quarta-feira, 17 de julho de 2019

Uma nova vida diabística


Saudações, betosos. Hoje foi um dia diferente dos outros, acordei sem ressaca, pois não precisei beber para dormir essa noite. Olhei o sol batendo pela janela nessa manhã linda e levantei da cama. Ao me olhar no espelho do banheiro não vi mais aquele rosto cansado de sempre e aquelas olheiras de muitas noites mal dormidas. Isso não quer dizer que fiquei menos feio, afinal, eu sou um beta B mais feio que cu cagando, um filhote de urubu, uma verdadeira aberração da natureza, mas pelo menos estava com uma fisionomia mais agradável. Comecei então a refletir no que posso fazer para melhorar minha vida diabística. 

Como não tenho como mexer na minha cara horrorosa, a não ser que algum dia consiga fazer algum transplante de face, decidi que vou cuidar mais do meu físico, com boa dieta, ginástica e exercícios físicos. Quanto ao meu estilo, acredito que já está bem supimpa e tem chamado sempre a atenção dos brotos. Ao sair tenho andado de calça Jogger, suspensório, paletó suede bege, camisa listrada, coturno urbano, relógio Tag Heuer, corrente de ouro, pulseira de couro e, para lacrar, a poderosa boina italiana. Quando estiver em um estilo mais sport e descolado, estou pensando em começar a usar bandana.


Quanto às minhas finanças, posso dizer que estou muitíssimo confortável. No entanto, não vou exagerar nos gastos, afinal, estou desempregado. Já negociei meu carro e vou pegar um mais simples, obviamente que automático e que minimamente chame a atenção das garotas. Estou pensando ainda em algumas opções para investir melhor meu dinheiro, pois eu estou demasiadamente conservador (esse nome me dá nojo). Como sei que alguns falarão para eu empreender, já respondo de antemão que essa também pode ser uma opção, porém de forma planejada e inteligente e não de forma infantil como alguns iludidos e extremistas pregam aqui. 

Em relação ao meu estilo de vida, continuarei vivendo de forma diabística, porém sem excessos. Quero diminuir os cigarros, substituindo-os por cigarro eletrônico com essência de cereja. Quero parar com os destilados também, pois são pesados e têm feito mal para mim, vou continuar só com os elixires dos deuses (cervejas artesanais) mesmo, pois refrescam a minha alma, relaxam e me fazem feliz. E as damlux (damas da luxúria)? Ah, as damlux, as deusas do pecado, as sacerdotisas da promiscuidade, as rainhas da devassidão, as princesas da libertinagem, essas eu não posso abandonar, pois são donas do meu coração e fazem parte da minha vida diabística.


No começo foi bem difícil para mim ter sido despedido e mudar completamente minha rotina, porém depois dessas duas semanas posso dizer que já estou me acostumando. Ter vivido em um ritmo tão frenético por tanto tempo fez com que eu não conseguisse desacelerar e isso me custou muito estresse e depressão, embora tenha me concedido uma excelente condição de vida atualmente. Agora quero fazer algo novo, algo para marcar minha vida. Quem sabe fazer uma viagem poderosa? Ou um intercâmbio? Ou ainda uma tatuagem de âncora no braço? A única coisa que eu sei é que só a Filosofia Diabística salva!


Um abraço do Pobre-diabo! 

sábado, 13 de julho de 2019

O destino de um pobre-diabo desempregado


Um cão sarnento, feio, fedido e pulguento. É exatamente assim que estou me sentindo agora. Agora tenho todo o tempo do mundo, mas me sentindo um desocupado. Parece que estou jogando no lixo um enorme potencial que sei que eu tenho, devido à minha experiência de vida, bom currículo e vivência. Ficar em casa sem fazer nada, sabendo que você pode estar ganhando muito dinheiro, é realmente uma grande bosta. 

Agora que estou em casa em tempo integral vejo como é ruim se sentir um inútil sem valor e sem importância. Onde está todo aquele status? E as reuniões em que eu era uma pessoa importante? E os executivos que eu tinha contato no dia a dia? E todo aquele glamour? E os olhares de admiração e de desejo das estagiárias e secretarias gostosas? Nada! Nenhuma ligação; Nenhuma mensagem. Entre uma merda fedida na grama e eu, arrisco a dizer que a merda tem mais importância nesse mundo.

