terça-feira, 25 de dezembro de 2018

O Natal de um Pobre-diabo


Boa noite, betas, quero antes de tudo desejar a todos que vão para a puta que pariu um FELIZ NATAL! Dou essas felicitações a vocês mais por protocolo mesmo, pois não curto essa data festiva, principalmente pelo seu apelo comercial e  por ser pouco voltada ao que realmente significa. O pior de tudo é que eu acabo participando das festas em família só para não ficarem enchendo o saco, pois minha vontade não era estar lá. Família infelizmente você não escolhe e o pior é que são laços que se mantém unicamente por terem o mesmo sangue, pois se assim não fosse, provavelmente eu não seria amigo de ninguém de lá e nem participaria de nada junto com eles. 

Definitivamente eu não gosto de festas de Natal em família, pois todos são muito diferentes de mim, eles não têm muita cultura, são pobres, sem muita instrução e mal educados. Colocam o som no último volume, tocando só música lixo e não têm postura de gente normal. Por exemplo, tenho uma tia gorda e louca que fica dando uns abraços nojentos, gritando e falando tudo errado, tipo: "Nóis é tudo assim memo", tenho dois primos que sempre foram semialfas e me zoavam por eu ser um betinha feio e covarde, mas hoje são dois fracassados na vida, casados com duas gordas, mas ainda ficam fazendo piadas com a cara dos outros. Tenho um tio que é alcoólatra, que já chega cambaleando e falando só merda, cuspindo na tua cara quando fala. Outros tios e primos que são uns Zé Ruelas chatos, primas feias e avó coitadinha que todos só a veem no Natal, pois a velhinha é pobre e não tem nada a oferecer. Meus pais não tem muito dinheiro, mas são os mais educados lá. A comida é uma merda, carne ruim e mal assada.

Eu queria estar deitado de conchinha de novo com a gostosa da Jynx, depois de um sexo selvagem, mas tive que ir para essa festa chata. Pensem em uma bunda linda! 

Enfim, pediram para cada um levar algo e eu disse que levaria bebidas. Comprei refrigerantes e levei 2 growlers de 2L de elixir dos deuses (cervejas artesanais). Foi a pior coisa que eu fiz, pois meus tios e primos escrotos tomaram o néctar divino fazendo cara feia e falando: "isso é coisa de veado, macho toma Skol e Brahma", dando risadas da minha cara. A minha vontade era falar que eles não tinham condições de tomar uma preciosidade dessas, feita para pessoas seletas e que não eram sofisticados como eu, mas não vale a pena humilhar quem já está fodido na vida. Pior ainda foi comer aquela carne assada ruim e dura, que nem contra filé velho com osso devia ser, e ver todos falando que estava uma delícia, pois estou acostumado a só comer carnes deliciosas de qualidade, como picanha, T-bone, Bife de Chorizo, Bife de Ancho e Short Rib. 

Como era de se esperar, mais uma vez perguntaram se eu estava solteiro. Eu respondi que estava saindo com uma garota. Mesmo assim tive que ouvir coisas do tipo: "ah, o Pobre-diabo nunca traz namorada, daqui a pouco ele aparece com um namorado aqui" e "onde já se viu ter 30 anos e ser solteiro, deve ser gay". Vendo aqueles fracassados falando isso me deu muita raiva mas me segurei e não falei nada para não estragar a festa. O que mais me irrita é ouvir isso da boca de ex-semialfas que hoje são uns coitados que não ganham a metade da metade do que eu ganho, andam com carro velho, têm ranhentos burros e esposas horrorosas que nem se me pagassem eu pegava. Ao invés de eles chorarem por estarem nessa condição, ainda acham que eu é que sou o errado!

Poderia ainda estar nessa praia de alto nível, no meio de pessoas seletas, tomando deliciosos elixires dos deuses e vendo gostosas de fio dental, mas tive que voltar para participar dessa festa chata

Fiquei a maior parte do tempo no meu canto isolado comendo, bebendo, mexendo no celular e às vezes conversando com a minha mãe, só para não deixar tão claro que eu estava odiando ficar ali. Mas o que eu podia fazer se nem conversar como gente eles sabem? Só falam de novela, futebol, opiniões políticas idiotas viciadas pela mídia e coisas chatas do cotidiano lixo deles. O que me deixou um pouco constrangido também é que a maioria lá não tem classe, usam roupas feias e chinelo de dedo, enquanto eu estava bem vestido, com uma camisa transada com botões fechados até a gola, calça Jogger bordô que vai até a canela, sapato mocassim sem meias, corrente de ouro, relógio Tag Heuer e boina italiana, sem contar que cheguei com meu possante diabístico que chama a atenção. Percebi que ficavam me olhando diferente e fazendo alguns comentários maldosos, principalmente porque eu sempre fui beta, escroto e brega, mas hoje estou mais descolado e sofisticado.

