxos. Notem que estou falando de mulheres jovens e de qualidade. Ou seja, se você beta quer uma mulher compatível com você, então esqueçam as novinhas, as lindas, as gostosas e as que são destaques sociais e profissionais. 

Se o betoso não quer sofrer tanto e quer uma companheira, então a procura deverá focar em mulheres "piores" que você, principalmente na questão financeira, e que entre as mulheres ela não se destaque, principalmente em questão de beleza. Além disso, se a beleza dela for muito superior a sua, então saiba que você terá que compensar isso com bastante dinheiro. A mesma coisa acontece se ela for muito mais jovem que você, já prepare para pagar as contas dela, a aula de inglês, o financiamento do carro, o aluguel e a faculdade.

Oi betinha, por que você não me quer? Por que fica chorando igual uma marica de as novinhas lindas não te olharem? 

Não adianta lutar contra a natureza, meus caros, todos gostam de coisas bonitas, jovens e de qualidade, tanto homens como mulheres. Eu tenho plena certeza que essa minha cara feia de bode velho já não atrai mais ninguém. Teria outra forma de eu ter acesso a mulheres capa de revistas se não fossem damlux? É claro que não! O que falta para o beta é se enxergar. Se você não atrai ninguém por ser feio e pobre, então não culpe o mundo por isso, escolha se desenvolver de forma diabística ou aceite o que vier. Amor não existe, você é importante pelo que tem a oferecer e não pelo que é, por isso a única solução para o beta é ter dinheiro.

Por fim, betosos, nunca esqueçam que se você quer coisas de qualidade na vida, em todos os sentidos, então saibam que isso custará caro. Quer comer lagosta em um restaurante top? Quer tomar whisky de qualidade? Quer dirigir um Mustang? Quer fazer viagens internacionais de qualidade?  Então se prepare, pois irá pagar caro e gastar muito dinheiro. Quer uma mulher jovem, linda e gostosa? Então se prepare, pois igualmente irá pagar caro por isso. Cada qual com sua barganha. Uma mulher feia, gorda, pobre e velha você não quer, não é, espertinho? Por que as lindas, novinhas e gostosas vão ter que querer um ser repugnante, betoso e sem nenhum atrativo como você então? Só a Filosofia Diabística e o dinheiro salvam. 


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Existe algo pior do que ser feio?


Como eu sempre destaco aqui no reduto, o dinheiro é o único capaz de salvar o beta, porém, em um momento de profunda reflexão, proporcionado pelas degustação de elixir dos deuses (cervejas artesanais), eu pensei: existe algo pior do que ser feio? Pensem comigo, dinheiro é algo que com esforço, inteligência e sorte você conquista, e a beleza? No meu caso, nem pagando milhões de reais em cirurgias plásticas tem como me deixar menos feio.

Na verdade eu não sou feio, eu sou horroroso, ridículo e tosco, como sempre digo, sou um beta B mais feio que cu cagando, que até o próprio Satanás quer longe. Não tenho dúvidas que possuo o super poder da invisibilidade social e o dom supremo de secar vaginas. Se você acha que vai me ofender me xingando, saiba que não vai conseguir, pois talvez você nunca tenha visto alguém tão escroto e ridículo como eu, alguém que causa ânsia de vômito em qualquer pessoa, acredite se quiser. 

Só quem é feio sabe como é ruim ser rejeitado em todos os lugares aonde vai. Seja na escola, faculdade, barzinho, balada, trabalho ou qualquer outro lugar, se você é feio você está condenado a ser ostracizado, a não poder ter acesso aos prazeres que qualquer pessoa comum tem. Percebam que a beleza é a sua porta de entrada, sendo assim, quem que gosta de ver coisas feias? Quando você vê uma mulher gorducha e feiosa, você morre de amores por ela? Se não, então por que você beta fica chorando de as gatas não olham para você?


