quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

O fado da ilusão do sucesso fácil

Sejam novamente bem-vindos ao nosso amado reduto, betas diabísticos! Como vocês estão, está tudo bem? Comigo está, visto que o diabismo me tem feito muito feliz por elevar minha vida à condição superior de felicidade e regozijo, haja vista o extremismo e a ilusão não fazerem parte da forma como interpreto a realidade. Como sempre, o hedonismo é a principal fonte de energias para se prosseguir a vida, visto que o rancor e a infelicidade são os principais ingredientes da tristeza que compõe a vida da maior parte das pessoas com quem convivemos, as conduzindo à inveja, à angústia e ao fracasso. Caso você não seja um diabista, infelizmente eu te digo que a probabilidade de você se tornar uma pessoa infeliz e fracassada é muito alta.

O principal fator da infelicidade das pessoas é decorrente da forma como se imaginavam e como estão atualmente. Muitos imaginavam que ao chegar aos 30 anos já estariam bem estabelecidos financeiramente. Outros que teriam um sucesso deslumbrante em suas vidas profissionais. Outros (loucos), ainda, que possuiriam uma família e seriam referenciais às pessoas mais jovens como alguém responsável. Porém, hoje simplesmente são pessoas que possuem um parco patrimônio constituído de um carro financiado, uma faculdade que não serve para nada, um trabalho indigno que o explora a ponto de o fazer deixar de querer viver e acumuladas razões para dar fim à sua inútil existência. No final sempre acabam se perguntando: "onde foi que eu errei"?

Você errou ao se considerar melhor do que é, betinha. Se ponha no seu devido lugar e assuma sua definição como lixo atômico se você não quer que eu te meta porrada na cara e te faça esse favor

Essas pessoas não erraram em nada, nobre betas. Muitos simplesmente atingiram o seu ponto supremo de desenvolvimento, que é exatamente a sua realidade, porém em momentos diversos de suas vidas. Alguns tiveram o ápice de sua existência no ensino fundamental, época qual se relembram com notável carisma e dizem ter sido a melhor época de suas vidas. Outros se lembram do tempo de faculdade ao afirmarem que tiveram uma vida idílica, sendo que apenas vivam bêbados com cervejas que eram suco de milho, não tinham responsabilidades e conviviam com fracassados tão inúteis quanto eles. Ao superestimar as suas habilidades e capacidades, os seres humanos supervalorizam a chance de sucesso ante à grande probabilidade de derrota. Acabam por desconsiderar que é muito mais fácil você ser pobre e fracassado que rico e bem sucedido. Tomem por base, a exemplo, pessoas que vocês julgavam no passado que seriam totais fracassados e atualmente são pessoas bem sucedidas. Por que isso ocorreu? Simplesmente porque alguém as colocou no lugar que estão ou porque essas pessoas não tiveram medo de arriscar e usaram as suas habilidades para serem o que são?

Dessa forma, esqueça que você era o nerd que estudava e jogava videogame até atingir os 100% do jogo e não socializava. Esqueça que você era o bagunceiro da sala e tomava diversas advertências e suspensões. Esqueça que você era o cara esquecido ou o reconhecido por todos. Esqueça que você era o betinha que desejava a menininha mais admirada do colégio ou era o alfinha que a pegava. O passado só serve para ser uma base do pilar da sua vida naquela época, visto que o sucesso da sua existência se refere muito mais ao que você fez a partir do momento em que teve que sair da proteção maternal de seu lar do que suas experiências infantis e desprezíveis. Muitos betas acabam permitindo que traumas da infância ainda os continuem assombrando enquanto adultos, de forma que seus comportamentos acabam tomando rumos irracionais simplesmente porque não conseguiram seguir adiante de algo que sequer deveria ser rememorado.

Esse será seu destino se quiser atingir resultados diferentes fazendo sempre as mesmas coisas que todos fazem, betinha

Não existe fórmula para o sucesso. Este simplesmente é uma mistura entre dedicação, comprometimento e um pouco de sorte. Não se compare com pontos fora da curva como Silvio Santos, Steve Jobs ou Bill Gates. Não se compare com seres reptilianos como Larry Page ou Sergey Brin que reinventaram o sistema de pesquisas que revolucionou a internet, ou com Mark Zuckerberg que conseguiu convencer outros betas a o tornarem o controlador de uma das maiores redes sociais do planeta. Você é só mais um dos 8 bilhões de pessoas do mundo. Dependendo do seu rendimento intelectual e profissional você é só mais um que apenas sobrevive e sonha em ser o próximo a fugir da roda da pobreza. Se você considerar que o rendimento de R$4.000,00 já põe uma pessoa entre os 10% da população brasileira que mais recebem, dá para perceber que suas metas estão supervalorizadas ao achar que você será o próximo bem sucedido sem ter uma boa alavancagem.

