sábado, 28 de abril de 2018

A hipocrisia da nostalgia e da auto-ajuda


Salve, salve, caríssimos betas! Diante dos últimos posts que tivemos aqui no nosso reduto oficial diabístico, notamos o alto nível das discussões envolvendo os mais diversos assuntos, entre eles intelectual, profissional, filosófico e empreendedorismo. Muitas colaborações são frutíferas, haja vista alguns colaboradores não se limitarem a fundamentar seus discursos em argumentos falaciosos e extremistas, contribuindo em efetividade com o desenvolvimento betístico, esse ser desprovido de qualidades alfísticas e permeado de características abomináveis como feiura, burrice e covardia. Já as colaborações falaciosas e extremistas, por mais inúteis que possam parecer, também contribuem com o beta, mas de forma a demonstrar qual o caminho que ele não deve seguir e comportamentos que deve evitar.

Como sempre fui extremamente introvertido com uma mente doentia que beira o autismo, nunca entendia, enquanto menino, o porque de eu ser tão ridicularizado pelos outros. As pessoas morriam de vergonha de estarem ao meu lado e meu círculo de amizades eram de seres mais ridículos que eu. Na hora da educação física, por exemplo, eu era um dos últimos a ser escolhido para jogar futebol, isso quando não faziam de conta que eu era invisível e após terminarem as seletivas eu ficava com a maior cara de otário enquanto todos iam se divertir, com lágrimas nos olhos por ser desprezado sem qualquer tipo de fingimento. Como não tinha o que fazer, tentava me aproximar das meninas, mas essas eram mais cruéis que os meninos e me falavam na cara tudo o que falavam de mim. E assim foi minha infância e minha adolescência.

Olha o que tempo faz com as pessoas. Um dia esses caras foram bonitos e olha a aberração que viraram, porém ainda continuam poderosos porque têm prestígio e dinheiro. E você que é um bosta sem dinheiro e só tem uma lanchonete na garagem de 2x2 da sua mamãe? Me enche de alegria ver aqueles merdas que me sacaneavam andando de Golzinho 1.0 com suas esposinha gordas, enquanto o pai aqui anda de possante e transa com deliciosas garotas de cintura fina, seios e bunda deliciosos

Como cresci sem amigos e sem distrações, além do fato de eu ter uma concentração altíssima e um poder de observação que beira a loucura, acabei direcionando meus esforços para o estudo, o que me rendeu bons frutos. O simples fato de ter pensado no futuro me fez ser recompensado de forma muito satisfatória hoje, pois como é bom ver pessoas que eram os referenciais da época hoje serem desprezíveis porque simplesmente foderam as suas vidas. Os alfas do passado (pois na adolescência, naquela época, o dinheiro era fator secundário) hoje são pobretões gordos e carecas cheios de filhos e casados com barangas que atormentam sua vida. As meninas bonitinhas hoje são velhas barrigudas com tetas caídas que viram a sua beleza passar e não se preocuparam com o futuro. Tirando algumas exceções, todos se foderam por simplesmente viver a vida sem se preocupar com o futuro. E o que mais me irrita é quando encontro algum desses seres, pois eles relembram o passado como se tivesse sido maravilhoso. Não, meus caros, não foi.

Nossa mente costuma pregar peças em nós. E uma dessas é a nostalgia. Pelo simples fato de não gostarmos de sofrer, acabamos apagando o sofrimento passado na época de alguma decepção ou fracasso e o minimizamos como se não tivesse sido da intensidade que foi. Isso ocorre, por exemplo, nos casos de amizades ou de ex-namoradas em que depois de um tempo sem se verem na cabeça do otário aquela traição sofrida não foi tão repugnante como ele pensa hoje e por lembrar dos momentos bons vividos, o indivíduo retoma uma relação que já era fadada ao fracasso. É a mesma coisa que reassistir um filme e esperar que o final seja diferente daquilo que já foi visto. As pessoas não mudam e assim que passar a fase boa, quando a sua guarda estiver baixa, tudo volta a ser o que já foi, seja nos comportamentos de quem for. E o pior ocorre nos casos de relacionamentos, pois quantos animais eu ouvi falar que perdoavam um chifre porque o corno "tinha aprontado um monte também e merecia isso" e porque "não eram machistas visto que passado é passado". É algo elementar: se você foi traído/humilhado/desrespeitado, é porque você não gera admiração e a pessoa não te respeita e cedo ou tarde ela fará novamente. Então caia fora dessa relação, seja sexual ou amizade, pois uma hora ou outra você será novamente decepcionado.

Quem aí lembra desse casalzinho feliz e apaixonado? Eu tenho alguns amigos que fazem parte desse seleto time dos cornos. O detalhe em comum é que todos são betas, todos são inseguros, todos perdoaram mais de uma traição, todos só levam as safadas para lugares e viagens caros para tentar fazer elas não traírem eles mais, todos são paranoicos e tentam ficar o tempo todo com elas, inclusive ligando o dia inteiro, todos tem uma vida sexual não ativa com elas e são depressivos. O que elas têm em comum é: são normais, nem bonitas e nem feias, traíram eles com alfas e semialfas e falaram que traíram porque a relação estava ruim e não de sentiam amadas. Para punir elas, um deles deu um anel de 4k e uma viagem para os EUA. O beta nesceu para ser um capacho. 

Tenho um outro conhecido que namorava uma menina que o tinha traído um par de vezes. Passou-se o tempo, se reencontraram e se casaram. Depois de certo tempo, o inevitável aconteceu: ele tomou uma galhada da esposa. Vocês sabem como ele a "puniu"? Dando um carro para ela e a levando para uma viagem internacional! Vocês acreditam nisso? Adivinha o que ela fez depois de passada a emoção da "reconquista"? Ela galhou ele de novo e ele a "puniu" novamente. Quando perguntei porque ele se sujeitava a isso, ele dizia que "não tinha como deixar o passado para trás porque a história deles era muito bonita". Uma raiva diabística subiu meu corpo e fiquei com vontade de dar uma cotovelada na cara dele e quando estivesse no chão, mijar em sua cara. Vejo que isso ocorre em razão do esteriótipo do beta: fraco, emasculado, covarde, bondoso e geralmente sensível. O beta odeia decepcionar as pessoas. O beta detesta ser mal visto. O beta quer ser aceito. Tudo isso gera um rebuliço na sua mente, induzindo-o a fazer cada vez mais a troco de recompensas cada vez menores, sendo mais ridículo do que já é.

Lembro de um filme que assisti há muito tempo atrás chamado Escola de Idiotas. Nesse filme, Jon Heder personifica exatamente o beta: ele é uma pessoa que morre de medo de quem aparenta ser mais forte, ele nunca enfrenta ninguém e até as crianças acham a sua companhia algo desprezível. As mulheres o ridicularizam, no seu trabalho ele é zombado a todo instante, seja pelos clientes, seja pelos seus colegas. Enfim, após decidir que precisava mudar a sua vida, ele recebe um conselho que me marcou e lembro até hoje: "Nunca utilize materiais de auto-ajuda, pois como você está buscando se ajudar, você está sendo auxiliado por um fracassado idiota e certamente não se ajudará". Achei incrível isso, pois eu sempre recorria a estes tipos de materiais para achar soluções de problemas que bastava eu tomar postura de homem e jogar conforme as regras do jogo para ter sucesso e ser feliz.

Quase vomitei só de ver esses livros. O pior é que já cai nesse engodo no passado. Você acredita mesmo nessas idiotices? Acredita em PUAs feitos para adolescentes que querem conquistar menininhas de 14 anos na escola? Acredita em jogo social de fracassados pobres que vivem no meio do subúrbio e frequentam botecos para jogar sinuca e comer coxinha e fritas? A grande verdade da vida é que você tem que melhorar sua imagem, seu social, sua autoconfiança, sua autoestima, abandonar as ilusões e extremismos e ganhar dinheiro. Só assim você vai vencer na vida. A verdade é imutável. Só existem Alfas, Semialfas e Betas (A, B, C e D) e você nunca será um alfa. Não existe esse negócio aí de inventar nomes idiotas, com siglas bobas e sem sentido, para não se chamar de beta e achar que está vencendo. O que acham de não ser mais BETAS e agora vocês serem B.I.C.H.A.S (Betas Incríveis Com Habilidades Alfas)? Ou B.O.I.O.LA.S (Betas Objetivos Idealistas Obstinados na Lida Alfa). Ou ainda V.I.A.D.O.S (Vencedores Ilustres Alfísticos Dedicados  e Obstinados)? Conseguem notar como isso é ridículo? 