Foi difícil aguentar, mas fiquei quieto lá, evitei de falar a verdade na frente dos símios de que eles fracassaram na vida, mesmo a vontade sendo grande. Eu estou pensando em viajar ao exterior nos próximos dias de Natal, daí não preciso participar e tenho certeza que nem farei falta também. A parte mais chata para mim foi a hora que deu meia noite e chegou o Natal, todos gritando, batendo nas mesas, meus tios e primos soltando rojões insuportáveis, que eu queria estourar não meio da bunda deles. Depois todo mundo começou a trocar abraços, dando feliz Natal e dizendo: "que você seja feliz e que todos os seus sonhos se realizem" e eu constrangido, porque não consigo mentir para eles e gostaria na verdade de falar: "que você tenha um péssimo Natal e que você algum dia acorde na vida e deixe de ser um fracassado!".

"Pedezinho", por que você não veio passar o Natal com a gente, seu bobinho? Era só você trazer nossos presentinhos de Natal que nós faríamos sua noite muito feliz! 

Fiquei a maior parte do tempo no meu canto me sentindo mal, pois é realmente dificil aturar a convivência com pessoas assim, sendo necessário eu tomar praticamente os dois growlers sozinho e mais duas caipirinhas que fizeram lá para eu não sair do controle e acabar dando porrada em todo mundo. Definitivamente eu pretendo me afastar deles e não participar mais dessas festas, no máximo faço algo apenas com meus pais. Não sei se eu sou o chato ou eles que não evoluíram, mas não dá mais para mim ficar no meio de pessoas pouco instruídas e de classe social inferior. Não ter dinheiro não é o maior problema, o pior é não terem educação, respeito, postura, cultura e inteligência. Nunca que eu apresentaria eles para a Phoenix, que é uma mulher de alto nível.

Mais tosca ainda foi a parte do Amigo Secreto. Todos fazendo macaquices sem graça e dando gargalhadas, enquanto eu estava com o mesmo semblante que demonstrava estar completamente entediado. A sorte minha foi que eu dei um jeito de não entrar na brincadeira, pois odeio participar dessas bobagens. Os presentes eram um pior que o outro, só coisas vagabundas. Com certeza eu iria me dar mal, pois daria algum presente de qualidade, compatível com a minha renda, enquanto ganharia qualquer porcaria de lojas lixosas. Por fim, esperei todos estarem entretidos com a brincadeira e saí de fininho para ninguém me ver. Totalmente desgastado e já um pouco bêbado, a única coisa que eu quis foi deitar na minha cama e dormir.


Enfim, desejo a todos ótimas festividades e que aproveitem bem esse dia. Eu estou indo almoçar em um restaurante de altíssimo nível com meus pais, pagarei a conta e já entregarei o presente deles. Contando o valor dos presentes e o que vai dar a conta do restaurante, vai custar mais do que o Roliço e o Passarinho fedido ganham por mês (1,5k). Mais um motivo para eu ter  ainda mais raiva do Natal, pois poderia gastar esse dinheiro  transando com duas damas da luxúria extremamente gostosas e tomando um delicioso frisante refinado. Mesmo assim, meus pais merecem por aguentar um beta traumatizado com uma mente doentia igual a minha.


Um abraço do Pobre-diabo!

sábado, 15 de dezembro de 2018

O que realmente importa na vida?



Relatórios e mais relatórios de fechamento de ano, muitos problemas com a equipe, cobranças da diretoria e eu correndo desesperado atrás de tudo isso. Só ontem pelo menos umas três broncas eu tomei, mas respirei fundo e continuei, afinal, não existe sucesso sem esforço. O que aconteceu depois disso tudo é que acumulei uma carga de estresse enorme e só consegui liberar ela quando entrei no meu carro para ir embora, isso já eram quase 20:00h. Eu estava completamente desgastado, parecia que havia passado o dia todo apanhando. Olhei o meu rosto pelo retrovisor e via a imagem de um beta B mais feio que cu cagando, com olheiras enormes de cansaço e uma fisionomia triste. Nesse momento comecei a chorar, chegando até a soluçar, e não tenho vergonha de falar isso.

Um desespero tomou conta de mim e eu não sabia o que fazer, então olhei para o lado e vi um bar e tive certeza que isso era um sinal divino, parei meu carro na mesma hora, sequei as lágrimas e corri para consumir o líquido nos dado pelos deuses para confortar a nossa alma e trazer alegria, os famosos elixires dos deuses. Não consegui nem cumprimentar ou conversar com o cara do bar, apenas com uma cara desesperada e a voz trêmula eu disse: “IPA”. Ele encheu um copo de 500ml e antes que me desse, eu já tomei da mão dele e tomei em um só gole, causando espanto no rapaz. - Manda outra, disse eu, pedido este prontamente atendido. Dessa vez eu sentei na mesa e passei a apreciar esse líquido divino. Como estava o dia todo sem comer, com os dois copos eu já estava um pouco tonto. Fui para fora, acendi um cigarro de cereja e passei a refletir sobe minha vida.Tinham duas garotas do meu lado, olhei para elas, dei uma piscadinha e dei boa noite, elas fizeram uma cara estranha, responderam o boa noite, mas saíram de perto e foram para o outro lado. 

