quarta-feira, 29 de maio de 2019

Dinheiro, inteligência, beleza ou músculos?


Saudações, camaradas. Escrevi este post nessa madrugada, depois de um Cohiba e de tomar a quinta dose de whisky, momento em que um efeito sobrenatural tomou conta de meu corpo e o conhecimento dos deuses e dos maiores filósofos da humanidade se apoderou de minha mente doentia de um beta B mais feio que cu cagando. Como uma verdadeira mensagem divina psicografada vinda do além, comecei a escrever à la Chico Xavier (até coloquei a mão na testa como ele fazia). Enfim, por meio deste texto venho trazer valiosíssimos ensinamentos que mudarão a sua vida, pois aqui discutiremos as verdadeiras chaves para o sucesso. Afinal, o que você precisa ter para vencer na vida? Seria dinheiro? Inteligência? Esforço? Beleza? Social? Coragem? Músculos? Pelas barbas do profeta, o que você precisa ter para vencer?

Na verdade essa pergunta depende do que você considera “vencer na vida”. Para alguns seres fétidos e desprovidos de inteligência, vencer significa exibir um corpo inchado como uma linguiça e se exibir para mulheres burras e faveladas que pesam 35kg, indo em raves e beijando dezenas de mulheres feias, com doenças e resquícios de esmegma na boca. Para outros, vencer significa ter um carro que chama a atenção, mesmo parcelado em 72x, e fazer viagens para o nordeste e parcelar em 12x pela CVC. Outros, ainda, consideram que vencer é formar uma família com uma gorda, procriar com ela, fazendo filhotes horríveis e passar a vida trabalhando como um escravo, sem sobrar um puto no bolso, sem ter luxo ou prazer algum na vida.


Já para os diabistas, que são os seres humanos mais avançados em termos de inteligência e estratégia, “vencer na vida” significa ter uma vida de CONFORTO, LUXO, PAZ, PRAZERES, RESPEITO E TRANQUILIDADE. O que pode garantir tudo isso? O que pode te dar conforto (casa em bairro top e comidas da alta gastronomia)? O que pode te dar luxo (andar de BMW e frequentar a alta sociedade)? O que pode te dar paz (contas pagas, dinheiro sobrando e saúde)? O que pode te dar prazeres (transar com mulheres lindas e gostosas, capas de revista)? O que pode te dar respeito (as pessoas te olharem como um verdadeiro alfa poderoso)? O que pode te dar tranquilidade (não precisar trabalhar ou trabalhar pouco e ver a conta multiplicando)? Sim, o DINHEIRO em primeiro lugar, acompanhado da INTELIGÊNCIA, ESFORÇO e SOCIAL!

Obviamente que a maioria dos alfas financeiros só está na condição que estão porque herdaram a grana de seus pais, porque tiveram excelentes condições de vida ou por pura sorte mesmo. No entanto, às vezes vemos por aí casos de sucesso de pessoas que jamais seriam alguém na vida, mas como tiveram coragem e arriscaram, acabaram ficando muito ricos, como alguns empreendedores, porém esses casos acontecem em 1 em 1 trilhão de vezes, ou seja, vender coxinha vencida na garagem da mamãe ou dogão em 5 sócios não te fará um milionário, ainda mais você sendo um beta pobre, burro e sem um centavo no bolso. No mercado oligopolizado e globalizado atual, em que toda a informação chega à você em segundos, não é uma espelunca ou biboca que vai te fazer rico, tampouco a ideia batida de virar youtuber ou comprar criptos, pois você chegou tarde demais! 


Agora me respondam o que a beleza e os músculos vão te dar senão apenas prazeres passageiros com mulheres desprezíveis? Essas características não servem apenas para atrair fêmeas para atos animais de cópula, que não envolvem nada de inteligência? Quais outros ganhos que não sejam esses? Concordo que os betas marombas que se entopem de bombas falsificadas, altamente prejudiciais à saúde, e com os beautiful face que irão transar bem mais com medianas nas baladas do que eu, que sou um verdadeiro secador nato de vaginas, causador de nojo e repulsa, porém, o que irão ganhar esses pavões em termos de conforto, luxo, poder e prazeres que possam vencer o meu poderio financeiro, capaz de comprar tudo isso e ainda para sempre? No máximo vão fazer um sexo bem sem graça com uma mediana por aí, mas no outro dia vão ter que ralar entregando pizzas, enquanto eu estarei fumando meu charuto e tomando meu whisky 12 anos com uma Amanda Lee de joelhos na minha frente.