Com materiais de auto-ajuda eu sabia basicamente o que fazer, mas de onde eu tiraria coragem para mudar o status-quo? Através de outro material de auto-ajuda? Obviamente não. Como o beta foi cagado nesse mundo, ele tem que se esforçar muito mais do que aquele que já nasceu beneficiado. Por não possuir barganha física, direcionei minhas energias para o intelectual e hoje colho os frutos ao ocupar uma posição de destaque na empresa em que trabalho e ser referência profissional. Sei que os homens e as mulheres de lá só me respeitam pela minha posição e não por quem eu sou sem esse papel. Se estivesse no nível deles, obviamente eu seria tratado como eu era na minha infância e adolescência. Assim, não acreditem em materiais de auto-ajuda ou em coachs que buscam te ensinar a como ser bem sucedido, pois todo mundo não está nem aí para você. Pensem: por que alguém vai te oferecer uma boa oportunidade e não pegar para si? Por que alguém vai ajudar alguém que pode lhe gerar concorrência? Não tem lógica. O ser humano é egoísta e acumulador e assim que ele tenha a oportunidade e essa for boa, nunca ele a oferecerá se essa lhe trazer benefícios. O objetivo desses materiais de auto-ajuda e dos coachs é basicamente se utilizar da ilusão das pessoas e tirar o seu dinheiro. Apenas isso. Nunca se esqueçam do que minha finada bizavó falava: "Se você tiver um saco de milho, sempre existirá um corvo te perseguindo".

Assim, caros betas, a primeira coisa a ser feita é seguir a regra número um da filosofia diabística: desapegue-se da ilusão e do extremismo, pois a partir desse momento, você verá o mundo como ele realmente é: frio, cruel e calculista. Quando o sentimento de nostalgia se fazer presente, lembre-se que o passado não foi tão bom quanto aparenta ser hoje. Nunca acredite em ninguém, pois todo mundo não está nem aí para você. Sempre desconfie dos seus amigos, pois a decepção nunca vem de desconhecidos. Se for para buscar conselhos, busque de pessoas que te querem bem (geralmente seus pais) e não de fracassados que sequer sabem porque estão vivos e são tão inúteis como você. Não se vitimize e não jogue a culpa do seu fracasso nos outros, pois por mais que sua condição seja aquela que você tenha herdado de seus pais, manter-se no marasmo é culpa sua e não deles, de amigos, de filhos ou de mulheres. Não aceitem exemplo e orientações de iludidos e extremistas, pois esses desconsideram que o mundo é igual para todos que estão na mesma laia e não existem atalhos, muito menos oportunidades de ouro que ainda não foram exploradas.

Só a Filosofia Diabística e o dinheiro salvam!


Abraço do Pobre-diabo.

Obs: tenho percebido que a atividade de haters está muito ativa contra alguns blogueiros. Peço encarecidamente que os betas se unam e parem com isso, pois essa conduta gera descrédito e apenas enfraquece a razão de nossa batalha. Não possuo tempo para desperdiçar com teorias de perseguição que atribuem a mim, visto que comportamentos idênticos já ocorreram no passado com outros blogueiros e a verdade sempre prevaleceu. Infelizmente meu tempo é muito escasso e mal consigo responder os comentários aqui e ainda às centenas de e-mails que recebo, então peço para que possamos manter um ambiente de camaradagem aqui. Todos conhecem do meu empenho em defender a causa betística e quanto mais apoiadores tivermos, mais fortalecido será o nosso movimento. Sempre digo e repito: esse blog é 100% honesto.

quarta-feira, 25 de abril de 2018

A simples lógica do sucesso


INTRODUÇÃO 

Muitos leitores desse recinto diabístico reclamam do foco que é dado aqui, argumentando haver somente textos e frases de derrota e pessimismo. Isso não é verdade. O que na verdade há aqui é um pensamento 100% racional da realidade, um guia prático de como o beta, esse ser abominável, pobre, feio, burro, fedorento e ridículo, pode de fato vencer na vida. Aqui não tem espaço para discursos demagogos, recheados de falácias e truísmos que contrariam completamente a realidade, racionalidade e estatística. Como sempre destaco aqui, as ILUSÕES e EXTREMISMOS são os maiores vilões do desenvolvimento betístico, pois baseiam se unicamente em emoções e não na realidade nua e crua e nos verdadeiros números e probabilidades.

Sou sincero aqui em dizer que sou um beta B, mais feio que cu cagando, introvertido, covarde como uma cadela e com uma mente doentia que beira ao autismo. No entanto, eu sempre usei da estratégia para compensar minhas dificuldades e vencer na área profissional. Minha mente é completamente voltada aos números, extremamente articulada e observadora e eu não gosto de arriscar quando as probabilidades são baixíssimas (sempre são para betas), mesmo que os retornos sejam altos, preferindo arriscar quando as probabilidades são mais favoráveis, mesmo com ganhos menores, pois sei que não perderei. Quando falo do perigo das ilusões e extremismos, acima de tudo quero destacar como o beta excremento, ao invés de focar no sucesso garantido prefere focar no impossível, em uma guerra que ele jamais vencerá. Aqui somos realistas, não ficamos de lenga lenga! Assim, como no post anterior falamos sobre a simples lógica do fracasso, neste falarem sobre a simples lógica do sucesso. 


A SIMPLES LÓGICA DO SUCESSO


Mentes fracas querem ler coisas como: “Sim, você pode!”; “Você vai vencer!”; “Se Warren Buffett conseguiu, você também consegue”; “Arnold Schwarzenegger era pobre e magrelo e olha o que ele virou depois”; “Fulano era pobre e virou médico”. O extremo otimismo dessas pessoas sempre foca em outliers (pontos fora da curva), casos altamente dependentes da sorte, coisas extremamente difíceis de acontecer e que sequer entram na estatística geral, pois representam 0,000000001% das pessoas. É aí que vem a maldade de alguns em iludir os betas e lucrar muito com isso. Livros de autoajuda, manuais PUA, consultorias etc pregam uma visão ilusória extremamente otimista, incondizente com a realidade, como se tudo fosse possível em nossa vida, não existisse uma concorrência selvagem e como se todos fossem iguais. Eles sempre vão falar frases otimistas e citar casos de sucesso, mas quando você beta cai na real e vai enfrentar o mundo real, você dá com a cara na parede e vê que é só mais um excremento jogado ao mundo.

Pode parecer que mais uma vez estou sendo pessimista e que o sucesso está muito distante para o beta, mas isso não é verdade. A lógica do sucesso existe sim e ela se chama FILOSOFIA DIABÍSTICA. Mais que só uma filosofia, ela é um estilo de vida. Não se trata de ser pessimista e valorizar o derrotismo, mas sim ser racional e saber jogar o jogo da vida com o abandono total das ilusões e extremismos, analisando de forma nua e crua a realidade, observando todas as probabilidades de sucesso, desprezando a sorte e sempre agindo com estratégia. O beta deve sempre escolher o melhor caminho, que ao mesmo tempo seja compatível com suas capacidades e que gere um bom retorno, com risco baixo de fracasso, visto que betas são especialistas natos em fracassar.

Neste contexto, podemos citar o eterno Sun Tzu em sua Arte da Guerra, o qual apresenta uma visão completamente racional da realidade. Não vemos Sun Tzu dizendo: “arrisque-se, a vitória só depende de você!”; “Quem não arrisca não petisca”; “Davi era pequenino e mesmo assim venceu o gigante Golias, então não tema e enfrente as adversidades não importa como sejam”. Diferente disso, vemos um mestre da guerra, usando de toda sua expertise para vencer, não se entregando aos riscos. Vejamos o que diz esse exímio estrategista: “Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas”.