Malditas, pensei eu, porém eu preciso reconhecer que sou uma aberração da natureza e minha cara horrorosa deve ter causado uma mistura de medo e nojo nelas. Como eu não preciso delas e gosto de mulheres de alta qualidade, decidi por ir à um templo da luxúria, degustar de uma de suas sacerdotisas do pecado. Chamarei essa donzela de Daisy (em homenagem a uma lindíssima atriz). Quando nos vimos, nossos olhares se encontraram e senti que havia uma sintonia muito grande entre nós. Toda carinhosa ela me convidou para deitar em sua cama, me fazendo uma massagem muito boa com suas delicadas mãos. Nesse momento, o little devil já estava completamente rijo, implorando palas cavidades rosadas e molhadas daquela senhorita, a qual não deixou por desejar e já massageou com seus doces lábios este membro de tamanho colossal. O que seguiu a partir daí foi um sexo incrível. O mais engraçado é que ao mesmo tempo que fazíamos um sexo selvagem, fazíamos um amor gostoso como dois adolescentes apaixonados. Enfim, alimentei a moçoila com lacticínios diabísticos, tomei um banho e com um abraço gostoso e apertado me despedi dela, terminando ali a nossa linda história de amor.

Quando que uma dessas vai olhar para um betinha escroto e sem dinheiro como você? Pois é, eu tive momentos deliciosos com uma gata dessas. Os manginas aceitam qualquer magrela de 35kg. Os diabistas preferem seguir a Filosofia Diabística e pensar unicamente em seu próprio prazer de forma hedonista

Voltei ao templo cervejístico, que nesse momento já estava cheio de gente, e já iniciei o ritual de degustação de elixir dos deuses. Fiz amizade com dois camaradas lá, ambos casados, contando como suas vidas eram um inferno, como gastavam horrores em casa, principalmente com filhos, e que não tinham liberdade para nada. Cada mulher que passava por nós eles olhavam como se fossem a “Daisy” que eu acabara de degustar, que eu daria uma nota 9,5. Eram mulheres de nota no máximo 5, algumas magrelas, outras gordinhas, mulheres que eu nem perderia tempo, afinal, eu tenho bom gosto e sou exigente. Imaginei então como deveria ser as esposas dos dois coitados para estarem secando aquelas feiosas. Em dado momento perguntei para eles aonde passariam o fim de ano, tendo como resposta que iriam para a praia com a mulher, as crianças e a sogra, fazendo aquela famosa cara de cu. Eu não consegui segurar o riso e falei para eles que eu iria passar em alguma praia de alto nível e tentaria levar uns dois camaradas e algumas gostosas. A cara de tristeza deles foi sensacional, adoro ver betas escrotos iludidos e extremistas caindo na real!

Como estava com muita fome, pedi um hambúrguer artesanal, com muito bacon, que custou a bagatela de 35 temers. Nesse momento lembrei de coitados que ganham a vida fazendo x-salada vencido na garagem da mamãe ou vendendo cachorro quente em 5 sócios, ganhando uma miséria por isso, e eu estava ali consumindo sem pensar na conta, que nessa noite passara de 200 temers, que é igual a três dias de trabalho suado do Roliço e do Passarinho. Lembrei também de dois blogueiros esquizofrênicos que só mentem, inventam histórias idiotas e querem criar termos toscos, os coitadinhos devem ficar o dia todo trancado no quarto e a única coisa que têm diferente na vida são seus blogs que ninguém visita, somente eles ficam conversando sozinho. Por fim, lembrei de um outro otário que diz que vai ensinar betas a seduzir e ainda vem querer me chamar para a porrada. O que eu tenho a dizer é que se você não gosta de mim então apenas me passe o seu endereço que eu vou até você te meter porrada na cara, seu imundo fedorento!

Que vida triste tem esse pobre coitado, não acham? Será que ele não seria mais feliz estando casado com uma gorda chata e com 2 filhos enchendo o saco? Será que sua vida não seria mais incrível sendo dominado pela esposinha que não deixa ele nem jogar futebol com os amigos e tomar aquela cerveja gelada?

Enfim, voltei para casa, liguei a TV, acendi um charuto e enchi um copo de whisky. Aquela tristeza de antes havia se transformado em uma alegria imensa, afinal, eu tenho saúde, dinheiro, transo com mulheres gostosas, não tenho filhotes chatos para torrarem meu dinheiro, posso fazer viagens poderosas, posso embriagar minha mente com bebidas maravilhosas e meus pulmões estão sempre cheios da fumaça da felicidade. Melhor que isso é que minha conta só está crescendo e em alguns anos não precisarei nem trabalhar mais. Peguei meu celular e tinham duas mensagens de duas garotas querendo sair comigo hoje, duas presas fáceis, vislumbradas com minha posição profissional e social. O que importa realmente na vida é você mesmo, seu prazer, conforto e felicidade. Estou pensando em sair com uma de tarde no parque e já tentar ganhar um boquete no carro, e a outra sair de noite, finalizando em minha casa em um sexo diabístico inesquecível. Tem vida melhor que essa, betas? Quer ser mangina, então siga o que otários de PUAs, jogos sociais, manuais de sedução e outras teorias plagiadas pregam por aí. Agora, se você quer ser um verdadeiro vencedor, um hedonista invejável, que não passa vontades e é feliz, então faça como nós diabistas e procure se desenvolver de forma diabística, abandonando as ilusões e extremismos e vivendo na mais completa racionalidade e estratégia.

