domingo, 26 de janeiro de 2020

Metas diabísticas para 2020


Sei que cada ano que se inicia é a mesma ladainha de que vamos mudar isso, mudar aquilo, melhorar aquela outra coisa e o caralho a quatro. No final de tudo a vida da maioria continua a mesma merda, quando não piora. Para a classe amaldiçoada dos betas é ainda pior, pois o beta sempre tende a ser mais fracassado, ficar mais feio, mais gordo e fazer menos sexo. Por isso não vou ficar com aquele papo chato e imbecil de ficar desejando coisas boas, porque elas só vem com muito suor.

No meu caso, posso dizer que nesses últimos anos evoluí muito, tanto como pessoa, como financeiramente, apesar de eu ser praticamente um doente mental e a maioria das vezes imaturo. Mesmo assim eu não posso deixar de agradecer a três amigos principais que sempre estiveram comigo nessa jornada e nunca me abandonaram, principalmente nos momentos mais difíceis, são ele: os elixires dos deuses (cervejas artesanais), os cigarros de cereja e as damlux (damas da luxúria).


Enfim, assim como foi 2019, em que tracei várias metas, mas não devo ter cumprido nem metade delas, para 2020 também traçarei várias metas, porém dessa vez eu quero honrar a minha palavra. Quero focar muito na qualidade de vida, na sanidade mental e física e, também, no financeiro. Assim, lá vai a relação de metas para o grande ano de 2020, o verdadeiro ano diabístico:

1) transar com muitas damlux (pelo menos uma vez por semana);
2) provar dos melhores elixires divinos e charutos toda terça, sexta e fins de semana;
3) ir a restaurantes de alto nível todas as sextas e domingos;
4) fazer musculação e ginástica três vezes na semana;
5) ler mais livros;
6) melhorar meu carisma para ser promovido;
7) ajudar pessoas que precisam de ajuda financeira, tipo uma sugar baby;
8) fazer alguma luta, tipo Karatê ou Hapkido;
9) deixar meu visual ainda mais supimpa;
10) subir profissionalmente.

E vocês, quais suas metas para 2020?


Um abraço do Pobre-diabo!

domingo, 19 de janeiro de 2020

Uma verdadeira férias diabísticas


Saudações, betas. Hoje estou retornando a normalidade do reduto, pois peguei uns dias de férias para viajar e espairecer. Posso dizer que já estou com as baterias recarregadas e pronto para mais um ano de sucesso. Gastei uma grana considerável nessa viagem, mas sem arrependimento algum, pois vivi verdadeiramente de forma diabística em uma praia de altíssimo nível em uma suíte para pessoas seletas. Passei horas apreciando o lindo mar de águas límpidas, lindas garotas de biquíni e tomando deliciosas caipirinhas. Além disso, comi em restaurantes selecionados, bebi os melhores elixires dos deuses e transei com belas damas da luxúria.

Só de andar pela praia com minha sunga slip de lateral fina e estampas floridas, óculos modelo aviador, corrente de ouro, cabelo jogado para trás, bigode e uma tattoo de henna com desenho de âncora que fiz no braço percebi muitos olhares vindo das garotas de todas as idades, provavelmente surpresas com alguém diferenciado como eu. Percebi que alguns caras e mulheres riam também, provavelmente de inveja. Mas o que causou ainda mais inveja e furor em todos foi há 3 dias atrás quando saí com uma damlux e acabamos nos curtindo muito. 

Loira, 1,65m de altura, linda e muito gostosa, Riley (usarei esse nome em homenagem a uma linda e talentosa atriz de filmes educativos), realmente conquistou o meu coração. Depois de nos conhecermos, transamos loucamente. Dei o seu devido presente e a convidei para jantar comigo no mesmo dia e ela aceitou. Fomos em um restaurante de alto nível e ela parecia uma verdadeira deusa, exuberante em um belo vestido preto, que colocava em destaque seus lindos seios siliconados em um decote e marcava bem o seu belo traseiro. Tenho certeza que não teve um só cara que não a olhou e a desejou em sua cama, assim como deve ter ficado desanimado em lembrar que nunca transará com uma mulher assim, tendo que se contentar em ficar a vida toda com sua mulher chata e feiosa.


Riley parou o local, pois atraiu o olhar de todos, provavelmente pela grande disparidade de uma verdadeira princesa andando com um beta mais feio que cu cagando, uma mistura de Batoré, Cerveró e Raul Gil como eu. Enfim, depois do jantar, fomos diretamente para seu ap e transamos muito. Não sei se ela cobraria por isso ou não por ter a levado para jantar, mas resolvi dar mais um presentinho para ela, afinal, ela merecia. Por fim, deixei ela lá e, apaixonado, propus para para passearmos no dia seguinte na praia, pois adoraria desfilar com aquela deusa do pecado ao meu lado. Ela gentilmente disse que não poderia, mas que se quisesse vê-la novamente era só mandar mensagem.