Vemos que Sun Tzu estuda minuciosamente seu inimigo e só age quando tem certeza. Fazendo analogia para nossa realidade betística, podemos entender que se o beta conhece bem a si mesmo, sabendo de suas possibilidades (inteligência, social e financeiro), e conhece bem o que almeja (trabalho, faculdade, concurso, vaginas etc), avaliando suas barganhas (tendo mais barganha que o seu adversário), a vitória é certa. Se o beta conhece bem a si, mas não o que ele almeja, o resultado é incerto e depende unicamente da sorte (aqui já elimina a grande parte dos animais). Por fim, se o idiota do beta não conhece a si (e é um completo fracassado) e nem o que almeja (que geralmente é muito superior ao beta e se constitui de ilusões e extremismos), o fracasso é certo, não adiantando contar com a sorte, pois nesse mundo nada é de graça e todos querem se dar bem, independente da área que envolva.

Isso é óbvio, não é? A resposta é não e é o motivo de quase a totalidade das pessoas fracassarem na vida. É óbvio que grande parte dos que vencem só alcançam isso porque vieram de um berço com excelentes condições e foram guiados desde a mais tenra idade para serem vencedores, tendo boa educação, bom desenvolvimento social e financeiro. No entanto, dentro de suas possibilidades betísticas você pode ser um vencedor sim. Uma pessoa que sempre foi pobre, sempre sofreu bullying e era burra conseguir ganhar 4k por mês pode sim ser considerada uma pessoa de sucesso, pois tinha todos os motivos para ser um completo fracasso miserável. Alguém que consegue ganhar 10k então, nessas mesmas condições, pode ser considerado de extremo sucesso! Sabemos que com esses valores não é possível ser um Dan Bilzerian, mas pode sim ter uma via confortável, que deve ser o nosso objetivo de vida.

Ilusões e extremismos são observados em todos os lugares, como nos casos em que o cara é pobre, tímido, feio e tem braços de cabo de vassoura ou é um gordo tetudo, com dente torto e cara de abobalhado, mas mesmo assim quer namorar uma loira gostosa, com cara de modelo e bunda grande (atributo mais valorizado e caro nas mulheres). O beta faz uma arte marcial tipo Kung Fu, Ninjutsu e Hapkido, que são coisas de nerd fracote abobalhado, e acham que baterão no mundo todo (sendo que boxeadores e jiu jiteiros podem os matar em poucos segundos). Ou o beta que sempre foi burro na vida, mal sabe escrever e quase reprovou em Matemática, Física e Química, mas mesmo assim tenta o Vestibular de Medicina da Federal ou concursos concorridíssimos para cargos de elite. Podemos citar também o caso de betas que acham que serão pessoas de sucesso no exterior, sendo que sempre serão ilegais, vivendo às margens da sociedade, catando bosta de americano, sem nenhum direito e não conseguindo acumular nada. Por fim, há o caso de retardados que abrem bibocas na garagem da mamãe, escravizando funcionários, ferindo gravemente leis trabalhistas, ou os que abrem sociedade com 5 sócios para vender cachorro quente, achando que serão empresários de sucesso, como Jorge Paulo Lemann, não considerando a implacável concorrência de mercado, suas variáveis e as estatísticas (que apontam que a maior parte das empresas fecham antes dos 5 anos sem nenhum lucro).

Empresário de sucesso contando o seu faturamento mensal

Seria como se um soldado manco e sem armas enfrentasse um poderoso exército, com tanques e aviões e fosse destroçado cruelmente. Mesmo assim, o beta excremento (o soldado), utilizando de frases de impacto e discursos motivacionais falsos, acha que poderá enfrentar esse exército e mesmo assim matar todos e vencer, como nos filmes do Chuck Norris, Arnold Schwarzenegger ou Sylvester Stallone, quando eles enfrentam verdadeiros exércitos inteiros e derrotam todos sozinhos, muitas vezes somente com os braços e pernas. Isso não existe! Se você não está preparado, se não tem barganha e é limitado, não se meta em algo extremamente concorrido e que demanda um preparo extremo! Sun Tzu afirma: “O bom estrategista, para vencer uma batalha, faz antes muitos cálculos no seu templo, pois sabe que eles são a chave que o conduzirá a vitória. É calculando e analisando que o estrategista vence previamente a guerra na simulação feita no templo. Portanto, fazer muitos cálculos conduz a vitória, e poucos, à derrota”. Ou seja, calculando todas as probabilidades é que você vencerá (agindo quando elas são favoráveis, obviamente).

É claro que todos sabemos que só usar da estratégia não é o suficiente para vencer. Se você é um beta sedento por poder e dinheiro como eu, outras coisas são fundamentais, exigindo para tanto uma mentalidade altamente competitiva e sem emoções. Robert Greene e Joost Elffer em “As 48 leis do poder” afirmam que “o mundo é como um imenso e dissimulado cassino e todos nós fazemos parte dele. Quanto mais rápido você descobrir as regras do jogo, maiores serão as suas chances de sucesso”. A partir daí, os autores apresentam ações que poderão fazer você se destacar nos ambientes da corte, no nosso caso o trabalho, que é o nosso foco, buscando sempre o poder e o dinheiro (o foco dos manginas é sempre mulher, por isso sempre serão pobres fracassados), que trará todo e qualquer tipo de felicidade depois, afinal eles compram tudo. Ou seja, todos querem ganhar, então você terá que ser melhor do que eles. Leiam esse livro, pois ele é excelente para abrir os olhos dos inocentes e especialmente dos iludidos e extremistas.

Algumas dessas leis eu considero extremamente importantes e essenciais para o sucesso na vida. Uma delas é não confiar demais nos amigos, pois eles uma hora vão te derrubar, sendo o certo você usá-los para se dar bem (sem dar golpes, apenas ganhando informações ou fazendo com que elevem sua imagem), não andando jamais com fracassados para não ser visto como um. Defender sua reputação está acima de tudo, pois se uma vez você for visto como um bosta, então acabou para você. Outra coisa que importa muito no meio profissional é chamar a atenção, mostrar que você sabe, que está atento, que tem opinião, fazendo com que ganhe muitos créditos com a liderança. Há ainda as estratégias mais egoístas, como você fazer todo mundo trabalhar e ganhar o crédito por aquilo, falar meias verdades, parecendo sempre que fez um trabalho descomunal e teve ótimos resultados, nunca pedir ajuda apelando para misericórdia ou gratidão, fingir ser amigo de todo mundo, porém só se importar com o que podem acrescentar a você, sempre ter aliados e não se isolar, ser sociável e agradável, sempre planejar tudo e nunca bancar o “diferentão”, pois você será o ridículo e imaturo do grupo, sendo o importante comportar-se como todos se comportam.


ESTRATÉGIAS PRÁTICAS DIABÍSTICAS 



De forma mais prática e de certa forma mais acessível à realidade simples dos betas A, B, C e D, podemos citar algumas situações práticas voltadas ao beta, que podem não ser vistas como de extremo sucesso, mas pelo menos garantem que tenha uma boa condição de vida e que possa sim ser considerado mais vencedor que somente um fracassado imundo. Não sejam extremistas, é óbvio que todos gostariam de ganhar 20k ou mais por mês, mas sabemos que são pouquíssimo que conseguem chegar a esse patamar, então, se você beta que sempre foi um fracassado, veio de família ignorante e pobre, mas conseguiu crescer na vida, hoje ganha até mais que sua família e fêm um certo conforte e dinheiro para curtir, já pode se considerar um vencedor. Na sequência, estratégias práticas diabísticas (EPD) que podem mudar sua vida:

- Beta que mesmo sendo burro, pobre e fracassado, fez um curso técnico de eletricista, encanador, Calheiro, mecânico etc, e com muito trabalho e especialização consegue juntar uma boa grana e investir (sem casar e ter filhos), tendo uma boa e confortável vida futura;

- Beta que mesmo sendo burro, ao invés de focar em concursos altamente difíceis e decorebistas, passa em um mais acessível (como de pequenas prefeituras), com remuneração inicial de 2,5k, mas que depois de 15 anos, juntando todos os adicionais, chega a ganhar mais de 7k mensais;

- Beta que viveu de forma extremamente frugal, investiu todo o seu dinheiro e depois de muitos anos tem uma quantia alta investida, podendo se dar a luxos no futuro que otários que só torraram com carros 1.0 e apartamentos de dois quartos financiados, com dois filhos, jamais poderão ter;