Tenho passado o dia todo bebendo, fumando, sem tomar banho e nos momentos sãos eu procuro alguma damlux. Acredito que isso é um estágio para me preparar para esse tipo de vida, afinal, sair de um ritmo frenético em que você é tão importante e do nada virar um desocupado fracassado e sem emprego como o Anti-PD não é para qualquer um. Quem sabe mais alguns dias eu vou me acostumando. Só não posso exagerar muito para não acabar morrendo precocemente.


Enfim, como chorar não leva ninguém a lugar algum, preciso decidir o que farei de minha vida e as opções são as seguintes:

1) Ficar alguns meses em casa curtindo uma vida tranquila de "férias", pois a grana investida e a bolada recebida me proporcionam isso - e com um bom conforto (elixir dos deuses + alta gastronomia + damlux);

2) Procurar um novo emprego logo para seguir com o ritmo que já estava acostumado, retomar contatos profissionais, voltar a ter um certo status, elevar a renda e me sentir útil;

3) Viajar para algum lugar diferente, com uma rotina e cultura completamente diferentes, a fim de mudar completamente minha visão de vida. Ou fazer um intercâmbio de alguns meses para algum país de primeiro mundo;

4) Parar de beber e fumar, praticar esportes, fazer algum hobby, me aproximar mais da família, ler bons livros, namorar várias garotas e cuidar mais da minha mente doentia;

5) Viver de forma idílica diabística por alguns meses, gastando um bom montante para isso. Viver com luxo e sofisticação, frequentar lugares de alto nível, comer e beber do bom e do melhor e degustar muitas damlux no estilo panicat, fazendo verdadeiras festas bilzerianística.


O que vocês fariam?


Um abraço do Pobre-diabo! 

domingo, 7 de julho de 2019

Qual é o sentido da vida?


Passei o sábado todo consumindo elixir dos deuses (cervejas artesanais) ao ponto de não saber mais o que era realidade ou sonho, pois passei o dia sob os efeitos inebriantes e transcendentais desse líquido divino, responsável pelo êxtase que tanto procuro para a minha vida. É claro que se por um lado essa poção mágica só traz bons sentimentos, pelo outro ela cobra o seu preço, qual seja essa terrível ressaca que estou tendo agora. O fato de acordar vomitado e mijado na garagem é um mero detalhe. 

Enfim, como todos sabem agora estou desempregado, porém com uma grande bolada de grana, capaz de me proporcionar muito tempo sem precisar trabalhar. Será que isso é bom? Por um lado é, pois você dá uma desacelerada na vida tão corrida, porém tenho medo de não aproveitar todo o meu potencial e desperdiçá-lo com coisas inúteis. Percebo que minha mente betística foi adestrada para trabalhar, se desenvolver e crescer, além de sentir-se útil e ocupada, como aqueles japoneses workaholics, que o trabalho é sua razão de viver e depois que se aposentam caem em depressão por não se sentirem úteis e acabam ceifando suas próprias vidas. Não quero ser um cara desses.

Preciso também trabalhar muito minha mente, saber curtir mais a vida, afinal, qual sentido ela tem? Se pensarem bem, todos passam sua vida trabalhando como escravos, economizando, abrindo mãos dos prazeres mais idílicos, casam, viram escravos da esposa gorda e dos filhos ranhentos, torram toda sua grana sustentando esses inúteis, para no final da vida estarem velhos, veios, com saúde debilitada, chatos e sozinhos. No final todo mundo esquece de você, que só foi útil para sustentar e dar uma vida boa para os outros, agora já não tem mais serventia alguma e será abandonado e descartado como um papel higiênico cheio de bosta jogado no lixo.

Nada melhor que ter um amor verdadeiro, não acham? 

Como eu já atingi um bom patamar financeiro e patrimonial eu posso afirmar aos senhores que eu quero começar a viver de verdade. De que vale ter muito dinheiro, mas estar com 50 anos, com a cara enrugada, pançudo, pau mole e fraco? Ou de que vale torrar tudo e ter uma vida idílica com 20 anos e chegar aos 50 vivendo como um mendigo por ter gastado tudo e não pensado no futuro? Qual seria o meio termo disso tudo? O que seria o certo a fazer? Posso afirmar para vocês que a Filosofia Diabística já me trouxe várias respostas sobre isso e o segredo de tudo está em nossa mente e como programá-la. 