Sabendo então que a chave do sucesso é o dinheiro, a inteligência, o esforço e o social, como tê-los ou desenvolvê-los? Antes de tudo, todos devem estar cientes que não existe dinheiro fácil e nem sucesso sem esforço. Vivemos como numa selva no meio de animais selvagens que a todo o momento querem te devorar, e você beta é apenas um pequeno roedor feio e fedido, sem perspectiva de nada e suscetível a ataques de todos os lados. O que fazer então para ser um leão poderoso e predador? Se entupir de anabolizantes? Fazer cirurgia facial? Abril uma barraca de cachorro quente? Estudar PUAs? Macacos me mordam, é claro que não! Você deve estudar, se especializar, fazer um social estratégico (networking), investir, se qualificar, trabalhar duro, se especializar, bolar estratégias para vencer concorrentes, cuidar da imagem social e profissional!

Venha PDzinho, essa semana cai o seu salário, não é? 

Parem de perder tempo com futilidades, ilusões e extremismos e busquem se desenvolver de forma diabística! A famosa Filosofia Diabística está aí com seus valiosos e perfeitos ensinamentos para te fazer vencer, por que então você dá ouvidos para fracassados que em dentro de 10 anos estarão morando em ap de 40m² financiado no subúrbio, andando de Uno Mille, casados com uma gorda e com 2 remelentos e um enteado, trabalhando como escravos para ganhar 2k mensais? As regras de vida diabísticas são claras: abandono das ilusões e extremismos, vivendo na mais completa racionalidade e estratégia, trabalhando duro e se desenvolvendo diabisticamente, de forma inteligente, com a finalidade de ter uma vida de conforto, luxo, tranquilidade e prazeres!

Impossível não vencer na vida dessa forma. Portanto, meus amigos betosos, não deem ouvidos aos sabotadores sociais que querem te destruir e te levar ao buraco. Lembre-se que tudo na vida é passageiro, com exceção da renda passiva e do bom dinheiro investido. A Filosofia Diabistica quer te fazer vencer! Alguns confundem a minha vida hedonista com a FD, mas o que não percebem é que o álcool, os cigarros e as damlux são, além de prazeres, meios para preservar minha sanidade mental, para que eu sempre tenha forças para correr atrás dos meus sonhos e alcançar a tão esperada “VID” (Vida Idílica Diabística), quando eu serei feliz de verdade e as agruras betísticas que tanto me atormentaram a vida toda me abandonarão.

Abram a mente! Só a Filosofia Diabística e o dinheiro salvam!


Um abraço do Pobre-diabo!

sábado, 25 de maio de 2019

Me xingar de feio é um elogio!


Vou contar para vocês mais uma história de humilhação da minha vida, não bastasse todas que já passei e ainda passo. Que eu sou feio isso não é novidade para ninguém, pois desde a mais tenra idade eu sou motivo de piadas, chacota e rejeições por parte das garotas, com razão, afinal sou um beta B mais feio que cu cagando, uma mistura de Batoré, Cerveró e Raul Gil, além de ser brega, sem graça e autista, tanto que hoje nem ligo mais quando me zoam por isso. 

Estava eu nessa sexta em um barzinho, vestido de forma bem descolada a fim de disfarçar um pouco meu jeito betoso e minha cara ridícula. Decidi xavecar uma garota nota 7 que estava encostada numa parede mexendo em seu celular. Já cheguei demonstrando que não estava para brincadeira, pois o primeiro contato é o que chama mais a atenção, então eu falei: - Oi, você vem sempre aqui? O broto apenas olhou com desdém e respondeu: - Não te interessa! E voltou a mexer no celular, como se eu nem estivesse ali.

Não duvido que é capaz de eu tomar um toco de uma feiosa dessas ainda... 

Confesso que fiquei com a maior cara de bunda fedida, mas para não ficar por baixo eu disse: - Se você não quer, tem quem queira. A mulher sem tirar os olhos da tela do celular disse: - Só não sei quem vai ser a louca que vai te querer. Fiquei sem palavras no momento, realmente foi como se a desgraçada tivesse me dado um belo de um cruzado na cara e me nocauteado, só me restando sair de lá e aceitar a derrota como um verdadeiro fracassado no mundo da conquista.