- Beta que fica solteiro ou o que namora uma garota tranquila (bonita e gostosa não vai ser, então que pelo menos seja magra), que não curta ostentar e tenha uma remuneração que pague as contas dela ou que agregue na relação, conseguindo poupar e investir bem para o futuro, diferente do retardado mental que escolhe casar com uma mulher que adora status e viver de aparências, fazendo o idiota gastar tudo o que tem e o que não tem com jantares, presentes e viagens caros, além de bancar outros luxos, como carros, casas, filhos em escolas caras e tudo mais, vivendo como um escravo pagador de contas, sem ter acesso a nenhum prazer (sem sexo o animal faz);

- Beta que como eu fez boa faculdade, com curso com boa empregabilidade, bons estágios, especializou-se, fez contatos importantes (e network), entrou em uma boa empresa com boa possibilidade de mobilidade, usou de estratégias para agregar seu valor, principalmente social (mais importante em corporações), cresceu e hoje ganha razoavelmente bem. Além disso, sempre pensou no futuro, poupou e investiu muito dinheiro e hoje possui relativamente um bom patrimônio e uma confortável vida;

- Beta que empreende de forma correta, com bom capital inicial e de giro, tem projeto de viabilidade correto, não precisa fazer sociedades toscas com fracassados e de forma eficiente, sustentável e garantida tira seu lucro, depois de bem estabilizado, sem contas iludidas e irreais (como dizer que lucra 100%, porque isso não existe. A não ser que você roube seus pais, além de escravizar eles e funcionários miseráveis). 


CONCLUSÃO

O que acontece com muito betas é não entender a essência da Filosofia Diabística, qual seja preparar o beta para a sobrevivência na cadeia alimentar alfa-betística, a qual por natureza já discrimina o beta e o coloca em um patamar inferior, o que faz com que geralmente seja um fracassado. Para tanto, pregamos com veemência o abandono total de ilusões e extremismo, devendo viver na mais alta racionalidade e estratégia. Em um segundo momento, o beta deve amar a si mesmo e não viver em função de outras pessoas, encontrar a felicidade dentro de si, valorizando sempre (e unicamente) o seu próprio prazer, conforto e felicidade.

Comece aos poucos abandonando conceitos iludidos e extremistas, pois isso não leva a nada. Seja coerente e não sonhe com coisas impossíveis. Não siga o exemplo de fracassados burros e mentirosos, que mentem ter uma vida de sucesso, quando na verdade são chapeiros na garagem da mamãe, ganhando um lucro real de R$800,00 (descontado já o roubo cometido aos pais e funcionários que lá na frente vai quebrar ele) e que dizia pegar facilmente mulheres perfeitas como Amanda Elise Lee e quando foram ver na verdade ele namora e já noivou com uma favelada magricela de 35g, sem bunda, e que mal sabe falar o português correto. Também não siga o exemplo de blogueiros arrogantes que além de mentir valores têm cálculo que não fazem sentido em investimentos.

Não acredite em coisas fáceis. A vida é dura. Ninguém vai te dar nada de graça em se tratando de dinheiro, status e poder, nem mulheres vão te dar nada de graça, por isso não acredite em negócios com porcentagens elevadas de lucro, pois isso não existe nas leis de mercado. Nunca acredite nas mulheres também, elas adoram conforto e status mais do que você, além do mais, a maior barganha delas está na beleza o que faz serem altamente cobiçadas, escolhendo sempre os melhores machos (alfas em geral). Você acha mesmo que ela vai querer você beta B horrendo e pançudo só porque usou técnicas infantis PUAs e fez um jogo social que mais parece atitudes de adolescentes de 12 anos? Menos inocência e mais Filosofia Diabística, amém irmãos?


Um abraço do Pobre-diabo!

sábado, 21 de abril de 2018

A simples lógica do fracasso


Sejam novamente bem-vindos, caríssimos betas! Como é bom poder estar participando da vida de vocês mais um dia, exercitando e pregando os princípios da nossa adorada filosofia diabística, amém? Hoje, diferentemente de outros dias, não bebi, pois estou realizando um tratamento de pele e pelo visto a aparência da minha cútis está prejudicada pelo fato de eu ingerir uma enorme quantidade do líquido emancipador da alegria, do refresco da alma, do elixir dos deuses, ou seja a cerveja artesanal, e também pelo fato de eu estar fumando com altíssima frequência meus deliciosos cigarros de cereja. Seguirei as orientações da minha dermatologista e verei quais são os resultados que virão desse tratamento que estou fazendo desde terça.

O post de hoje decorre de um fato engraçado que ocorreu na semana passada: um conhecido nosso que namora uma favelada de 35kg com bunda de pão de água e pernas de cabo de vassoura resolveu demonstrar os resultados fictícios de seu "empreendimento inovador que está quebrando as regras do mercado e dos empreendimentos": segundo ele, seu lucro está na casa dos 100%. Inacreditável, não? Obviamente que fico surpreso e até feliz, pois me regozijo quando vejo betas evoluindo e se dando bem. Porém, isso só ocorre quando esse sucesso é decorrente de uma situação estabelecida e fundamentada e não quando ela é advinda da ilusão e do extremismo.

E o que eu quero dizer com isso? Quero dizer que não existe dinheiro fácil. Basicamente isso. Em decorrência da deficiente instrução intelectual e da falta de educação financeira, além de uma cultura lixo que prega a diversão e satisfação das necessidades primárias acima de tudo, é típico do brasileiro se iludir e acreditar no extremismo. É normal o indivíduo viver o hoje e jogar as preocupações para depois, afinal por que se esforçar se você não sabe se estará vivo amanhã, certo? Errado, e muito errado. A maior causa de morte da maioria das pessoas é a velhice, logo você viverá um longo tempo além do que já viveu. E o pior, pagará a longo prazo as cagadas que irresponsavelmente fez no passado apenas por uma diversão momentânea.

Não gosto de notas de 2 e 5 reais. Essa graninha aí é só para este fim de semana (depois conto a vocês as minhas peripécias). Será que foi tão ruim ter batalhado e se desenvolvido de forma diabística para hoje poder me dar a esses luxos sem nem coçar o patrimônio? Será que teria sido melhor ser dono do próprio negócio e abrir um dog com mais 6 sócios burros ou uma lanchonete na garagem da mamãe  e ganhar 800 - 1.200 de lucro/mês trabalhando igual a um cavalo 18 horas por dia? Será que é tão ruim assim trabalhar para o chefe gordo bafento que me paga sete vezes mais que os empreendedores falidos ganham? Obs: a nota de 20 do canto eu deixei para dar de gorjeta para o entregador de lanches aqui

Assim, a filosofia diabística prega com veemência o abandono total da ilusão e do extremismo, pois esses são os fatores principais da lógica do fracasso. Sempre tenha os pés no chão e trace metas realistas, pois a chance de fracassar é infinitamente superior que a de ser bem sucedido. Isso ocorre por uma regra simples de mercado: demanda x oferta. Como dinheiro compra tudo, obviamente todos vão querê-lo e quanto mais dinheiro acumulado tiver, maior será o poder de barganha. Assim, a fim de evitar empecilhos e humilhações, mais as pessoas irão disputar o acúmulo de dinheiro, retirando-o daqueles que não conseguem mantê-lo.

Como o dinheiro se concentra nas mãos de quem tem maior poder e habilidade, o esforço para acumulá-lo a cada dia se torna maior, de forma que as pessoas tem que trabalhar mais para ganhar menos do que ganhavam. Assim, as oportunidades vão se rareando, os recursos se esgotando, os bens se encarecendo e a mão de obra aumentando e se barateando. Como cada ser vivo é um gerador nato de despesas, quanto mais pessoas existirem, maior será a despesa, diferentemente da riqueza que não surge do nada, mas sim do empenho de esforços e insumos. Pessoas se multiplicam do nada, riqueza não.

Dessa forma, temos que ter em mente, para sermos bem sucedidos, que a ilusão e o extremismo são os principais agentes do fracasso, sendo a seguir listadas as principais lógicas que empurram o beta para o fundo do poço.