Por fim, desejo um ótimo fim de semana para vocês, pois o meu já está sendo maravilhoso. Como hoje tenho duas gatas para curtir, já estou preparando o visual matador: calça jogger marrom (talvez com suspensório), camisa social azul florida fechada até a gola, sapato de couro marrom, relógio Tag Heuer, corrente de ouro e boina italiana. Hoje eu estou para o crime!!!


Um abraço do Pobre-diabo!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Imigrar para os EUA ilegal não é legal!


Comparar um país de primeiro mundo com um de terceiro, como o caso do Brasil, é covardia, uma vez que nos países de primeiro mundo você tem todas as suas necessidades básicas supridas ganhando um salário mínimo, enquanto aqui nesse chiqueiro chamado Brasil você apenas sobrevive, tendo um serviço público de saúde, educação e segurança completamente péssimo e falido, além de não ter acesso a itens de consumo e conforto que são normais em países ricos. Dessa forma, vemos ao longo dos anos inúmeros animais seres humanos que recorrem à imigração ilegal aos Estados Unidos como uma forma de tentar mudar suas miseráveis vidas. 

O que acontece é que o imundo do beta, sempre na busca do caminho mais fácil, achando que existem atalhos para o sucesso, com o famoso “jeitinho brasileiro”, decide por simplesmente ir para outro país de forma ilegal, sendo um pobre coitado, com cara de peão, sem ter qualificação alguma e muito menos dinheiro. Tem como isso dar certo? É óbvio que não, inclusive exemplos não faltam de otários que só perderam tempo em outro país, comeram o pão que o diabo amassou e passou na bunda e não juntaram nada de dinheiro, apenas andaram de Civic zero, que lá é igual a Celta, e moraram em uma casa de 100m² alugada, mas voltaram com 5 hérnias na coluna de tanto carregar peso, perderam 10 anos de contribuição para a aposentadoria e queimaram o passaporte, nunca mais podendo ir aos EUA de novo.

Antes de tudo, vou explicar bem rápido os princizpais vistos para os EUA, ou seja, a forma legal - e temporária - de ir para lá. Aqui vamos apenas destacar os mais comuns, visto que os outros não são fazem parte do dia a dia de pessoas normais como eu e você.
- Visto B1: referentes à viagens de negócios ou assuntos acadêmicos, tipo aquelas pessoas que fecham contratos de algum negócio grande ou participam de palestras, durando poucos dias;
- Visto B2: o mais comum que é para turismo (mais usado para os espertinhos que acabam ficando ilegal) ou tratamento médico;
- Visto F1: para estudantes, durante apenas o tempo do curso;
- Visto H: para trabalhar de forma temporária, porém uma empresa americana deve te contratar formalmente, justificando que não existe ninguém tão qualificado como você (perceba que esse trabalho não consiste em juntar bosta de americano);
- Visto L: funcionário de multinacional que é transferido temporariamente de seu país para a sede presente nos EUA, requerendo que o sujeito tenha um nível alto de gestão, seja executivo, tenha uma excelente qualificação e ter um bom tempo de empresa (perceba como eles não querem trazer o porteiro ou o pedreiro da empresa).

Não, esse não será você se imigrar ilegal para os EUA, aliás, nem americanos natos tem essa vida, seu iludido e extremista burro. Americanos normais têm vidas comuns, a única diferença é que têm serviços básicos de melhor qualidade e itens de consumo melhor. Nada mais

Ou seja, vemos aí que você não tem chance alguma de ficar por muito tempo nos EUA de forma legal, podendo só sentir o gostinho durante poucos dias de como é viver lá, principalmente através do visto B2. Agora, se você quer ter um visto permanente como o tão sonhado Green Card, então se prepare pare se frustrar ainda mais. Seus pais não são americanos? Então você se ferrou. Você consegue casar com uma americana? Não, pois ela e os pais dela não deixarão um imundo feioso, ilegal, pobre, sem futuro e catador de bosta casar com ela, então você se ferrou mais uma vez. Uma empresa grande justificou perante o governo que você é um excelente profissional, altamente qualificado e seu trabalho é imprescindível no mundo todo, tamanho o seu currículo? Não, afinal você é um estrume em forma de pessoa. Por fim, você tem U$1.000.000 de doletas para investir nos EUA (querem aumentar para U$1,5kk)? A resposta é óbvia, não é mesmo? Então esqueça o Greend Card, pois você é somente um pobre coitado. 

Mas mesmo assim o escroto iludido e extremista, achando que tudo é fácil na vida, decide ficar ilegal nos Eua. O que acontece é que os imundos se iludem com os itens de consumo que lá são melhores, porém não entendem que quase a totalidade das pessoas não se importam com o valor de uso de um bem, mas sim o seu valor perante a sociedade, ou seja, o quanto pode se exibir com esse bem. Nos EUA você brasileiro vai simplesmente trabalhar o dia inteiro em trabalhos subumanos, como um verdadeiro escravo, juntando bosta de americano, para ganhar U$3k. Todos vão ter ânsia de vômito por ver um morto de fome ilegal lá, tudo porque quer andar de Civic e morar numa casa de 3 quartos, que para eles não é nada, aliás não é bosta nenhuma. Aí para quem que a imundícia humana se exibe? Para outros brasileiros nas redes sociais, mostrando como tem acesso a Iphone do ano, carro automático e come chocolate Wonka. Porém, lá ele é visto como um pedaço de merda ambulante, digno de pena, um João ninguém que se humilha em trabalhos braçais pesadíssimo porque quer consumir coisas supérfluas de marca. 