Se acham que eu fiquei triste, muito pelo contrário, acho que ela ainda foi boazinha, afinal, eu não me coloquei no meu devido lugar, achando que ela iria dar bola para um pedaço de fezes de braços e pernas como eu, que não demonstrou qualquer poder social ou financeiro. O pior foi eu voltar para meu canto e ver uns caras rindo da minha cara, quase que eu fui lá e intimei os três para porrada, pois eu não tinha nada a temer, afinal, mesmo que eles me espancassem e desfigurassem a minha cara, impossível seria eu ficar mais feio do que já sou, é capaz de ficar até mais bonito.

Chora seu feioso, aqui você só pode olhar, nunca vai me ter, mas não olhe muito, beta, senão vou te acusar de assédio! 

Comecei a beber ainda mais depois desse episódio e não contente com o toco, fui em busca de mais um. Apenas olhei um broto aleatório, que eu nem lembro se era feia ou não, e tentei mudar a tática de abordagem, dizendo: - Oi, nunca te vi aqui, como está a night? A garota, que estava com mais duas amigas, apenas olhou para mim e disse: - Meu, você é feio, dá licença. Eu até iria tentar responder algo, mas no fundo a garota só disse a verdade.

Na realidade ela foi bondosa comigo também, pois me chamar de feio na verdade é um elogio. Eu na verdade sou horroroso, horrendo, ridículo, tosco, terrivelmente feio, um secador nato de vaginas. Isso na verdade não me afeta mais, pois eu aprendi a aceitar a minha realidade e ver que o problema sou eu e não elas, afinal, não são obrigadas a passar nojo do lado de um betoso escroto e queimar a cara com as amigas, não é?

Meninas precisamos achar uns alfas de verdade e que tenham grana aqui na praia. Só tem beta babando aqui vendo a gente passar ou uns idiotas inchados de tanta bomba falsificada se achando alfas, mas só faveladas magricelas dão moral para esses escrotos que ganham 1 salário mínimo e meio 

Conciente de minha condição fétida ali, decidi mudar a tática quando um camarada meu lá chegou. pegamos uma mesa de destaque, mandei o garçom trazer uma vodka de respeito, mais cara que o salário do roliço fedido, deixei a chave poderosa da minha "Bebê" em cima da mesa e passei a lançar olhares penetrantes nos brotos. Agora sim eu estava em vantagem, afinal, poder e grana são os maiores afrodisíacos paras as mulheres. Não demorou muito e já tinham três amigas em nossa mesa, a mais velha com 25 anos. Eu e meu camarada temos boa condição financeira e os brotos adoraram isso. 

Não vou dizer que eram umas princesas, pois não chegavam nem perto disso, mas muitos betas aqui fariam de tudo para namorá-las. Enfim, meu amigo tentou pegar a mais bonita, mas ela não quis, enquanto eu escolhi a mais fácil e que eu tinha certeza que iria transar comigo e parti para o abraço! Sim, esse pobre-diabo fez um sexo bem gostoso. Só de a moçoila ver a minha máquina diabística estacionada já ficou toda safadinha e mamou o gigante diabístico dentro do carro mesmo! Transamos a noite toda até adormecermos. Que visão linda ela de quatro, que rabo! Agora ela está dormindo aqui do meu lado e eu não vejo a hora de mandar ela embora, pois eu só penso em prazer, nada de relacionamentos por enquanto.

Realmente o dinheiro e o poder deixam qualquer beta muito mais bonito e atraente. Só o dinheiro salva! 



Um abraço do Pobre-diabo! 

sábado, 18 de maio de 2019

Um dia para se esquecer


Boa noite, caríssimos betas. Estive em viagem ao sul do Brasil para resolver uns problemas da empresa que estão me dando muita dor de cabeça em razão de serem correlatas à minha área de atuação e não existir hoje, internamente, quem tenha uma melhor desenvoltura nessa área que eu. Como a empresa está bancando tudo, decidi por voltar no domingo a noite para casa afim de curtir um pouco essa cidade que a princípio me deixou intrigado.