1) Desonestidade social: parecer-ser o que não é


Muito comum nos dias de hoje, ante a grande quantidade de informações e a superficialidade imposta pelas redes sociais, as pessoas tentam ser notadas com base no que lhes pode ser agregado e não no que são verdadeiramente. Você está numa cidade grande, como que um desconhecido vai saber quem você é? Nada que um corpo musculoso cultivado com academia e ergogênicos de qualidade feitos em farmácias de manipulação credenciadas (e não com mijo de rato subdosado e falsificado do Paraguai), um carro poderoso, roupas estilosas e apetrechos ostentadores (relógios caros, pulseiras e correntes de ouro) não falem sobre você, certo? Sim, com certeza. Ou você é um rico que não tem onde enfiar dinheiro ou é um pobre ostentador querendo atenção e afundado em dívidas. A lógica primária é que quem tem dinheiro não precisa se exibir com isso pois ele tem de sobra e ponto final. Agora, quem não tem e quer aparecer acaba torrando o que não tem para ter o mínimo de atenção de desconhecidos que sequer querem saber da sua existência. Qual o objetivo disso? Carência afetiva? Obviamente. No final da história, o empenho e os recursos utilizados para ter uma atenção qual não lhe seja direcionada acaba gerando uma conta que será paga no futuro não só com dinheiro e saúde, mas com lágrimas e fracasso.



2) Superestimar suas habilidades, sua condição e suas ideias: você é só mais um


Você nasceu feio. Você nasceu pobre. Você nasceu burro. Você nasceu beta. O sucesso para você custará muito mais que para um playboy. Ele já era rico e vencedor antes de nascer, pois em algum momento da história de sua genealogia alguém teve que abdicar dos prazeres para conquistar o sucesso. Se a partir dali os descendentes aprenderam a cuidar e ampliar o patrimônio familiar, a hegemonia desse clã está estabelecida. Alguns raríssimos outsiders conseguem usufruir da vida idílica enquanto jovens, mas a maioria das pessoas só aproveitará os frutos do sucesso quando estiverem envelhecidas. Dessa forma, sempre lembre que suas habilidades são medianas, sendo necessário um esforço hercúleo e abdicação colossal de prazeres para se atingir um nível superior ao das demais pessoas. Não é qualquer um que consegue estudar com afinco para passar num concurso de juiz, de promotor ou passar em medicina. Não é qualquer um que tem a criatividade (sorte e contatos) de DJ's famosos para criar hits que explodem na mídia. Não é qualquer um que tem a habilidade para ser um esportista ou um artista de sucesso. A ideia inovadora que você teve, alguém já pensou e já executou (vide Facebook que é uma rede social semelhante às demais que existem e existiram, WhatsApp que é um mensageiro idêntico ao MSN, ao ICQ, ao mIRC), não seria um idiota como você que criaria uma ideia não pensada até hoje.

3) Atuar em um ramo sem ter conhecimento mínimo para isso: você é igual a todos


Vemos muitas pessoas dando dicas de investimentos de risco certeiros (algo contraditório, pois como o nome diz tem RISCO e quando aliado com ignorância, a probabilidade de fracasso é altíssima), muitas pessoas dando dicas de empreendimentos infalíveis (mesmo com o aviso de instituições de renome que atuam no mercado a século - IBGE e SEBRAE - informando que a chance de falência da maioria dos negócios com idade até 3 anos é de 70%) ou muitas pessoas incentivando o investimento em criptomoedas como se essa fosse a chance imperdível do século (não possuem lastro, não possuem regulamentação e não possuem garantia, sem falar que o boom já passou e que dois premiados com Nobel em economia mais outro investidor de sucesso - Warren Buffet - serem totalmente contra). Entendam um coisa: o conhecimento é o maior ativo que alguém pode ter. A partir do momento em que o indivíduo atua, independente da área, sem ter conhecimento do assunto, é como se ele estivesse se jogando em alto-mar para tentar voltar à terra firme nadando e sem bússola. Se uma informação chegou a você, um mero mortal fracassado, como oportunidade de sucesso, saiba que é furada. Quem ganhou já ganhou, o negócio já se exauriu e você será o trouxa que dará o suporte financeiro para os últimos suspiros dessa "oportunidade". O que mais existe por aí são espertalhões que querem tirar o seu dinheiro, ainda mais se você não sabe o que está fazendo como se meter na furada de constituir sociedade com quem não tem dinheiro e não tem conhecimento de mercado na área que atuará ou pagar consultorias para desconhecidos que não exibem provas de seu sucesso e são meros repetidores de livros de auto ajuda.

4) Negócios baratos e de baixa especialidade: nem todos tem lugar ao sol


Outra questão é a atuação em negócios em que a especialização é mínima, ou seja, todos podem realizá-lo com o mínimo de conhecimento possível. Obviamente que negócios especializados podem gerar altos lucros, mas exigem um maior investimento, maiores equipamentos, maiores conhecimentos e maiores técnicas. Empreendimentos simples demandam apenas mão de obra sem especialização e insumos, só obtendo sucesso no caso de terem tradição ou brigarem pelo preço. Basta alguém ver que sua barraca de cachorro quente está tendo sucesso que montará uma do outro lado da rua com um preço mais acessível para no mínimo dividir a clientela. Basta um diferencial mínimo do seu concorrente que o seu "planejamento a longo prazo" vai pelos ares. Além disso, por ser um mercado concorridíssimo, raramente o empreendedor ficará rico com isso.

5) Ignorar a burocracia: o barato que sai caro


Nunca se esqueçam que no Brasil o empresário é punido por tentar gerar empregos e dinheiro. Ao se atuar em um negócio sem se respeitar as regras, a probabilidade de se complicar é alta. A média de tempo para que a fiscalização retorne após uma visita é de 33 anos, porém se houverem denúncias eles não levam mais que 24 horas para te complicar a vida. Dessa forma, a principal dor de cabeça a evitar se refere aos funcionários. Um determinado indivíduo comentou que constituiu uma MEI (microempresa individual) e estava "empregando" ilegalmente (o certo seria explorar) duas pessoas e pagando 2/3 do salário mínimo (além de escravizar seus pais). Esse mesmo indivíduo não tem conhecimento de que um funcionário chega a custar ao empregador o dobro do salário que recebe (INSS, FGTS, 13o. salário, férias, entre outros) e a partir do momento em que este funcionário comparece por mais de 2x a 3x por semana já está configurado o vínculo empregatício.

Basta apenas o funcionário comparecer à Justiça Trabalhista que a cagada está feita. Já perdi a conta de quantos amigos empresários tiveram que fechar as portas por razões de dívidas trabalhistas. Além disso, a dívida trabalhista tem prioridade no recebimento dos valores devidos, seguidos dos créditos estatais e depois dos credores reais. No caso da MEI, o patrimônio do empresário responde pelas dívidas da empresa, assim como EI (empresa individual) que se divide em ME (micro empresa) e EPP (empresa de pequeno porte). O que mais se vê por aí são otarios que abrem negócios sem nenhum planejamento, apenas fazendo contas de padaria, e depois que entram em falência complicam todo o seu patrimônio e de sua família. Um conhecido aqui do reduto caminha para isso e quem pagará a conta no final? O papai e a mamãe dele pagarão tudo por pena do filho, que só faz burrada na vida e não sabe se virar.

Para evitar que as dívidas invadam seu patrimônio no caso de não existirem fraudes, é muito melhor montar uma EIRELI (empresa individual de responsabilidade limitada), porém o custo do capital social é alto (100 vezes o valor do salário mínimo nacional). Evite sociedade LTDA (limitada) a todo custo, pois é a maior cagada que você pode fazer. Sócios só servem para uma coisa: brigar. Ao findar a sociedade, sua parte será determinada com base no patrimônio líquido contábil, ou seja, até os garfos e as facas da cozinha serão contabilizados para a cisão do patrimônio e se a empresa está com dívidas você sairá com menos do que entrou e ainda ficará mais dois anos responsável pelos compromissos assumidos até a dissolução.

6) Otimismo: ferramenta dos otários


Tenha em mente que a chance do fracasso é infinitamente superior ao do sucesso. Quanto tempo você leva para construir uma casa bonita? E se ela for ainda cheia de detalhes arquitetônicos? Serão meses, até anos. E para destruí-la? Um dia, no mínimo. Seguindo essa analogia, a chance de estragar tudo é muito superior ao empenho de se construir algo. Dessa forma, devemos ter em mente que a partir do momento que tomarmos uma decisão, essa deverá ser analisada da pior ótica possível, pois a superestimação da condição atual e da futura é o que causou as diversas crises pelas quais todos passaram. O equilíbrio do mercado muitas vezes esta baseada não no valor circulante e número de negociações, mas nas expectativas futuras dos negócios que serão realizados. Basta uma notícia ruim que todo o castelo de cartas se desmorona.