É muito triste ser feio como um cu cagando, é triste ver alfas e semi-alfas tendo acesso a uma vida social e sexual de dar inveja, no entanto o que você está fazendo para mudar sua situação? Você acha que usar bombas falsificadas como o Roliço vai fazer você deixar de ser betoso? Acha que ficar trancado no quarto fedendo a sêmen, mentindo que é famoso no YouTube como o Passarinho, com um sonho iludido de ser empreendedor com um carrinho de hot dog vai te fazer mudar de vida? 

Como eu sempre digo, não culpe os outros, não culpe o mundo pelo seu fracasso. Todos querem coisas boas, todos querem coisas bonitas, todos querem coisas prazerosas. O que fazer então se você é um betoso escroto? A resposta é simples, você precisa cuidar minimamente de sua aparência para não parecer ainda mais horrendo, tipo emagrecendo e cuidando do seu visual, e, principalmente, ganhando dinheiro, pois só ele pode te dar poder, conforto, luxo e prazer. 

Enfim, existe ou não algo pior do que ser feio? Acredito que existe sim. Ser burro como o blogueiro conhecido como Picca Pau, ser iludido e extremista como o Roliço e ser pobre são coisas ruins demais. Obviamente que ainda existem as pessoas que nasceram na extrema pobreza ou com deficiências físicas terríveis, essas sim têm problemas sério que não se comparam aos seus. Eu sou feio, mas tenho boas condições financeiras e posso ter acesso a uma vida prazerosa. Como e bebo do bom e do melhor, moro bem, tenho um bom carro e transo com damlux deliciosas. O que posso querer mais sendo um beta B?

A grande questão não é você ser betoso, mas o que você está fazendo para se tornar atrativo.


Um abraço do Pobre-diabo! 

domingo, 21 de julho de 2019

Balada e mulher bonita não foram feitos para betosos


Tanto sexta como sábado eu saí com o objetivo de curtir a vida adoidadamente e para isso preparei o visual matador, composto por: calça bege, camisa branca slim, colete de couro, coturno urbano, relógio Tag, corrente de ouro e uma poderosa boina francesa (substituí a italiana, pois acho que a francesa te deixa mais sofisticado). Convidei dois amigos betosos pra curtirmos a night. Esses dois amigos são betas B e C, tão feios e escrotos quanto eu, mas obviamente eu ganho deles nesse quesito disparado, pois pareço um filhote de urubu de tão feio que sou. 

Na sexta fomos a um bar de bom nível social. Lá vi muitas mulheres lindas, as quais eu pediria em casamento ali mesmo (caso fosse um beta mangina). Não preciso nem dizer que éramos completamente invisíveis lá para as mulheres, não é? Mas pelo menos conversamos bastante, bebemos e rimos muito. Fizemos uma aposta de que se eu tomasse um toco da mais feia do bar eles pagariam a conta. Eu crente que venceria, pois sou horroroso e um secador nato de vaginas, fui xavecar uma feiosa que em sã consciência eu jamais xavecaria. Para minha surpresa, ela ficou toda animada, acredito que por causa do meu estilo fashion, e em menos de 1 minuto de conversa ela começou a me beijar. 

Confesso que fiquei com ânsia, pois ela era compatível com minha feiura e eu não estou acostumado com isso. Meus amigos riram muito e tiraram fotos inclusive, fazendo com que eu me arrependesse de ter feito isso. Dei uma desculpa para a moça e fui embora. Isso estragou a minha noite, ainda mais por eu estar acostumado com damlux maravilhosas, verdadeiras panicats. Até que fiquei com um pouco de pena da garota, pois era muito feia e sei como é chato ser rejeitado, mas pasmem, no tempo que fiquei lá vi outros caras tentando a xavecar, inclusive ela deu toco em alguns. 