Após um dia estressante na sexta-feira, resolvi ligar para um amigo que mora nessa cidade que estou para perguntar o que tinha de bom para fazer. Fomos conhecer uns barezinhos legais, porém como eu estava muito cansado acabei por não estar com ânimo para me delongar demais. Enquanto conversávamos, esse meu amigo me falou de uma festa de arromba que estaria acontecendo no sábado e que seria imperdível. Ele fez aquela propaganda que engana sempre os otários: "vai estar cheio de mulher gata". Mesmo sabendo o que me esperava, aproveitei minha estadia por aqui e fui nessa festa que prometia não ser ó do borogodó que estas festas ao ar livre geralmente são. Pelo nível das conversas e da promoção imaginei ser algo que barbarizaria e arrebentaria a boca do balão, porém o que vi foi mais do mesmo que sempre vemos nos eventos que aglomeram os mais diversos tipos de pessoas, sejam alfas, betas, chads, stacys ou beckys.

Chegando lá, me deparo com um ambiente feio, chão de lama, muito frio e chuva. Filas gigantescas para tudo. Muita mulher, porém em sua maioria feias e/ou gordas e as beldades sempre cercadas de seus leais súditos e serviçais. Por ter chegado de Uber eu era praticamente invisível, ao contrário dos caras que chegavam em carros de destaque como é a minha BMW 320i que deixei bem guardadinha em minha casa. Saudades do poder que ela me proporciona enquanto com partilhamos nossos lindos momentos juntos.

É incrível como o ser humano é desprezível. Mesmo estando munido da minha vestimenta infalível composto por camisa listrada, colete prateado, suspensório, calça Jogger, coturno, boina italiana e corrente de ouro, os únicos olhares que eu notava para mim eram os de escárnio. Realmente as pessoas não tem bom gosto para se vestirem. Por estar em um ambiente estranho e acompanhado de um amigo que era tão mais beta quanto eu, acabei não me sentindo à vontade para praticar com afinco e perseverança a esbórnia, de forma que acabei mais me irritando que curtindo a festa.

Em certo ponto da festa uma confusão começou bem onde eu estava. Mulheres gritando, homens se empurrando e eu perdido no meio disso tudo. Ao tentar sair daquela muvuca, a briga começou a criar uma aglomeração que me impedia de sair daquela encrenca, e por mais que eu tentasse, parecia que a confusão me acompanhava. Em certo ponto sofri um esbarrão tão forte que acabou me derrubando no chão de lama, fazendo eu me sujar por inteiro. Pronto, não bastava não estar curtindo agora eu também sujei a vestimenta diabística do acasalamento. E o pior de tudo, como faria para ir embora já que vim de Uber e com certeza ninguém aceitará um passageiro sujo daquele jeito? Me limpei até onde pude, comprei umas capas de chuva para me cobrir e solicitei a condução rezando para que desse tudo certo. Quando olho o valor eu quase caio de costas: R$80? Que arrependimento. O veículo chegou, forrei os bancos como pude e fui embora.

Cheguei onde estou hospedado irritado, são e sem curtir a festa. Acabo de tomar um banho e me lembro que não tinha escrito o post, o qual estou terminando agora. Relembro de tudo o que ocorreu e o arrependimento me bate de forma a quase chorar de raiva. Por que eu tinha que inventar o que inventei para me irritar? Isso é muito azar.

Não estou com muita paciência para continuar escrevendo hoje, meus nobres. Vou encerrar por aqui e quem não gostar que vá tomar bem no meio do seu olho cego, certo? Então é isso. Bye.


Um abraço do Pobre-diabo.

sábado, 4 de maio de 2019

Adianta ser bonito mas não ter dinheiro?


O que me motivou a escrever esse post foi algo que aconteceu na quinta e ontem comigo. Uma prima minha me passou o contato de uma amiga dela, a qual possui uma qualidade genética bem superior a minha (nota 7,5). Obviamente que minha prima fez o maior marketing de mim, destacando minha inteligência, meu poderio financeiro e meu status profissional, o que pode ter despertado a atenção da moçoila. Trocamos mensagens e a conversa estava fluindo bem até que combinamos de nos ver na quinta de noite. Estava ansioso para vê-la para conhecer o seu corpinho mais alvo que a neve e suas curvas apetitosamente acentuadas. Pois bem, quando ela bateu o olho em mim pessoalmente, foi nítida sua reação de desânimo por ver uma pessoa tão feia. Suas respostas eram monosilábicas e sem entusiasmo. Eu até tentei me aproximar, colocar a mão em suas pernas e pegar em suas mãos. A reação dela foi somente se esquivar de mim.