Depois que os anos vão passando, o excremento começa a se enjoar da rotina altamente estressante, vinda de trabalhos braçais extremamente cansativos que apenas corpos jovens suportam, os quais apenas pagam por um estilo de vida confortável, mas que não permitem acumulação de dinheiro e garantia de um futuro. Junto com tudo isso vem a saudade de sua terra, de seus familiares e a decepção em saber que jamais pertencerá àquele lugar, tampouco conseguirá se legalizar. Piora mais ainda se considerar o medo diário em ser pego pela imigração e ser deportado. Por fim, o retardado mental cai na real que lá ele não tem segurança de vida alguma, não tem direito a aposentadoria, nem a serviços básicos, não poderá sair de lá nunca, não poderá ser abordado pela polícia, terá que se esconder a vida toda da imigração e trabalhará como um escravo braçal para sempre, tudo porque quer vestir camiseta Hollister e ter um Iphone X. Será que seu corpo debilitado aguentará carregar saco de cimento nas costas por muito tempo? Já imaginou esse coitado com seus 50 anos não tendo segurança alguma de vida, nenhum patrimônio, nada de dinheiro, sem aposentadoria, debilitado e não tendo mais condições físicas de trabalhar? 

Essa é a incrível vida de um brasileiro ilegal nos EUA. Será que é tão incrível assim ter que trabalhar 15 horas por dia, de segunda a segunda, para ganhar no máximo U$3.000? 

Então, ele vê que só perdeu tempo na vida, deveria ter se desenvolvido e se especializado em sua terra, juntado dinheiro, aproveitado o tempo para lapidar seu currículo e se tornar atrativo para as grandes empresas e, se caso fosse o seu sonho imigrar, tentar de forma legal através de programas de incentivo ou até mesmo trabalhando em grandes multinacionais com sede em países de primeiro mundo (tenho vários colegas assim). Por fim, o beta, desolado, decide voltar para o Brasil com o rabo entre as pernas, as mãos abanando e a carteira vazia. Como ficou todo esse período ilegal, obviamente que sujou seu passaporte e nunca mais pisará em terras americanas. Que esperto ele, não? Achou que ficar limpando esgoto fedido de americano iria fazer ele ter um vida de rei, porém, ele só teve uma vida efêmera a la classe média aqui do Brasil, não juntou absolutamente nada de dinheiro, fodeu sua saúde e não contribuiu para sua aposentadoria. O que de fato aconteceu foi que ele só perdeu tempo na vida e agora é um velho sem qualificação e experiência alguma, tendo que aceitar qualquer emprego lixo no Brasil, senão morre de fome. 

A lição que fica, nobres betas, é que não existe caminho fácil, então parem de se iludir! Nenhum país de primeiro mundo vai abrir as portas para um bando de mortos de fome imundos como vocês que nada tem a acrescentar. Eles querem você apenas para limpar as bostas deles e pagar metade do que pagariam para um trabalhador normal. Isso acontece tanto nos EUA como na Europa. Você gosta de ver venezuelanos invadindo as fronteiras do Brasil sem nada a acrescentar ao país? Pois bem, os americanos enxergam você e os mexicanos da mesma forma! Casos como esse que eu citei existem aos montes. Sempre vemos sujeitos burros, sem perspectiva de vida, achando que é só ficar lá ilegal que serão podres de ricos, como se não existisse pobreza nos EUA e todos fossem ricos. Mas no fim, o que acontece é que todos voltam para o velho e acolhedor Brasil.

Tempo é dinheiro, meus caros, então não o percam com ilusões e extremismos. Catar bosta de americano não vai te levar a lugar algum! Não percam tempo com medidas paliativas, pois o barato e fácil custam caro. Não existem contos de fadas, não existe dinheiro fácil, não existe sucesso sem esforço! Então corra e se desenvolva de forma diabística já, melhorando o seu currículo e a sua experiência acima de tudo. Olhem para mim, batalhei muito na vida, desenvolvi meu intelectual, profissional, social e financeiro, lapidei meu curriculo e hoje tenho um cargo alto e de destaque em uma boa empresa, além de um salário relativamente bom, que me garantem uma vida confortável. Sabem quando que eu iria para os EUA catar bosta de americano e ficar carregando peso no lombo, que deixariam minha coluna cheia de hérnias de disco, bico de papagaio e artrite no corpo todo, para ganhar míseros U$3.000, para ter uma vida mais ou menos confortável, porém sem destaque algum socialmente? NUNCA, pois tenho essa vida facilmente aqui, sem trabalho braçal e com prestígio social. Só o dinheiro salva!