Fiquei mal depois disso, imaginando como as mulheres lindas devem se sentir ao me beijar, devem sentir um nojo e uma vontade imensa de vomitar, mais do que eu senti. Betas têm que entender que se não são atrativos, não adianta ficar chorando que não têm o amorzinho de uma gata. Se você não tem barganha física e nem financeira, se contente ou em ficar com mulher feia ou ser solteiro para sempre. Por isso que sempre digo que a única saída para o beta é ter dinheiro, único capaz de lhe dar felicidade, paz, conforto, luxo e prazeres. Ou vai dizer que o único problema da sua vida é não ter uma magrela de 35kg no seu pé que te cobra atenção, presentes e faz infernos mentais? 

No sábado decidimos ir a uma balada. As humilhações não foram poucas. Contei 11 tocos que eu tomei, da menos feia até às horrorosas. Se acham que eu fiquei triste, pelo contrário, nem liguei, pois já é normal isso para mim, principalmente por ser um amplo conhecedor da Filosofia Diabística. O que acho mais ridículo sobre isso é quando betas dizem: "vamos para tal balada? Lá vai ter muita gostosa". Será que os imundos não percebem que são feios, pobres e ridículos? As mulheres querem caras legais e atrativos assim como vocês também querem mulheres assim. Então parem de chorar e com essas merdas de blackpill toscas. 

Enfim, como no meu caso eu adoro ter liberdade, tendo pavor de ser escravo como os casadinhos fedorentos, não ligo de ser rejeitado e não namorar uma beldade, pois não tenho barganha para isso, a não ser que eu pegasse uma para sustentar, coisa que eu não quero, pois amo muito meu dinheiro. Conseguem entender o porquê de eu amar tanto as damlux? Elas não me trazem problemas, são sincesas, lindas, gostosas, fazem um sexo maravilhoso, não reclamam das minhas bebidas e cigarros e quando termina a nossa noite de amor, simplesmente vou para casa e elas não me ligam, não pedem nada, não cobram nada, não enchem o saco e não reclamam. 


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 17 de julho de 2019

Uma nova vida diabística


Saudações, betosos. Hoje foi um dia diferente dos outros, acordei sem ressaca, pois não precisei beber para dormir essa noite. Olhei o sol batendo pela janela nessa manhã linda e levantei da cama. Ao me olhar no espelho do banheiro não vi mais aquele rosto cansado de sempre e aquelas olheiras de muitas noites mal dormidas. Isso não quer dizer que fiquei menos feio, afinal, eu sou um beta B mais feio que cu cagando, um filhote de urubu, uma verdadeira aberração da natureza, mas pelo menos estava com uma fisionomia mais agradável. Comecei então a refletir no que posso fazer para melhorar minha vida diabística. 

Como não tenho como mexer na minha cara horrorosa, a não ser que algum dia consiga fazer algum transplante de face, decidi que vou cuidar mais do meu físico, com boa dieta, ginástica e exercícios físicos. Quanto ao meu estilo, acredito que já está bem supimpa e tem chamado sempre a atenção dos brotos. Ao sair tenho andado de calça Jogger, suspensório, paletó suede bege, camisa listrada, coturno urbano, relógio Tag Heuer, corrente de ouro, pulseira de couro e, para lacrar, a poderosa boina italiana. Quando estiver em um estilo mais sport e descolado, estou pensando em começar a usar bandana.


Quanto às minhas finanças, posso dizer que estou muitíssimo confortável. No entanto, não vou exagerar nos gastos, afinal, estou desempregado. Já negociei meu carro e vou pegar um mais simples, obviamente que automático e que minimamente chame a atenção das garotas. Estou pensando ainda em algumas opções para investir melhor meu dinheiro, pois eu estou demasiadamente conservador (esse nome me dá nojo). Como sei que alguns falarão para eu empreender, já respondo de antemão que essa também pode ser uma opção, porém de forma planejada e inteligente e não de forma infantil como alguns iludidos e extremistas pregam aqui. 