Conclusão

Enfim, listei apenas alguns dos fatores que direcionaram grande parte dos meus amigos empresários para o fracasso. Além disso, observamos um conhecido nosso que diz ter montado uma biboca que vende x-salada "artesanal" e que lucrará R$ 7.000 ao mês com base numa progressão aritmética de evolução do faturamento sem base alguma. Ele não leva em conta que o mercado que ele atua tem um nível de competição, saturação e incerteza muito altos, além da limitação natural do ser humano na confecção do trabalho (ainda mais quando este não exige qualquer especialização intelectual e é preguiçoso por receber um "salário" de miséria), precisando dessa forma contratar mais pessoas, o que esbarrará no tamanho do espaço físico (ele está usurpando a garagem dos pais e os escravizando também) e na regulamentação de sua empresa. A ilusão de sucesso acaba por ser o principal fator de fracasso do iludido e extremista, o qual achando que está tendo sucesso não percebe que já está falido assim como a maioria dos empreendedores que não possuem os pés no chão.

Além disso, gostaria de reafirmar que este blog é 100% honesto e não precisa de mentiras para propagar o sucesso da filosofia diabística. Todos sabemos que sou um ferrenho defensor da causa betística e as intrigas que alguns haters têm criado com outros blogueiros apenas enfraquecem a nossa causa tão desacreditada, às vezes, por nós mesmos. Defendo que outros blogueiros devam crescer e evoluir a fim de unirmos nossas forças, pois como muito tem se visto por aí, a nossa forma de pensar e de ver o mundo incomoda muita gente exatamente pelo fato de não aceitarmos as regras sociais impostas sem fazermos críticas. Vivemos numa época em que os adultos não passam de crianças egoístas e mimadas, pois ao invés de aceitarem e apenas ignorarem aquilo que não gostam ou os incomodam, querem censurar e destruir aqueles que não lhes agradam. Obviamente nesse quadro não se inserem aquelas pessoas que através de atalhos ilegais e opiniões erradas querem fazer o beta se afundar ainda mais no lamaçal em que se encontra. Lembrem-se: o canto da sereia é doce, mas o final da história será sempre vil e cruel. Não acreditem em quem oferece uma solução rápida e fácil, pois o mundo é frio, difícil e mal.

Nunca se esqueçam: Só o dinheiro salva.


Um abraço do Pobre-diabo.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Como um beta pode mudar sua realidade?


Saudações, betas deste honrado recinto diabístico! Antes de tudo quero dizer que estou muito feliz e consegui uma marca histórica em minha vida: estou há um dia sem beber! Porém tenho fumado o dia inteiro meus cigarros de cereja, pois eles acalmam essa minha mente doentia. Confesso para vocês que novamente tenho andado muito reflexivo sobre minha vida e os rumos que ela tomará nos próximos anos. Quando você é jovem acha que poderá ser e ter tudo o que quiser, ainda mais quando você ouve frases chavões como “acredite nos seus sonhos”, “tudo é possível, basta ter fé” etc, quando na verdade o seu destino já foi definido pelo universo, por Deus, Zeus, Satanás, Odin, Osíris, seja quem for, sendo muito difícil você mudar essa realidade. O que eu quero dizer na verdade, longe de qualquer tipo de misticismo, é que o sucesso pleno é passado de geração em geração, sendo muito difícil quebrar essa corrente.

A BBC publicou uma notícia apresentando um estudo realizado pelo Banco Central italiano, constatando que em um período de quase seis séculos as mesmas famílias continuavam ricas até 2011 e os sobrenomes dos contribuintes mais pobres também não tinha mudado. Corroborando com isso houve outro estudo, dessa vez na Inglaterra, entre os anos 1170 e 2012, e a mesma conclusão se teve, demonstrando que as mesmas famílias ricas da Inglaterra são ricas e poderosas há 28 gerações. Essas elites sempre se mantiveram nas camadas mais altas da sociedade e se mantiveram nos postos governamentais mais altos, nas universidades mais prestigiadas e nas diretorias de grandes empresas. Nenhuma transformação na sociedade fez com que essa realidade mudasse, nem a Revolução Industrial, disseminação da escolarização universal, ascensão do estado socialdemocrata, Guerras Mundiais, tratados, acordos, NADA!

Aí você beta excremento acha que o pequeno negócio que montou com lixosos 10k virará uma multinacional, que fazendo uma faculdade de Direito facilmente será um juiz federal, promotor ou delegado, que fazendo uma faculdade de Administração será um CEO de uma grande multinacional, que investindo em ações e criptomoedas será um novo Warren Buffett ou ainda poderia ser um atleta ou artista conhecido. Não, seu imundo fedorento, o nosso destino já foi traçado antes de nascermos, pela nossa condição social e genética, e só em casos raríssimos e baseados na pura sorte que um beta vira rico, como, por exemplo, ganhadores da Mega Sena, quem pegou a alta das criptomoedas, alguma startup, alguns YouTube famosos, artistas etc, ou seja, algo praticamente impossível para nós betas. As estatísticas não mentem, de cada dez empresas, seis fecham antes de completar 5 anos (IBGE), pois o mercado é extremamente competitivo, oligopolizado e dominado por grandes empresas capazes de produzir muito a baixíssimos custos, concursos públicos têm 500, 1000, 2000 e até mais candidatos/vaga e isso para remunerações nem tão altas assim, tendo muitas pessoas extremamente inteligentes e qualificadas tentando, ações e criptomoedas são extremamente voláteis e muito difíceis de se estabelecer tendências (embora muitos idiotas acreditem fielmente nas análises técnicas e fundamentalistas da vida feitas por “especialistas”).

Ele gastou mais de 8 milhões em apenas uma festa, uma quantia que você jamais verá na sua vida, nem se você vivesse 300 anos. Será que a mocinha aí se deu bem? A geração dele sempre será rica e poderosa, enquanto a sua sempre será de betas fracassados que andam de Uno Mille e comem marmitex no almoço

Algumas filosofias buscam pregar a aceitação de sua simples condição, como os evangélicos, por exemplo, que dizem que foi Deus que quis que você fosse um fodido na vida. Eu já enxergo tudo de forma racional e matemática. Meu pai pobre e escroto estava com tesão, comeu a minha mãe feia e nasceu um ser abominável, uma aberração da natureza, não sabendo se realmente era um humano, um filhote de urubu ou um pedaço de merda, ou seja, este Pobre-diabo. Os pais dos meus pais fizeram a mesma coisa e os pais deles a mesma coisa e assim por diante, reproduzindo-se como animais. Todos esses trastes nunca pensaram em acumular dinheiro, em poupar, investir, estudar, nada disso! Queriam apenas comer, beber, meter, fazer filhos e dormir. Nenhum mudou a sua realidade, sempre passando a desgraça para a geração seguinte. Nenhum bem passou de geração a geração no caso desses infelizes. A única herança foi a genética betística, contas e a burrice. Eu queria ter uma máquina do tempo para poder voltar e ver meus antepassados, será que eles eram tão betas quanto eu? 

Enquanto isso, o playboy foi fruto de uma relação planejada, em que seus pais já tinham boas condições financeiras antes de casar, já planejaram os estudos do filho, sua faculdade, seu emprego, seu plano de saúde, sua boa alimentação, o carro que dariam de presente quando ele fizesse seus 18 anos e sua rica herança, e isso quando ele era ainda um espermatozoide e estava nadando no meio da porra acumulada dentro do saco enrugado de seu pai. A mesma coisa aconteceu com os pais, avós, bisavós, tataravós, tetravós, pentavós até os cúavós do playboy. Foram famílias com cultura, discernimento, planejamento e com todo o amparo possível, as quais passaram todo o tipo de cuidado para seus filhos, preparando-os para serem vencedores. Não só isso, mas também os filhos já herdaram a riqueza de seus pais, havendo apenas uma transferência da renda, sem a necessidade de começar a ganhar dinheiro do zero e sozinho, o que justifica a afirmação de que eles já nasceram ricos e morrerão ricos.