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Passos diabísticos ao combate do fracasso


É muito comum as pessoas reclamarem dos mais diversos anseios não satisfeitos que possuem, quase sempre atribuindo a causa de seu fracasso como culpa dos outros. Obviamente isso é um tipo de fuga um tanto quanto covarde, pois a questão de não enfrentar suas desgraças revela um tipo de personalidade insignificante, o que existe a rodo nesse mundo. Não se enganem, meus amigos, sempre quando alguém apresentar soluções simplistas para problemas complexos, está mais que óbvio que ela sequer sabe do que está falando.

Nós, seres betísticos causadores das maiores repulsas por sermos a personalização daquilo que todos mais detestam, sabemos muito bem o que são as agruras da vida. Contudo, por termos sido condenados pela loteria genética a possuirmos as piores características humanas possíveis, temos que nos esforçar muito mais para atingirmos algum destaque. Não será abrindo uma biboca na garagem da mamãezinha e a escravizando que você obterá sucesso, tampouco tento uma sociedade com outros 5 mortos de fome em que cada um deu R$5.000 para abrir uma barraca de cachorro-quente "gourmet" que você será alguém de sucesso pleno.


Entendam, betas, a distração é uma forma de evitar problemas. Qualquer ação que não seja edificante em sua vida é uma distração. Porém, ao mesmo tempo em que você evita problemas, você também evita achar métodos para os resolver. Por mais que a distração reduza a preocupação, ela nada mais é que uma forma de você procrastinar as tarefas que você deve resolver para evoluir. Dentre as distrações que podem comprometer o sucesso do beta e assim o permitir a chegar pelo menos ao posto de semialfa, temos os mais diversos fatores: mulheres, trabalho, amigos, diversão, bebidas, vícios, etc. Independente do que te distraia, o importante é você ter controle daquilo que pode te dominar caso seja sua fraqueza.

Portanto, a seguir, este humilde propagador da filosofia diabística, a única que veio para realmente salvar o beta do seu sofrimento, estabelecerá os passos para que você seja mais um dos extirpadores da idolatração ao extremismo e à ilusão a que muitos dos seres da nossa sub-espécie betística estamos insertos desde o nascimento:

1) Identificar seus pontos fracos

Não considerem aqui o fato de vocês serem putinhas chorosas que se ofendem com quaisquer insinuações que machuquem seus frágeis sentimentos. Sejam dificuldades profissionais, sejam infortúnios no relacionamento social/afetivo, um beta diabístico é forte o suficiente para enfrentar seus medos e buscar formas de resolver os problemas que estejam o afligindo. Vemos que muitos aqui acabam colocando todas as suas energias em situações que estão além de sua possibilidade de controle, de forma que se esforçam demais por coisas que já estão perdidas para si. Quantos que aqui acabam se entregando para faveladas de 35kg ou para gordinhas nerds pelo fato de seu psicológico não conseguir enfrentar o mundo porque não entendem que você não precisa de ninguém para ser feliz quando você é feliz mesmo estando sozinho? Assim, tratem de blindar seus pontos fracos para não darem chance de serem acertados pelas dificuldades da vida, seus fedidos.

2) Traçar metas realistas

Tivemos aqui neste reduto diabístico uma aula no post passado acerca da realidade ao empreender. Obviamente se você tem recursos e está disposto a correr o risco, empreender será sempre uma ótima opção, mas entenda que você não será um multimilionário sem investir um bom capital inicial. Não adianta esperar uma progressão geométrica de seus lucros quando seu planejamento foi feito mediante uma progressão aritmética, haja vista que são conceitos totalmente diferentes. Entenda de uma vez por todas: VOCÊ NÃO É UMA EXCEÇÃO! Aquele Youtuber famoso, aquele funkeiro que está bombando, aquele músico/esportista da moda não chegaram onde chegaram porque "acreditaram em seus sonhos", mas porque tinham uma boa networking, tinham oportunidade e tiveram sorte. Quantos com a mesma qualificação que a deles, até às vezes melhores, são escanteados pelo fato de não terem influência e quem os indique? Então se ponha no seu lugar e trate de aceitar sua insignificância e trace metas realistas, betinha!

3) Empenho não é destaque, é uma obrigação

Vemos aqui no nosso querido reduto um blogueiro com nome de passarinho que adora falar que esse humilde propagador da filosofia diabística que vos fala é um sabotador. Entendam, meus queridos irmãos betísticos, falar a verdade na cara de vocês não é uma forma de desincentivá-los, mas uma tentativa de evitar que vocês sejam motivados pela ilusão e pelo extremismo como muitos desses agentes matrixianos são. Eles sim são sabotadores. Quantas provas materiais foram expostas aqui contra as desprezíveis declarações dadas por eles e mesmo assim seus ataques só aumentam? Assim, entendam que você é fruto do seu esforço. Eu ralei demais para poder chegar onde estou e ter a remuneração diabística que me permite usufruir de uma vida idílica de degustação de deliciosas cervejas artesanais e sedentas damas da luxúria com toda a avidez que eu possuo. Enquanto você descansa, seu concorrente estuda e trabalha.