A nossa mente é capaz de te levar para o sucesso ou completo fracasso. Os piores inimigos nossos são as ilusões e extremismos. Elas fazem betas torrar tudo com manginismos e matrixianismo. Se você escolhe se desenvolver de forma diabística, percebe que o que importa é sua estratégia de vida e o que busca para suprir unicamente seus prazeres e desejos próprios, sem nenhuma ilusão. Esqueça aquele amorzinho verdadeiro, pois ele não existe, procure a diabisticidade. Entenda que o que você tem é um afrodisíaco para qualquer coisa que almeja, portanto, procure ter muito dinheiro, pois só ele salva.

Ou se você não se importa com isso, então escolha viver como um frade ou um monge, com seu voto de castidade e de pobreza. No fundo, é a nossa mente a responsável pelo que você quer da sua vida. Se você faz uma auto reflexão sobre sua vida, suas capacidades e habilidades, você facilmente sabe aonde poderá chegar. Cabe a você aceitar isso ou não, ou se entregar à matrix, que sempre será uma ilusão e chave para o fracasso. Eu sei aonde posso chegar, pois a Filosofia Diabística é perfeita, e minha vida nunca será medíocre. Quero paz, conforto e prazeres. Quero uma vida idílica, quero uma vida bilzeriana, quero uma vida completamente diabística e vou correr atrás disso até aonde for!


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Um pobre-diabo desempregado


E o dia que eu esperava chegou e eu não imaginava que seria tão doído. Todo funcionário de alto escalão teme em ser mandado embora, por isso trabalha além do esperado e é viciado em bater metas. Eu sempre fui um desses, tanto que para mim era normal trabalhar de 2 até 5 horas além do normal. Mas, como o mercado só enxerga números, busca sempre reduzir custos e aumentar receitas, fui chamado pela diretoria para conversar.

O diretor começou elogiando o meu trabalho, falando de minha história na empresa etc. Nesse momento já comecei a tremer e meus olhos encheram de lágrimas, pois ninguém te elogia assim do nada, geralmente é para preparar o seu psicológico para a porrada que está por vir. Ele continuou falando que eu era pró-ativo, dedicado e inteligente, porém meu cérebro já não processava mais nada, até comecei a tontear, momento em que ouvi um bem sonoro "MAS"... "O mercado está difícil e há uma grande necessidade de reduzirmos custos, por isso precisamos te desligar. Não é pela sua competência, é por necessidade, é para que a empresa sobreviva!"

Nesse momento eu tentei me segurar com todas as forças, mas comecei a chorar, pois mesmo ouvindo vários burburinhos de que haveriam cortes, ainda não queria acreditar nisso. Ele se levantou, deu três tapinhas nas minhas costas e disse: "Diabo, você sabe que tem muita competência, tenho certeza que sairá daqui e vai para um lugar muito maior e melhor. Às vezes algumas coisas ruins vêm para nos preparar para voos ainda maiores". Como eu odeio discursos motivacionais quase que meti a mão na cara desse gordo, mas estava abalado. Eu e mais 6 rapazes do mesmo nível fomos desligados, mais vários empregados de menor escalão.


Hoje pela manhã eu encaixotei as minhas coisas e cumprimentei um por um da minha equipe, agradecendo o período em que trabalhamos juntos. Era nítido que todos eles faziam caras de que sentiriam a minha falta, mas no fundo estavam felizes de me ver tomando no cu. Depois passei pelo corredor e observei vários olhares sádicos e psicopatas de vários funcionários dando garganhada em seu interior por ver a desgraça alheia, ver alguém melhor que eles se fodendo. Enfim, mais um ciclo que se encerra em minha vida.

Passei no RH e financeiro e fui fazer os cálculos do que tenho direito, ou seja, aviso prévio indenizado, acerto, férias e FGTS. Confesso para vocês que a tristeza que eu estava se tornou alegria ao ver a grande bolada que eu tenho direito que será paga até o fim do mês. Para melhorar ainda mais e arrebentar a boca do balão, receberei alguns bônus de rendimento que eu não esperava. Supimpa! Chuchubeleza! Contando a grana que tenho investido e mais o que receberei posso dizer que estou tranquilo para ficar um bom tempo sem trabalhar. Se vendesse meu imóvel e meu carro então aí sim eu estaria nos céus e viveria de forma idílica a la Dan Bilzerian.

Enfim, meus camaradas, agora terei tempo livre para colocar a cabeça em dia, só não sei se vou me acostumar a ficar tanto tempo ocioso, pois foram muito anos em uma rotina louca, sem tempo para nada, sem descansar direito e pensando a todo momento no trabalho, como todos os workaholics. Não sei nem o que farei agora, pois estava acostumado à minha rotina de acordar às 6h e chegar depois das 20h em casa. Pelo menos terei bastante tempo para pensar o futuro da minha vida e planejar o que for melhor e mais diabístico. 