Em relação ao meu estilo de vida, continuarei vivendo de forma diabística, porém sem excessos. Quero diminuir os cigarros, substituindo-os por cigarro eletrônico com essência de cereja. Quero parar com os destilados também, pois são pesados e têm feito mal para mim, vou continuar só com os elixires dos deuses (cervejas artesanais) mesmo, pois refrescam a minha alma, relaxam e me fazem feliz. E as damlux (damas da luxúria)? Ah, as damlux, as deusas do pecado, as sacerdotisas da promiscuidade, as rainhas da devassidão, as princesas da libertinagem, essas eu não posso abandonar, pois são donas do meu coração e fazem parte da minha vida diabística.


No começo foi bem difícil para mim ter sido despedido e mudar completamente minha rotina, porém depois dessas duas semanas posso dizer que já estou me acostumando. Ter vivido em um ritmo tão frenético por tanto tempo fez com que eu não conseguisse desacelerar e isso me custou muito estresse e depressão, embora tenha me concedido uma excelente condição de vida atualmente. Agora quero fazer algo novo, algo para marcar minha vida. Quem sabe fazer uma viagem poderosa? Ou um intercâmbio? Ou ainda uma tatuagem de âncora no braço? A única coisa que eu sei é que só a Filosofia Diabística salva!


Um abraço do Pobre-diabo! 

sábado, 13 de julho de 2019

O destino de um pobre-diabo desempregado


Um cão sarnento, feio, fedido e pulguento. É exatamente assim que estou me sentindo agora. Agora tenho todo o tempo do mundo, mas me sentindo um desocupado. Parece que estou jogando no lixo um enorme potencial que sei que eu tenho, devido à minha experiência de vida, bom currículo e vivência. Ficar em casa sem fazer nada, sabendo que você pode estar ganhando muito dinheiro, é realmente uma grande bosta. 

Agora que estou em casa em tempo integral vejo como é ruim se sentir um inútil sem valor e sem importância. Onde está todo aquele status? E as reuniões em que eu era uma pessoa importante? E os executivos que eu tinha contato no dia a dia? E todo aquele glamour? E os olhares de admiração e de desejo das estagiárias e secretarias gostosas? Nada! Nenhuma ligação; Nenhuma mensagem. Entre uma merda fedida na grama e eu, arrisco a dizer que a merda tem mais importância nesse mundo.

Tenho passado o dia todo bebendo, fumando, sem tomar banho e nos momentos sãos eu procuro alguma damlux. Acredito que isso é um estágio para me preparar para esse tipo de vida, afinal, sair de um ritmo frenético em que você é tão importante e do nada virar um desocupado fracassado e sem emprego como o Anti-PD não é para qualquer um. Quem sabe mais alguns dias eu vou me acostumando. Só não posso exagerar muito para não acabar morrendo precocemente.


Enfim, como chorar não leva ninguém a lugar algum, preciso decidir o que farei de minha vida e as opções são as seguintes:

1) Ficar alguns meses em casa curtindo uma vida tranquila de "férias", pois a grana investida e a bolada recebida me proporcionam isso - e com um bom conforto (elixir dos deuses + alta gastronomia + damlux);

2) Procurar um novo emprego logo para seguir com o ritmo que já estava acostumado, retomar contatos profissionais, voltar a ter um certo status, elevar a renda e me sentir útil;

3) Viajar para algum lugar diferente, com uma rotina e cultura completamente diferentes, a fim de mudar completamente minha visão de vida. Ou fazer um intercâmbio de alguns meses para algum país de primeiro mundo;

4) Parar de beber e fumar, praticar esportes, fazer algum hobby, me aproximar mais da família, ler bons livros, namorar várias garotas e cuidar mais da minha mente doentia;

5) Viver de forma idílica diabística por alguns meses, gastando um bom montante para isso. Viver com luxo e sofisticação, frequentar lugares de alto nível, comer e beber do bom e do melhor e degustar muitas damlux no estilo panicat, fazendo verdadeiras festas bilzerianística.


O que vocês fariam?