4) Nunca acredite que as probabilidades estão a seu favor

Isso mesmo, betinha, as probabilidades sempre estarão contra você. Se sucesso fosse fácil de se atingir, ser fracassado e pobre seria exceção. Obviamente alguns seres nascem com sorte ou em berço de ouro, porém a quase totalidade das pessoas colhe aquilo que está a seu favor. Veja, por exemplo, quem acredita que as chances de ganhar na loteria são plausíveis. Um jogo de 6 números na mega-sena tem 1 chance em 50 milhões em ganhar! Se você fazer a aposta máxima de 15 números, o valor do bilhete custará 5005 vezes a mais que o bilhete simples e mesmo assim sua chance será 1 em 10 mil! Se numa rifa lixosa de algum amigo falido em que 100 números são sorteados você já não tem muita chance de ganhar, como será então se essa aposta for 100 vezes mais difícil? Não se compare a Youtubers famosos ou a empresários bem sucedidos quando eles já passaram por situações que você (imerso na sua limitação de realidade) sequer imaginaram algum dia.

Seguindo esses passos, betinha, por mais simples que sejam, não sendo você uma putinha chorona e preguiçosa, o mundo estará aberto a você. Vá atrás de seus objetivos, seu imundo fedorento, e pare de chorar.


Um abraço do Pobre-diabo!

sábado, 1 de dezembro de 2018

Empreender é a solução?


INTRODUÇÃO

A pedidos dos betas, escreverei mais sobre os temas investimentos, finanças e empreendedorismo, considerando que essas são minhas especialidades. Neste texto, o foco será o empreendedorismo, assunto este muito debatido neste reduto e que gera discussões ferrenhas. Embora eu tenha muitas críticas sobre esse tema, empreender é algo bom sim, mas não é o mar de rosas que alguns pensam. Se você não tem a mínima condição de se manter financeiramente, não tem controle e planejamento, então esqueça! Para empreender, além dessas características, você precisa ter uma capital próprio bom e capaz de manter seu negócio, sem ganhos, por pelo menos 3 anos, além de ter um bom giro inicial e bons clientes em potencial no curto para médio prazo. Destaca-se, ainda, que isso não significa nada, pois em terras brasileiras o risco de empreender é altíssimo. Você sabia que 60% das empresas fecham antes de completar 5 anos?

O que vemos por aí são sujeitos completamente analfabetos financeiros querendo dar opiniões como se especialistas fossem. Vem cá, qual a credibilidade de um cara que não tem estudo, nunca teve um negócio próprio, nunca teve experiência administrativa/contábil, muito menos de vendas e logística? Ademais, o que ele pode falar em empreendimento se ele não tem noção alguma de estudo de mercado, projeções e projetos? Por fim, dá para levar a sério uma pessoa que mal tem dinheiro para se manter sozinha e acha que é só abrir um negócio qualquer (como quem abre lanchonete na garagem da mamãe) que simplesmente a conta fechará e os ganhos serão maiores que de assalariados e rentistas?

EMPREENDER É A SOLUÇÃO?


A maioria dos símios ficam maravilhados com uma boa receita, não considerando os custos e despesas. Como sempre estive no meio empresarial, já vi vários animais se gabando ao dizer que sua empresa “vendeu” R$1.000.000,00 no último ano, fazendo referência à receita ou faturamento total (tudo o que entrou sem subtrair as despesas, custos e tributos), como se isso fosse grande coisa. Aí quando você observa os balanços da empresa você vê que o lucro final dela é de 6% (número muito comum em muitas empresas). Vamos aos cálculos (vê se aprende aí Passarinho e Roliço, pois vocês devem ter reprovado a vida toda em matemática). R$1.000.000/12 meses = R$83.333,33. Isso quer dizer que esse cara que movimenta um milhão ao ano, tem uma receita mensal de R$83.333,33. Deduzindo todas as despesas e custos, com a projeção de 6% de lucro sobre a receita, você tem um lucro mensal de R$5.000,00. Se o cara tem sócio, então terá que repartir esse valor de acordo com a cota de cada um, transformando o lucro final em algo irrisório (para quem opera de forma legal, lembrando que muitos são desonestos e picaretas, sonegando impostos, não registrando funcionários, comprando e vendendo sem nota, comercializando produtos fora da especificação etc).

Conseguem perceber como esses valores altos, como o que eu citei que fala que ganha 1 milhão por ano, enganam muitos animais que ao fazerem contas de padaria acham que a pessoa deve estar ganhando 100k por mês? Observa-se claramente que depois de fazer todas as contas o que ele ganha de verdade são apenas R$5.000,00 mensais, considerando uma empresa com boa movimentação, com um bom tempo de operação e já consolidada. Empresas novas e pequenas não chegam nem perto disso, sem contar que demoram anos e anos para se estabilizar e garantir uma renda minimamente aceitável. Você acha isso muito para alguém que trabalha o dia inteiro, tem um estresse enorme, é processado o tempo todo por funcionários, é assaltado pelo governo, não tem segurança alguma devido aos altos riscos do mercado, não tem direito a férias, nem a 13º salário e nem a aposentadoria?

Um beta conseguiu tirar uma foto do novo empreendimento do Chuppa Pau. Acreditam que esse excremento diz que é melhor ter uma imundícia dessas do que ter um cargo alto e bem remunerado em uma grande empresa? Só tenho pena desse coitado... 