Será que vou passar o dia inteiro ocioso? Será que minha mente doentia irá melhorar? Será que vou passar o dia todo bebendo, agravando meu alcoolismo? Será que terei overdose? Você verá isso nos próximos capítulos!


Um abraço do Pobre-diabo! 

sábado, 29 de junho de 2019

A tristeza de trabalhar como um escravo


É bom ganhar bem? Com absoluta certeza. É bom ter que trabalhar excessivamente para ganhar bem? Definitivamente não. Essa foi a reflexão do dia, depois de ter passado a noite e madrugada de sexta bebendo doses cavalares de cerveja, vodka, whisky e cachaça, a fim de preservar a minha mente doentia.

Trabalhei todos os dias dessa semana até às 21:00. Saia cedo de casa e quando voltava já era noite. Só tinha forças para fumar alguns cigarros de cereja e tomar algumas doses de whisky até adormecer. Acordava todos os dias com olheiras enormes, um cansaço imenso, muito estresse e sono. Confesso que alguns dias minha vontade era só de chorar (e chorei muito). 

Isso sim é viver de verdade

O que eu queria de verdade era ter um salário razoável e não precisar trabalhar tanto assim. O que adianta ter dinheiro, mas não ter tempo? Estou pensando seriamente em procurar outro emprego, nem que reduza meu salário, pois preciso de qualidade de vida. Já trabalhei muito na minha vida, já tenho uma boa casa, um bom carro, excelente formação e bom dinheiro investido, então posso me dar ao luxo de trabalhar menos.

Hoje irei sair com alguns camaradas, espairecer e conversar sobre isso. Preciso desacelerar um pouco senão vou ficar louco, pois depressivo já sou. Quero também me divertir um pouco e azarar alguns brotos. O figurino na está pronto: calça Jogger preta, camisa social slim listrada, coturno urbano, relógio Tag Heuer, corrente de outro e, para lacrar, a indispensável boina italiana!


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 26 de junho de 2019

Como você se vê no futuro?


A imaturidade é o pior inimigo do homem. Quando se é jovem você simplesmente acha que tudo é possível, tudo é fácil, tudo vai dar certo. O jovem não consegue ver que o mundo é extremamente competitivo e não tem lugar para todos. Não vê que o sucesso do seu futuro depende do que você fez no passado. Não percebe que a vida é difícil e que não existe dinheiro fácil. Não entendem que os resultados efetivos vêm de forma devagar, enquanto o fracasso vêm veloz como um foguete. O pior, ainda, é que não enxergam que o tempo passa rápido demais e não se deve perder nenhuma oportunidade na vida.

Ao acordar, fui direto ao banheiro e ao me olhar no espelho vi a imagem de um cara, além de mais feio que cu cagando, judiado pelo tempo, parecendo mais um bode velho devido a muito estresse, excesso de trabalho e noites sem dormir. Coloquei a mão a frente da boca, assoprei e senti um forte bafo de merda que deu ânsia na hora. Olhei-me mais uma vez e uma certa tristeza bateu em mim, pois vi um sujeito cansado, que já viveu um terço de sua vida, que sabe que daqui para frente a juventude já passou, restando apenas um ser chato e sem saco para nada.


O fato é que as melhores oportunidades não são para todos. Primeiramente porque as melhores estão reservadas para quem já nasceu em berço de ouro e com as melhores condições de vida e de estudo desde que nasceu, muitos apenas perpetuando toda a riqueza que a família já trouxe por gerações. O resto do povo, briga até a morte pelas oportunidades que restam, que mesmo sendo boas, jamais garantirão uma vida bilzeriana, talvez no máximo uma vida diabística (porém sem precisar trabalhar tanto).

Os maiores vilãos dos betas como todos sabem são as ilusões e extremismos. Junto com eles estão a imaturidade, o matrixianismo, o manginismo, a preguiça e a burrice. Isso facilmente se constata ao ler vários comentários de jovens iludidos aqui no reduto, que acham a que a vida é fácil e existem fórmulas simples para o sucesso. Vemos verdadeiros animais achando que os cursos de investimento que prometem 1000% de lucro são de verdade ou que comprando cursos de marketing digital você irá se tornar milionário. Ou ainda que fazendo canais idiotas no YouTube te deixarão famoso e podre de rico. Pobres crianças inocentes... 