Na hora de ir embora tentei lhe roubar um beijo e a garota apenas virou o rosto e disse: - Di, não me leve a mal, mas somos apenas amigos, tá? Mesmo abalado, tentei dar uma de engracadão e disse: - mas amigos também beijam (o que me deixou com mais vergonha de mim mesmo). Ela só respondeu: - não vamos estragar a amizade, né? Mesmo estando acostumado com rejeições femininas e tocos homéricos, não consegui disfarçar a cara de bunda fedida, mesmo assim eu segurei a onda e tentei parecer normal, mas ficamos cerca de uns 10 minutos sem falar nada. Aposto que se fosse um alfa já estaria na cama com ela. Enfim, me despedi e entrei no carro com vontade apenas de beber, fui para casa e tomei whisky até o sono chegar e dormir no sofá.

Eu tentando disfarçar minha cara de bunda depois de ter sido rejeitado como um papel higiênico cagado no lixo

Ontem eu fui à um barzinho com dois amigos betas. Em dado momento, chegaram 3 garotas ao nosso lado, idades de 19 a 23 anos, nenhuma beldade e até compatíveis conosco em termos de beleza, ou seja, eram feias também. Chegamos nas garotas e por incrível que pareça elas curtiram a gente e já mandamos trazer vodka, energéticos e um balde para marcar território. Em meia hora meus dois amigos já estavam pegando duas delas, sobrando a mais feia para mim. Até que conversamos bastante, mas eu estava inseguro, pois ela não demonstrava querer trocar salivas com uma monstruosidade como eu. Como o "Não" eu já tinha, resolvi ir atrás da humilhação, segurei a menina pela cintura e disse: - só falta a gente agora. Ela começou a rir e disse: - falta o que, meu??? Soltou minhas mãos dela, virou de costas e começou a dançar. Resolvi insistir e coloquei a mão direita na cintura dela de novo, então ela falou em tom ríspido: - já falei que não rola, cara!!! O que me deixou ainda pior foi que eu fui ao banheiro e quando voltei ela já estava se agarrando com outro cara, ou seja, o que eu não fiz em horas de conversa, o cara fez em cerca de 2 minutos.

A verdade é que alfismo facial abre muitas portas para a vida, inclusive para o profissional. As pessoas se sentem melhor ao lado de pessoas bonitas, sem contar que elas transmitem mais confiança e poder. Mas adianta ser bonito mas não ter dinheiro? Adianta se o seu foco for só pegar mulheres e somente enquanto você for jovem e elas também, sem contar que mesmo sendo lindo, se você não tem dinheiro, para a mulher te largar é questão de tempo. Por outro lado, mulheres com mais de 25, depois de se foder na mão de alfinhas, começam a procurar relacionamentos mais tranquilos e confortáveis, deixando de lado a emoção inicial de pegar alfas desputados por todas, mas que são safados, comedores e insensíveis, muitos deles sem um puto no bolso. Aí é que entra o papel do betinha perante elas de ser um verdadeiro burro de carga e pagador de contas, sem precisar ganhar nada em troca, muito menos sexo. Só a companhia feminina já faz o otário do beta se sentir merecedor de tudo isso.

Uma loirinha dessas pode ter quem ela quiser, caras com destaque social e financeiro, capazes de garantir status, conforto e luxo, com viagens inesquecíveis, saídas para restaurantes caros, presentes finos, joias caras, carrões etc. Acha mesmo que podendo ter tudo isso ela vai dar mole para um beta feio, pobre, ridículo e com corpo de abacate como você? 