Um abraço do Pobre-diabo! 

domingo, 7 de julho de 2019

Qual é o sentido da vida?


Passei o sábado todo consumindo elixir dos deuses (cervejas artesanais) ao ponto de não saber mais o que era realidade ou sonho, pois passei o dia sob os efeitos inebriantes e transcendentais desse líquido divino, responsável pelo êxtase que tanto procuro para a minha vida. É claro que se por um lado essa poção mágica só traz bons sentimentos, pelo outro ela cobra o seu preço, qual seja essa terrível ressaca que estou tendo agora. O fato de acordar vomitado e mijado na garagem é um mero detalhe. 

Enfim, como todos sabem agora estou desempregado, porém com uma grande bolada de grana, capaz de me proporcionar muito tempo sem precisar trabalhar. Será que isso é bom? Por um lado é, pois você dá uma desacelerada na vida tão corrida, porém tenho medo de não aproveitar todo o meu potencial e desperdiçá-lo com coisas inúteis. Percebo que minha mente betística foi adestrada para trabalhar, se desenvolver e crescer, além de sentir-se útil e ocupada, como aqueles japoneses workaholics, que o trabalho é sua razão de viver e depois que se aposentam caem em depressão por não se sentirem úteis e acabam ceifando suas próprias vidas. Não quero ser um cara desses.

Preciso também trabalhar muito minha mente, saber curtir mais a vida, afinal, qual sentido ela tem? Se pensarem bem, todos passam sua vida trabalhando como escravos, economizando, abrindo mãos dos prazeres mais idílicos, casam, viram escravos da esposa gorda e dos filhos ranhentos, torram toda sua grana sustentando esses inúteis, para no final da vida estarem velhos, veios, com saúde debilitada, chatos e sozinhos. No final todo mundo esquece de você, que só foi útil para sustentar e dar uma vida boa para os outros, agora já não tem mais serventia alguma e será abandonado e descartado como um papel higiênico cheio de bosta jogado no lixo.

Nada melhor que ter um amor verdadeiro, não acham? 

Como eu já atingi um bom patamar financeiro e patrimonial eu posso afirmar aos senhores que eu quero começar a viver de verdade. De que vale ter muito dinheiro, mas estar com 50 anos, com a cara enrugada, pançudo, pau mole e fraco? Ou de que vale torrar tudo e ter uma vida idílica com 20 anos e chegar aos 50 vivendo como um mendigo por ter gastado tudo e não pensado no futuro? Qual seria o meio termo disso tudo? O que seria o certo a fazer? Posso afirmar para vocês que a Filosofia Diabística já me trouxe várias respostas sobre isso e o segredo de tudo está em nossa mente e como programá-la. 

A nossa mente é capaz de te levar para o sucesso ou completo fracasso. Os piores inimigos nossos são as ilusões e extremismos. Elas fazem betas torrar tudo com manginismos e matrixianismo. Se você escolhe se desenvolver de forma diabística, percebe que o que importa é sua estratégia de vida e o que busca para suprir unicamente seus prazeres e desejos próprios, sem nenhuma ilusão. Esqueça aquele amorzinho verdadeiro, pois ele não existe, procure a diabisticidade. Entenda que o que você tem é um afrodisíaco para qualquer coisa que almeja, portanto, procure ter muito dinheiro, pois só ele salva.

Ou se você não se importa com isso, então escolha viver como um frade ou um monge, com seu voto de castidade e de pobreza. No fundo, é a nossa mente a responsável pelo que você quer da sua vida. Se você faz uma auto reflexão sobre sua vida, suas capacidades e habilidades, você facilmente sabe aonde poderá chegar. Cabe a você aceitar isso ou não, ou se entregar à matrix, que sempre será uma ilusão e chave para o fracasso. Eu sei aonde posso chegar, pois a Filosofia Diabística é perfeita, e minha vida nunca será medíocre. Quero paz, conforto e prazeres. Quero uma vida idílica, quero uma vida bilzeriana, quero uma vida completamente diabística e vou correr atrás disso até aonde for!