E porque eu digo isso? Temos acompanhado há um bom tempo um blogueiro com nome de passarinho que tem praticado diversos sacrilégios contra a filosofia diabística ao negar seus ensinamentos valorosos. A ideologia desse ser inescrupuloso em muito se assemelha ao de uma outra figura roliça e gordurosa, porém com algumas dissimilaridades. Obviamente, ao afirmar truísmos, esse ser burlesco usa como referências constatações pontuais que teve em sua realidade frívola e prescindível, estabelecendo como regra o acaso e a sorte. Temos que ter em mente, nobres diabistas, que a oportunidade é uma situação que ocorre eventualmente e sem repetições idênticas. Caso esta não seja apanhada no momento certo, dificilmente ela voltará a ocorrer e a única coisa que restará ao futuro fracassado é chorar as pitangas por não ter agido como "se tivesse a cabeça de hoje quando era mais jovem" (quantas vezes não ouvimos nossos pais, tios, chefes, dentre outros, falarem isso?).

É isso mesmo, betinha! O segredo para você atingir o sucesso custa R$25,00! Ou segundo alguns por aí é divulgar produtos nas redes sociais sendo desconhecido ou comprando e-books que só falam mais do mesmo. 

Sério mesmo que você acredita quando ele fala que se mantém com os rendimentos de seu pseudo canal de Youtube, ou com a sua fake empresa que na verdade é uma barraca de cachorro quente com outros cinco sócios mortos de fome? Todos sabemos que a mudança de monetização do Youtube afetou mais de 90% das pessoas que faziam dinheiro por lá, de forma que o que rende mesmo é a quantidade de visualizações de um vídeo e não a quantidade de inscritos. Vários Youtubers que possuem até 200.000 inscritos afirmam que a mudança de 2018 os comprometeu e que realmente NÃO VALE A PENA parar tudo o que se estava fazendo para se dedicar a isso estão errados e ele certo? Estes postam suas telas do Analytics e são quase UNÂNIMES em demonstrar que raramente chagam a fazer mais de US$200 por mês! Que os maiores rendimentos são dos merchandisings que fazem quando SÃO FAMOSOS E SUA IMAGEM VALE ALGO? Quem vai querer pagar para um beta nerd emasculado magrelo orelhudo com cara cheia de espinhas e dentes tortos como o passarinho para divulgar um produto? Isso que esse ser ridículo, mentiroso e intrigueiro nunca provou nada, ao contrário deste reduto em que se apresentaram provas incontestáveis e indiscutíveis. 

Dessa forma, betas, tomem vergonha na cara e aceitem a realidade. Se vocês não fizeram nada até hoje, já chegaram aos 30 anos e gastaram o melhor tempo de suas vidas com jogos e punheta, dificilmente vocês serão algo a mais do que já são. Se não querem estudar, então tratem de trabalhar com esmero e dedicação. Se querem empreender, tratem de ter um bom capital de giro, uma boa ideia e um bom plano de negócio, além de saberem que sua rotina será das 07h da manhã até às 23h da noite até a estabilização do negócio. Parem de achar "jeitinhos" para se dar bem às custas de pessoas que já foram castigadas pela vida e que estão todas fodidas. Abandonem a ilusão e o extremismo. Se você não aproveitou a bolha do Bitcoin, não é agora que você se dará bem (onde estão os cryptotraders que arrotavam opulência aqui no reduto?). Se você não aproveitou a época em que o Youtube não era tão profissional, não será hoje que você será um Whindersson Nunes ou um Felipe Neto. Se você não aproveitou o momento antes da bolha dos imóveis, comprar um hoje é um total suicídio financeiro. Aceitem a realidade e eia avante, betas, rumo ao colosso de glória da pujante aguerrida filosofia diabística que os demove do status de frivolidade através da negação da ilusão e do extremismo!


Um abraço do Pobre-diabo!