Reflitam comigo, qual a probabilidade de um beta que nasceu de dois pais fracassados e burros, sem dinheiro, sem orientação, sem perspectiva nenhuma, sem contatos, perdido no mundo virar rico algum dia? Praticamente nula. Isso serve para outras situações também, como por exemplo com as mulheres. Qual seria a razão de uma loira linda e gostosa ficar com um beta horroroso, pobre e nojento como você se ela pode escolher quem ela quiser e com muito mais dinheiro que você? O que pode acontecer é você se desenvolver e conseguir mudar a sua realidade, como foi o meu caso, ganhando uma remuneração muito acima do que eu já imaginei ganhar algum dia, sendo o mais abastado da família. Eu jamais serei um Dan Bilzerian, isso é obvio, mas terei alguns confortos e prazeres que a maioria não tem, como viajar anualmente para a Europa, transar toda semana com damas da luxúria, comer e beber bem e ter um bom carro e isso já está de bom tamanho. O único motivo de eu poder me dar esses luxo é por ter batalhado muito e aberto mão de viver muita coisa para poupar e investir para o futuro. Se algum dia eu tiver um filho, provavelmente essa pessoa será alguém foda na vida, pois eu farei de tudo para ele ser um vencedor, guiando-o pelos princípios da infalível Filosofia Diabística e provavelmente deixarei uma boa herança para ele.

Eu passando valores viris, másculos e diabísticos para o Pobre-diabinho para que ele não repita os mesmo erros que eu cometi e perpetue o betismo em nossa família, essa doença terrível que assola bilhões de homens no mundo 

Por isso eu sempre digo para vocês não ficarem sonhando demais, como os dois idiotas fracassados que vendem lanches para pobre, um na garagem da mamãe e outro em uma barraca de cachorro quente, falando que vão lucrar horrores e terão franquias de sucesso como Bobs e Burguer King, ou como retardados que vão morar ilegal fora do país, são explorados, não conseguem juntar nada e ainda se acham poderosos por andarem em carro novo e morarem em casa de 100m², não vendo que aquilo é temporário, que não serão legalizados nunca, que não têm previdência e nenhum direito social e que ficarão um dia velhos e impossibilitados de catar bosta de americanos. Ou ainda podemos citar animais que acham que passarão em concursos fodas e em Medicina, mas os excrementos sempre foram os piores alunos da escola e nunca leram um livro sequer, sendo que só caras inteligentes, extremamente decorebistas e geralmente de famílias abastadas passam. Você é só mais um, seu beta fedorento! 

Eu só tenho pena de caras que deixam a vida passar e não fazem nada. Vejo marmanjos perdendo tempo com games, enquanto poderiam estar estudando, se especializando ou trabalhando, outros perdendo tempo e todo seu dinheiro com bombas falsificadas que só estão destruindo a saúde deles e os deixarão com terríveis sequelas nos próximos 20 anos, alguns perdendo tempo e dinheiro com negócios que já nasceram falidos, betas perdendo tempo com mulheres que destroem seu psicológico, levam toda sua grana, não dão sexo e os fazem de servos, alguns perdendo tempo fazendo faculdades sem perspectiva de emprego e em uniesquinas, tem aqueles que perdem tempo com farra em baladas e bares, andando com gente fracassada que nada tem a agregar, enchendo a cara com cerveja barata e terminando a noite sem comer ninguém e tem ainda os que estão apenas sobrevivendo, praticamente estancados na vida, sem fazer nada, sem ganhar nada, apenas vivendo um dia após o outro em seus empreguinhos de fracassados, ganhando seus míseros 1,5k por mês, que não pagariam nem 10 dias de curtição com minhas cervejas artesanais e minhas lindas damas da luxúria.

O que fazer então? Seja estratégico e não deixe a vida passar, pois o tempo é precioso demais! Analise quais são as suas condições e qual é o caminho mais fácil e rentável. Dificilmente você um mero mortal irá ganhar mais do que 3k por mês sem ter nenhuma especialização ou network. Para mim o melhor foi estudar, fazer muitos cursos, aumentar minha rede de contatos e saber jogar, pois todos querem o teu coro, pisar em você e se dar bem. O seu currículo é precioso, então não manche ele com faculdade e especialização bosta, tenha boa experiência profissional e faça uma boa rede de contatos (se envolva com pessoas que agreguem algo e não com pobres fracassados). Se você é burro, então faça um curso técnico em áreas com bastante mercado, trabalhe muito e acumule dinheiro. Se você é um completo fracassado, burro, fraco e preguiçoso então peça dinheiro no semáforo ou cuide de carros. O seu futuro depende de você, então não perca seu precioso tempo com inutilidades. Procure se desenvolver de forma diabística, aprimorando todas as áreas de sua vida. Não existe dinheiro fácil, então aprenda a poupar e investir, única forma de um beta ser alguém algum dia.

Só o dinheiro salva e te dará paz, conforto, prazer, saúde e felicidade. 


Um abraço do Pobre-Diabo!


Obs:
- Aos betas donos de blog ou que querem criar, se quiserem integrar a Diabosfera, então solicitem que eu os adicione ao meu blogroll e mandem seus contatos. 
- Quem acompanha o reduto diabístico desde o início sabe o quanto já sofremos ataques aqui, mas fomos fortes e vencemos. Haters sempre existirão, assim como betas antenados e inteligentes que não aceitam nenhuma desonestidade. Se você está sendo atacado (eu já fui muito), defenda-se e argumente ao invés de ficar chorando e culpando injustamente aos outros. O reduto é democrático e todos podem comentar aqui, inclusive quem se sentiu atacado. 
- Saliento que sou um grande apoiador da causa beta e quero mais é que todos os blogs cresçam e que nossa a Diabosfera se fortaleça. 
- Quero mais uma vez destacar aqui que esse reduto é 100% honesto e que eu nunca comentei deslogado aqui e nem teria motivos, pois o reduto tem uma infinidade de visualizações e comentários, que eu mal dou conta de ler, moderar e responder. Além disso, tenho a infinidade de e-mails que recebo e respondo. Ou seja, tenho mais o que fazer. 

sábado, 14 de abril de 2018

A beleza não é tudo!


No post passado falei da minha experiência de ter saído com um amigo gordo e careca, o qual mesmo sendo altamente social era invisível para as mulheres. Pois bem, minha experiência no domingo e ontem foi diferente, pois fui a um barzinho com três amigos, um beta B fedido igual a mim e outros dois betas A, beirando o semialfismo. Eles ganham seus 2k a 3k por mês, vestem-se bem e são engraçados. Eu como sou um beta B, covarde como uma cadela, introvertido, antissocial e tímido, antes de ir tomei doses cavalares de elixir dos deuses (cervejas artesanais) para me soltar um pouco mais e fumei alguns cigarros de cereja para me acalmar, pois não queria passar a imagem de ser o bobão do grupo.

Já para chegar impondo respeito, coloquei meu relógio Teg Heuer novo, uma pulseira de ouro no pulso direito, joguei o cabelo para trás com uma pomada de efeito molhado e vesti uma camisa mais justa listrada, estilo lenhador. A intenção era demonstrar sucesso, através de poder e dinheiro mesmo. Só em roupa e acessórios eu já tinha mais que todo o patrimônio do blogueiro cujo nome é de uma ave e é conhecido por ser mentiroso e péssimo nos negócios, tanto que abriu um cachorro-quente junto com mais seis sócios. Enfim, encontrei a rapaziada e já iniciamos o ritual alcoólico, com combos de bebidas, caros por sinal, pois eles queriam atrair mulheres com isso. 

Percebam que normalmente em grupos sociais homens querem se gabar com sua virilidade sexual, para tanto contam história exageradas que beiram o impossível, sempre inventando ou aumentando o que verdadeiramente aconteceu, como o nosso amigo falido aqui do reduto que mora com a mamãe, tem uma moto velha, usa roupas ridículas e infantis do Justin Bieber e se entope de bombas falsificadas altamente prejudiciais para a saúde, o qual inventa história de que todas as mulheres aonde ele vai ficam de queixo caído ao olhar para o seu corpo como cadelas no cio. O detalhe é que a primeira favelada, magricela de 35kg, sem bunda e rodada que ele pegou já a pediu em namoro, deu aliança e até virou crente para tentar fazer a moça esquecer o passo negro dela, já planejando até casamento. Que exemplo de alfismo, não? 