Como eu disse a beleza abre algumas portas sim, porém não todas, e serve mais no campo social e sexual. Você pode até ser bonito e pegar gatas que eu nunca pegarei (sem pagar), porém quem é que anda de carrão automático molhador de calcinhas? Você pode até andar de mãos dadas com uma loira linda, mas quem é que transa toda semana com damlux panicats diferentes? Você até pode mostrar para seus amigos que sua namoradinha é gatinha, mas quem é que tem um status social e profissional de vencedor, que faz funcionárias e estagiárias babarem pelo seu poder? Você até pode tirar fotos no Instabosta ao lado de uma princesa, mas quem é que estará na Europa tomando um bom vinho esse ano? Você até pode achar que é amado por uma beldade, no entanto eu estou tranquilo e não preciso gastar horrores com ela, ser seu escravo e ter medo de ela estar dando moral para outros caras. No final, o que importa mesmo é ter dinheiro. Foda-se o resto. Dinheiro te traz conforto, luxo, boas sensações, status e muito sexo.

Mulheres são todas iguais, beleza é passageira e dura pouquíssimo tempo para elas. Se você tem grana você pode ter tudo. Enfim, eu só tomei os tocos que falei no início porque eu tentei atraí-las com meu jeito de pobre-diabo, quando na verdade teria que demonstrar apenas poder e dinheiro. Se tivesse sido um falastrão e ficasse contando vantagens e me engrandecendo perante todos era capaz de todas elas brigarem por mim ainda. Não importa se você é bonito ou feio, no fundo é somente o dinheiro que importa. O Neymar e o Dan Bilzerian são feiosos, mas aposto que são infinitamente mais felizes com seus iates com dezenas de gostosas rebolando de fio dental, mais felizes ainda que qualquer alfinha metido a bonitão por aí.


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 1 de maio de 2019

Paradoxo prosopopéico da felicidade


Bom dia, nobres diabistas. Tenho andado ultimamente muito disperso, o que acaba acarretando algumas reações indesejadas a mim, seja profissionalmente ou socialmente. Por ser um beta B mais feio que um cu cagando e mais ridículo que uma mistura do Cerveró com Raul Gil dançando Macarena, esse tipo de desprezo já não é novidade. Se bem que me lembrando das minhas últimas aventuras, acredito que minha saga baladeira deva estar chegando ao final, assim como meu tempo na empresa que trabalho esteja com os dias contados.

Quais são as expectativas que um beta tem para ser feliz num mundo fodido como esse? Oportunidades raras, exigências absurdas, condições adversas quando admitido. Não bastando isso, ao exibir sua cara de derrotado e suas vestimentas esdrúxulas, o beta é totalmente segregado ao limbo social por não ser atrativo e deter os poderes de ser ridículo e de secar vaginas. Se você não fez a lição de casa enquanto jovem, dificilmente conseguirá algum sucesso caso esteja começando agora. Qual seria a solução? Só existe uma resposta: seguir a filosofia diabística abandonando a ilusão e o extremismo. Só assim você conseguirá se desenvolver efetivamente.

A felicidade, como sabemos, é relativa, pois felicidade plena não existe. Ou você é feliz em um momento ou você é retardado. O que você acredita ser felicidade nada mais é que a satisfação de um desejo ante ao insucesso dos outros em atingir a mesma meta. Logo atingida, essa felicidade passa a ser um novo referencial, de forma que o que antes era um prazer passa a ser uma exigência, ainda mais se o beta estiver num relacionamento. Tente diminuir o seu padrão de vida após estar acostumado com ele que você sentirá a dor da abstinência. Provavelmente preferirá estar endividado a voltar a ser medíocre.

A solução, portanto, é nunca elevar o seu padrão de vida a um status em que a sua manutenção seja custosa a ponto de te gerar insatisfações e preocupações constantes. Aceite que sendo um beta pobre, feio e burro você nunca será um destaque nos meios sociais. Você terá que se esforçar muito mais para atingir uma meta que facilmente sucumbirá à pessoas que já nasceram vencedoras. Terá que ser engraçado, por exemplo, mas seu limiar será não ser o bobo da corte. O dinheiro que você gastar em algo que sirva para valorizar sua presença será sentido no orçamento e logo será insuficiente para manter o seu status, visto que o seu uso constante demonstrará que a falta de opções é determinante em sua vida.

Portanto, betas, entendam que a felicidade não existe e tracem metas plausíveis ante as suas condições precárias. Sejam realistas e vejam que a chance de fracasso é superior ao de sucesso e que você não é uma exceção à regra. Você é só mais um nesse mundo, você é apenas um número e ninguém liga se está satisfeito ou não.


Um abraço do Pobre-diabo!