Ao mesmo tempo que vejo que minha juventude passou e que eu pouco a curti, pois trabalhei e estudei mundo, fico feliz em ver o que conquistei e a vida que eu tenho hoje, deixando de ser um betoso fedido e pobretão, humilhado por todos, para ser um homem com bom destaque social e financeiro, com condições para ter uma vida confortável e hedonista. Sabem como estão os alfinhas metidos da minha época, que só pensavam em beber, ir à baladas e correr atrás de faveladas de 35kg? Estão casados, com 2 filhos e 1 enteado, sem um puto centavo no bolso, a mulher é uma feiosa e chata, moram em um apartamento de 40m², deixam o Celta com a esposa e andam com a moto 125, todos financiados a perder de vista.

O mais triste é saber que esse será o destino da maioria dos betas aqui do reduto, só se salvando os seguidores da Filosofia Diabística. A maioria dos betosos são maricas e choram porque são carentinhos e sentem falta de serem amados. São crianças mimadas que acham que as mulheres devem lhes dar atenção, sendo que ninguém é obrigado a perder tempo com seres escrotos como betas são. Quer ser atrativo? Então se faça atrativo, pois isso depende só de você. Pare de perder tempo com coisas idiotas e vá logo se desenvolver de forma diabística!

Nada vem de graça e se você demorar demais para correr atrás do prejuízo, talvez seja tarde demais, será igual aqueles tiozinhos velhos com uma vida de merda que passam o tempo todo se lamentando por não terem se esforçado antes. Se hoje posso me dar ao luxo de morar bem, ter um bom carro, transar com lindas damlux e comer e beber do bom e do melhor é porque eu me esforcei, estudei e trabalhei muito, a ponto de dar meu sangue. E sabem o que eu quero para o futuro? Quero ter ainda mais dinheiro, uma vida idílica, viajar mais, transar com mais damlux panicats e não precisar mais trabalhar tanto. O amanhã depende do hoje. Só o dinheiro salva. 

E você, beta, como se vê no futuro? 


Um abraço do Pobre-diabo! 

sábado, 22 de junho de 2019

Empreender ou estudar?


Este tema é um dos grandes dilemas presentes no reduto internacional diabístico e intriga muita gente que ainda não tem plenas convicções do que fazer no futuro. Quanto embates já assistimos por aqui? Quantos defensores do empreendedorismo guerreando contra defensores do trabalho CLT? Quantos defensores dos diplomas defendendo suas ideias contra os homens dos negócios? Quantos concurseiros convictos que o melhor é estudar que vender? É sobre isso que vamos falar hoje aqui. 

Alguns betas acham que sou contra o empreendedorismo e, muito raivosos, defendem com unhas e dentes que empreender sempre será melhor que estudar e seguir alguma carreira. O que quero que entendam é que, primeiramente, nenhuma opinião absoluta é totalmente verdade e, segundo, não sou contra o empreendedorismo, pelo contrário, gosto muito e ainda sou especialista nesta temática, tendo várias consultorias em meu currículo. O que eu sou contra é o empreendedorismo burro e sem embasamento.

Vou explicar. Simplesmente reformar a garagem da mamãe no meio da favela e vender salgados vencidos sem alvará e sem registrar funcionários, bem como sem ter estudo nenhum de viabilidade do negócio, não é um empreendimento inteligente, pelo contrário, é um completo fiasco. Abrir um carrinho de hot dog com mais 5 sócios, não tendo noção alguma do que está fazendo, não é um empreendimento inteligente, é a receita perfeita para o fracasso. O que vemos em comum aqui são dois coitados que apenas abrem negócios sem calcular taxa de retorno, liquidez, lucro, giro, potencial de vendas ou qualquer outra coisa simples e, o pior, abrem negócios lixos sem ter um puto centavo no bolso. 


Todos sabem aqui que me refiro ao Roliço braço de linguiça e ao Passarinho escroto, mas o que esperar de dois coitados, imaturos, sem instrução, com baixo QI e vindo de famílias humildes? Para empreender você precisa ajustar de forma perfeita todos os pormenores do negócio, conhecer a fundo, ter pleno controle do produto, processo e consumidores e, acima de tudo, ter plenas condições de manter esse negócio, afinal, o que um empreendedor busca senão um lucro que seja maior do que a rentabilidade do capital caso estivesse investido? Além disso, muitas questões estão alheias à sua vontade, como o público alvo, calotes e a própria condição econômica do país e das pessoas.