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Um pobre-diabo desempregado


E o dia que eu esperava chegou e eu não imaginava que seria tão doído. Todo funcionário de alto escalão teme em ser mandado embora, por isso trabalha além do esperado e é viciado em bater metas. Eu sempre fui um desses, tanto que para mim era normal trabalhar de 2 até 5 horas além do normal. Mas, como o mercado só enxerga números, busca sempre reduzir custos e aumentar receitas, fui chamado pela diretoria para conversar.

O diretor começou elogiando o meu trabalho, falando de minha história na empresa etc. Nesse momento já comecei a tremer e meus olhos encheram de lágrimas, pois ninguém te elogia assim do nada, geralmente é para preparar o seu psicológico para a porrada que está por vir. Ele continuou falando que eu era pró-ativo, dedicado e inteligente, porém meu cérebro já não processava mais nada, até comecei a tontear, momento em que ouvi um bem sonoro "MAS"... "O mercado está difícil e há uma grande necessidade de reduzirmos custos, por isso precisamos te desligar. Não é pela sua competência, é por necessidade, é para que a empresa sobreviva!"

Nesse momento eu tentei me segurar com todas as forças, mas comecei a chorar, pois mesmo ouvindo vários burburinhos de que haveriam cortes, ainda não queria acreditar nisso. Ele se levantou, deu três tapinhas nas minhas costas e disse: "Diabo, você sabe que tem muita competência, tenho certeza que sairá daqui e vai para um lugar muito maior e melhor. Às vezes algumas coisas ruins vêm para nos preparar para voos ainda maiores". Como eu odeio discursos motivacionais quase que meti a mão na cara desse gordo, mas estava abalado. Eu e mais 6 rapazes do mesmo nível fomos desligados, mais vários empregados de menor escalão.


Hoje pela manhã eu encaixotei as minhas coisas e cumprimentei um por um da minha equipe, agradecendo o período em que trabalhamos juntos. Era nítido que todos eles faziam caras de que sentiriam a minha falta, mas no fundo estavam felizes de me ver tomando no cu. Depois passei pelo corredor e observei vários olhares sádicos e psicopatas de vários funcionários dando garganhada em seu interior por ver a desgraça alheia, ver alguém melhor que eles se fodendo. Enfim, mais um ciclo que se encerra em minha vida.

Passei no RH e financeiro e fui fazer os cálculos do que tenho direito, ou seja, aviso prévio indenizado, acerto, férias e FGTS. Confesso para vocês que a tristeza que eu estava se tornou alegria ao ver a grande bolada que eu tenho direito que será paga até o fim do mês. Para melhorar ainda mais e arrebentar a boca do balão, receberei alguns bônus de rendimento que eu não esperava. Supimpa! Chuchubeleza! Contando a grana que tenho investido e mais o que receberei posso dizer que estou tranquilo para ficar um bom tempo sem trabalhar. Se vendesse meu imóvel e meu carro então aí sim eu estaria nos céus e viveria de forma idílica a la Dan Bilzerian.

Enfim, meus camaradas, agora terei tempo livre para colocar a cabeça em dia, só não sei se vou me acostumar a ficar tanto tempo ocioso, pois foram muito anos em uma rotina louca, sem tempo para nada, sem descansar direito e pensando a todo momento no trabalho, como todos os workaholics. Não sei nem o que farei agora, pois estava acostumado à minha rotina de acordar às 6h e chegar depois das 20h em casa. Pelo menos terei bastante tempo para pensar o futuro da minha vida e planejar o que for melhor e mais diabístico. 

Será que vou passar o dia inteiro ocioso? Será que minha mente doentia irá melhorar? Será que vou passar o dia todo bebendo, agravando meu alcoolismo? Será que terei overdose? Você verá isso nos próximos capítulos!


Um abraço do Pobre-diabo!