Como um adolescente enlouquecido, no dia seguinte de tarde (depois de acordar com uma ressaca desgraçada por ter passado a noite bebendo whisky), mandei a seguinte mensagem: "Oi linda Riley, gostaria de vê-la hoje de novo e quem sabe jantarmos ao por do sol, topa? Ela somente respondeu com uma mensagem pronta e automática: "Olá amor, 1 hora são 300 reais e se quiser completo são 400, beijinhos!” Isso me deixou bastante irritado, como pode ela me esquecer assim e me tratar com tamanha frieza? 

Enfim, nem respondi a mensagem dela e só para me vingar liguei para outra damlux, ainda mais gostosa que ela e fiz muito sexo. Foi facinho esquecer Riley. No dia seguinte, ainda transei com mais uma damlux e terminei com chave de ouro a minha estadia nesse paraíso, bebendo muito e fumando deliciosos charutos cubanos. Queria ter essa vida para sempre, comendo, bebendo e transando muito, mas infelizmente preciso voltar para a vida normal de assalariado. Ainda bem que tenho um salário bom que me proporciona todos esses prazeres. Com dinheiro não tem como o beta não ser feliz, não é mesmo?


Um abraço do Pobre-diabo!

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

Considerações diabísticas neste ano que se inicia


Ano novo, vida nova... Será mesmo que você, um beta que passou diversos anos atolado no lamaceiro do fracasso, conseguirá mesmo fazer a diferença nesse ano que se inicia? Obviamente não, pois é  bem provável que sua mente te sabotará novamente como ela já vez anteriormente. Então qual seria a melhor forma desse ano de 2020 fazer a diferença nessa sua vida sem graça e ridícula? Se você quer vencer de forma diabística, basta acompanhar os conselhos desse mestre mafagafo.

Inicialmente, você terá que abandonar os vícios que te fazem perder o foco. Pode ser até contraditório isso vir de minha parte, já que alguns betas virão dizer que minha dedicação aos elixires dos deuses e à pinga, assim como aos templos da luxúria, beiram o vício. Mas não se enganem, irmãos betas, o que para alguns seria o caminho da falência, para mim é apenas uma distração em razão do meu alto poder aquisitivo decorrente do meu atual emprego e das sacadas de mestre que tenho que me rendem uma grana supimpa. O que te faz perder o foco são aquelas coisas que ao se tornarem uma rotina, irão minguar sua energia a ponto de você querer viver apenas para elas.


Outra coisa a se fazer é deixar a infantilidade e a ignorância de lado e aceitar que não existe dinheiro fácil e nem oportunidades miraculosas. Por que alguém te ofereceria algo bom se o oferecido poderia ser melhor aproveitado por si? Sendo a natureza do ser humano acumuladora, qual a lógica de oferecer algo bom a alguém e não ficar consigo? Nisso se incluem oportunidades de negócios "da China" que retornam lucros altíssimos com pouco investimento e riscos baixos (o que não existe), "investimentos" em negócios vinculados a criptomoedas, seja como trader ou em empresas que trabalham com arbitragem de bitcoin que na verdade são pirâmides? Ou ainda por discursos como daquele ser fétido que brinca de ser Youtuber e vender cachorro quente com outros 5 sócios falidos e apenas menciona ter um capital financeiro ao qual nunca provou nada? Ou como aquele ser roliço que vende lanche estragado na garagem dos pais a quem ele escraviza, sonhando com uma realidade que não existe?

Por fim, o abandono de relações sociais que servem unicamente para te atrasar ou jogar seu psicológico no lixo. Eu estava saindo com um broto que embora fosse fisicamente uma delícia, ela tinha uma mente bem inferior intelectualmente à minha. Problemas gramaticas, lógica superficial, conteúdo insosso eram características que mais se destacavam nela. Não bastasse isso, começou a me pressionar para assumir relacionamento, porém com minha fugacidade expliquei que não haveriam condições disso ocorrer nesse momento. Ouvi ser chamado de covarde, que existiam homens melhores que eu e que eu estava me achando demais. Posso ser um beta mais feio que cu cagando e mais chato que um mímico de rua, porém meus poderes intelectual e financeiro diabísticos me jogam num patamar acima, além do meu estilo matador com camisa florida, colete cor de vinho, boina italiana, calça de couro e coturno urbano me fazer super estiloso. Cabe nesse parágrafo os amigos oportunistas, mas por estes possuírem uma barganha menor que as mulheres, são mais fáceis de serem dispensados.

Quero apenas pedir desculpas pelo atraso do post, pois como estive extremamente ocupado nessa virada do ano, apenas hoje a tarde consegui uma folga para comparecer em nosso amado reduto. Irei agora degustar uma boa pinga e um delicioso cigarro de cereja. Topam serem meus convidados?


Um abraço do Pobre-diabo!