A menos que você tenha uma ideai poderosíssima e genial, como teve Mark Zuckerberg e meia dúzia de outra pessoas extremamente sortudas, sem dinheiro a probabilidade de empreender e fracassar ou viver de miséria é altíssima, diria que beira aos 95%. As estatísticas não mentem, antes dos 5 anos de funcionamento 4 de 5 negócios entram em falência e endividam seus donos (entre 5 a 10 anos, fecham quase todos os pequenos negócios). Seria melhor estudar então? Nem sempre. Hoje assistimos a uma enxurrada de faculdades de todos os tipos por aí, até engenharias que outrora eram símbolo de status hoje você faz em casa, pagando muito pouco por isso. Um diploma superior hoje não significa nada, tanto é que vemos advogados, engenheiros, administradores e profissionais da saúde trabalhando em Ubers, subempregos e até vivendo de bicos. Há também os concurseiros que ficam anos e mais anos trancados em casa estudando e não passam em nada, ou quando passam, são concursos de baixa remuneração. 

Qual é a solução então, oh Pobre-diabo? Eu digo com convicção que a solução é o desenvolvimento completo do beta através da Filosofia Diabística, único caminho para quem é um betoso alcançar o sucesso. Antes de tudo, você precisa abandonar as ilusões e extremismos, vivendo na mais completa racionalidade. Depois disso, você precisa colocar na sua cabeça e nunca mais esquecer que não existe dinheiro fácil e nem sucesso sem esforço. Por fim, entenda que vivemos em um mundo de enorme competição, em que todos têm acesso às informações e todos estão à todo custo buscando dinheiro. Assim como no mundo selvagem, vence quem for mais forte, mais desenvolvido e mais esperto. Nenhum caminho será fácil, pois todos estão concorrendo ao mesmo tempo, tem muita pessoa inteligente tentando concursos, assim como tem muita gente tentando empreender, tendo muito mais condições e melhores ideias que você! 

Essa foto ilustra bem os betas iludidos e extremistas. O predador brinca com sua presa, deixa ela achar que está bem, quando na verdade em poucos minutos será devorada. O mundo é dos mais espertos, que têm melhores condições e que estão prontos para dar seu sangue! 

Não se esqueçam que na natureza ou você nasce leão ou nasce gazela. Ou nasce águia ou nasce cobra. Ou nasce coelho ou nasce búfalo. Se ainda não entenderam o que quero dizer, eu vou explicar. Você deve aproveitar suas habilidades para sobreviver e depois disso para conquistar seu território. Se você nasceu leão será muito fácil sua vida, pois você é o único predador do território, só vai brigar com os semelhantes, mas mesmo assim comerá muitas gazelas e transará com um harém de leoas. Por outro lado, se você nasceu cobra, vai ter que rastejar muito, ser ardiloso, esperto e quando ver sua presa terá que a agarrar com força, jogar seu veneno e a devorar! Ou se você for uma gazela, terá que ser esperta se não quiser ser devorada, nunca se afastar do seu bando e estar sempre atenta para  correr muito se quiser sobreviver.

O que quero dizer é que não existe espaço para todos. Sendo assim, se for buscar algum objetivo, seja sempre o melhor que puder, esteja completamente preparado e dê seu sangue por ele. Se for estudar, então se empenhe nas melhores faculdades, faça cursos poderosos, desenvolva seu social, busque um networking poderoso e trabalhe sem preguiça. Se quer concursos, então estude até não aguentar mais, tenha estratégia e busque concursos que você tenha alguma chance e sejam compatíveis com sua capacidade intelectual. Se tem sonho em empreender, então primeiro se prepare para isso, junte um bom capital inicial, estude muito e trabalhe muito (é ilusão achar que empreendedores são chefes e não trabalham; vida CLT é bem mais fácil que vida de microempreendedores), lembrando que o retorno nem sempre será bom, é volátil e na maioria das vezes exigirá esforços sobre-humanos. 

No final das contas, o que importa de verdade é, primeiramente, o abandono das ilusões e extremismos, pilares da Filosofia Diabística, e segundo, o TRIDIS (triângulo diabístico do sucesso), composto pelas palavras: HABILIDADE, ESTRATÉGIA e ESFORÇO (não deixe de ler esse post). Não tem como não vencer na vida com esses conselhos.

Só a Filosofia Diabística e o dinheiro salvam!


Um abraço do Pobre-diabo!