A grande verdade da vida é que você deve ser sempre racional, pensar unicamente em si e em sua felicidade, prazer e conforto, abandonando todo o tipo de ilusão e extremismo. Quase a totalidade dos homens se encantam com rostinhos bonitos e angelicais delas e já as imaginam como verdadeiros anjos puros e virgens, sonhando em tê-las somente para si e ser amado como se em um conto de fadas estivesse. Ledo engano, quanto mais bonita uma mulher é, mais ela é assediada, mais alfas e betas estão no seu pé, recebendo milhares de mensagens, curtidas, cantadas e convites, assim, mais confiante e seletiva ela é e muito mais experiência ela tem. Isso quer dizer que com certeza ela já experimentou muitos pênis diferenciados (e o seu será o menor de todos), já tomou muito leitinho de alfa (mas vai te dizer que nunca fez isso), já fez muito sexo anal (com os ex e com alfas também, sempre mentindo que nunca fez), já deu de primeira para vários e até surubas já pode ter participado, porém sempre se fazendo de santinha e mentindo que ficou com pouquíssimos. 

Enfim, sabendo de tudo isso e nunca buscando me iludir, enxergo o mercado sexual e sentimental (não acredito em amor!) sempre de forma estratégica, tendo sempre como objetivo o sexo, pois não sou carente de atenção fútil feminina. O problema é que quando você é um beta B mais feio que cu cagando, um filhote de urubu, parecendo uma mistura de Batoré com Cerveró fica tudo mais difícil. Mais difícil ainda quando você está em um grupo em que você é horrendo e tem alfinhas no meio, como foi o nosso caso, em que um dos caras era alto (também sou), físico Atlético, vestia-se bem e tinha rosto bonito e o outro era magro, mas elegante e com rosto agradável também. Depois de beber algumas, tentamos socializar com algumas garotas. Era engraçado que todas com que nós conversávamos ouviam sempre com atenção e riam quando os betas A falavam e com os betas B aqui era só desprezo, não importando o quão inteligente e engraçado fosse. Eu, como sou um autista com uma mente doentia, apenas observava isso. 

Alguns iludidos irão querer vender as ideias de PUAs e Jogos Sociais, que parecem ser tiradas de filmes de adolescentes colegiais, dizendo que se vestir bem, falar grosso, olhar com charme, demonstrar autoridade e ser engraçado fará as mulheres deliciosas cair aos seus pés, não importando o quão feio você é (um desses é o cara que namora a favelada magrela de 35kg). O objetivo desses idiotas é ganhar a atenção feminina, enquanto na Filosofia Diabística focamos unicamente no sucesso do beta. A verdade é que antes de tudo elas fazem um raio-X completo de você e em poucos segundo analisam a sua barganha (beleza, poder e dinheiro) com a dela (apenas beleza). Em um primeiro momento alguns até enganam elas com conversa fiada, beleza, roupas, relógio e por estar em camarotes, mas é só a fêmea ver que o cara é um fracassado que ela o larga na hora e parte para um melhor, como foi o caso dessa noite.

Não, seu beta imundo, você não irá pegar uma loirinha dessas sendo feio e pobre. Não adianta usar técnicas PUAs infantis, pois ela tem poder de barganha e muitos alfas e playboys aos seus pés. Ela não vai querer um betoso ridículo e fedorento igual a você

Não adianta espernear, criar teorias e querer contar vantagem aqui, porque se você é um beta pobre e fracassado que não demonstra poder e dinheiro, será rejeitado como um papel higiênico cheio de bosta por elas e se pegar alguma só será mulher lixo (nota 1 a 4). Você até pode dar uns beijinhos na balada por ser bombadinho e parecer playboy, mas só enquanto ela não saber ainda quem é você, pois na hora que ela ver que você mora com a mamãe, anda de moto barata, entrega pizzas e não tem um puto no bolso para dar conforto e prazeres para ela, vai te largar sem dó para pegar um que dê isso, afinal é o que elas procuram. Daí você vai ter que se contentar com uma baranga favelada e rodada se quiser ter uma namoradinha e sentir o falso sentimento de ser amado.

Depois de beber várias com meus amigos e mais 3 garotas que conhecemos lá (uma era gorda e feia e as outras duas eram nota 5 e 6, mas altamente comestíveis), todas elas eatavam dando moral para os dois betas A e rejeitando eu e o outro beta B asqueroso, fingindo que éramos invisíveis. Não importava o que eu falasse, elas nem prestavam atenção e nem davam continuidade ao que eu falava, mas quando eram os dois betas A exibidos que faziam suas graças e macaquices elas davam gargalhadas, o que incentivava eles a fazerem mais palhaçadas ainda. Isso já estava me incomodando muito porque eu estava pagando bebida para todo mundo e vendo que quem iria comer aquelas vadias seriam eles. Longe de mim de ser um mangina ridículo, falei que iria embora e todos decidiram ir também. Elas falaram que queriam carona e os dois betas A já se prontificaram, certos que comeriam aquelas safadas.

Ao chegar ao estacionamento, ficamos ali conversando mais um pouco, eu fiquei conversando com o betoso ridículo, enquanto as 3 safadas ficaram conversando com os betas A. Depois eu vi eles mostrando o carro deles para elas (os dois vieram juntos em um carro popular 1.0, simples e lixoso), sendo essa a deixa para eu mostrar o meu poder financeiro. Fingi que fui buscar algo no carro, desliguei o alarme e entrei no lindo e poderoso Diabo-móvel, saindo depois e voltando para o grupo, só para que elas vissem que aqui tem café no bule. Na hora vi que o olhar delas mudou para comigo e já começaram a fazer gracinhas para o meu lado. Uma delas diz: "então vamos embora, gente? Com quem nós vamos?". Na mesma horas os dois betas A exibidos já falaram que eles levavam elas embora. Elas, no entanto, perguntaram para onde eu ia e eu falei o meu bairro, que era longe do delas e que os caras moravam  mais perto.

Como as garotas se sentiram ao verem o carro lixo dos caras, automaticamente os enxergando como fracassados

Surpreendentemente (ou não) as duas mais gatas falaram que era melhor irem comigo, para não me deixar sozinho, visto que os dois já estavam juntos. A gordinha para não ir com os dois, já se abraçou com o o outro amigo betoso, ficando os dois betas A exibidos sozinhos. A cara que eles fizeram foi ótima e na hora eu senti um gostinho muito bom da vitória, confesso, pois os dois mais betoso iriam terminar a noite com as 3 moças. Como eu estava com duas mulheres comigo, decidi investir estrategicamente na que era mais feia e que me dava mais abertura, então fui primeiro na casa da outra deixar ela, para depois voltar sozinho com a minha presa. Fomos conversando no caminho e elas muito simpáticas, diferente de como estavam dentro do bar. Quando deixei a primeira em casa ela agradeceu e disse: "obrigada amigo, você é um amor". Antes que eu pensasse em investir na que sobrou, ela disse: "ai amigo, não precisa me levar, eu vou dormir na casa da minha amiga". Tentei dizer para ela que eu a levava, mas não adiantou. Para não sair no zero a zero pedi o telefone delas, tendo uma me dito: "passa o seu que eu anoto aqui". Fiz isso e fui embora.

Fui um mangina otário? Talvez sim, pois além de pagar bebidas para elas servi de taxista gratuito, sem ganhar nada e nem o telefone delas consegui pegar, não sabendo se algum dia me mandarão mensagem. De certa forma eu me senti usado por elas, mas quer saber? Que se foda isso, todas só querem saber de se dar bem, ganhar conforto, dinheiro e prazer, pois nada é de graça nessa vida. O que me confortou e me deixou feliz foi lembrar a cara de idiota dos dois caras metidos a alfinhas sendo trocados pelo beta B imundo aqui depois de elas virem meu poder financeiro frente ao deles. Sabe o que é o pior de tudo? Que o único ali que transou foi o cara mais beta e feio de todos, ele contou que até gozou na boca da gordinha. Isso só demonstra que a beleza não é tudo, que se você for um merda será duramente desprezado e trocado e que só o dinheiro pode salvar o beta. 


Um abraço do Pobre-diabo!