Aí vêm alguns seres fétidos, que nem o Ensino Médio devem ter, falando que são empresários bem sucedidos, tendo investido uma merreca que emprestaram do banco a juros altíssimos, com negócios ilegais e fazendo sociedades toscas com outros fracassados como eles, que em geral não dão certo para pequenos empreendimentos. Qual é o resultado disso? Obviamente que é o fracasso, pois esses animais nunca consideram questões de mercado e concorrência, os altos custos diretos e indiretos, além dos custos em casos de emergência, possíveis custos advindos de imprevistos e outros advindos da ilegalidade que se encontram (funcionários sem registro ou funcionamento sem licença municipal/estadual, que acarretaria em altas indenizações e multas). Ou seja, esses coitados vivem no limite de tudo o que têm e na maior parte com capital de terceiros (empréstimos e fornecedores a LP), que um dia cobrarão a conta, sem contar a alta concorrência do mercado, necessitando cada vez mais tornar-se competitivo para não quebrar. Você sabia que, segundo o IBGE, nos últimos três anos, mais de 340 mil empresas foram fechadas no Brasil?

Outra coisa que alguns ignorantes não consideram é o tipo do seu empreendimento, ou seja, se é de Empresário, MEI (Microempreendedor Individual), EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada), Sociedade Limitada, entre outras. Aí o coitado abre um negócio sem ter noção alguma de suas implicações particulares, tributárias e de responsabilidade. O sujeito quer pagar tributos baixos e fixos, então abre uma MEI. No entanto ela só é para um faturamento irrisório e miserável de R$60.000,00 ao ano (R$5.000,00 ao mês), lembrando que esse é o faturamento e não o lucro. Como o cara quer negociar mais do que isso, então ele abre uma empresa do tipo Empresário, porém os tributos são ainda maiores e as responsabilidades também. O pior de tudo é que a empresa se comunica diretamente com seus bens particulares, ou seja, no caso de dívidas, seu patrimônio e de sua família responderão por eles! Então o sujeito quer abrir uma EIRELI para que as dívidas só fiquem no CNPJ, porém ele não tem 100 salários mínimos de capital social para investir na empresa. Por fim, ele decide abrir uma Sociedade Limitada e para isso terá sócios. Aí ele terá mais problemas ainda, porque sociedade em geral só dá problema, sem contar que vai ser estuprado pelo governo, pela justiça trabalhista, não poderá retirar o PL da empresa a bel-prazer, não poderá sair da sociedade a não ser que venda sua parte para outro trouxa, deixando tudo o que tem lá, e terá que lembrar que a remuneração e investimento sempre dependerá das outras partes.

Conservador ostentando o seu incrível lucro nesse último mês, depois de trabalhar todo dia das 4h às 23h, fazer os pais trabalhar de graça, empregar uma coitadinha favelada sem registro e viver dia pós dia com muito estresse devido ao medo de operar sem alvará

Portanto, se alguém vier falar para você que é tão fácil assim ser empresário, mostre esse texto para ele. Tenha certeza que ele viverá em níveis altos de estresse, trabalhará das 6h às 23h, envelhecerá rápido e muito provavelmente até terminar de ler esse texto a empresa dele já deverá estar beirando à falência (as estatísticas não mentem). Só pode se dar ao luxo de se dizer chefe, que tem vida boa empreendendo, que não tem horário de trabalho, pois o seu negócio é autossustentável quem tem empresa grande, com capacidade de ter um bom staff e condições de remunerar uma boa gerência. Lembre-se, que para esse conforto você terá que abrir mão de pelo menos uns 5k a 8k, ou seja, esse conforto custa entre 5k a 8k de seu lucro. Se você não pode se dar esse luxo, então você trabalhará feito um escravo de sua empresa! Dar-se ao luxo de não trabalhar  existe apenas em empresas grandes, não em micro empreendimentos ridículos como lojinhas, bibocas, lanchonetes e os lixos que o Roliço e o Passarinho abriram. Não existe dinheiro fácil, meus amigos.

Se acha que é fácil empreender e que terá vida boa você está muito enganado! A vida de pequenos empresários é uma vida de extremo estresse, só tendo tranquilidade se a empresa for grande e tiver condições de pagar uma boa gerência, o que não é o caso de lanchonetes fedidas na garagem da mamãe e nem de carrinhos de cachorro quente abertos com 5 sócios. Portanto, ao ouvir as ladainhas desses "grandes empresários" de que são chefes do seu próprio negócio, que não precisam obedecer chefe gordo tetudo, que não tem horário fixo e que abrirão novas franquias e multiplicarão os lucros, não deixe ele nem terminar de falar e já meta um tapa bem dado no meio da cara gorda desses infantis iludidos e extremistas, pois o animal mal consegue manter um negócio que tem lucro baixo e está quase falindo e acha que poderá abrir franquias, sem ter um único centavo no bolso. Essa é a receita certa para o fracasso! Só empreenda se têm um com capital social inicial, bons projetos e projeções de mercado e se você não for um completo burro como alguns betas fedorentos que conhecermos por aqui. 

CONCLUSÃO

O que vemos na verdade é a incansável busca pelo mais fácil, devido ao pensamento ilusório e extremista presente na mente betística das pessoas, e é aí que começam as frustrações e o fracasso. Somam-se a isso a falta de planejamento e projeção, bem como de condições financeiras para tal (além da burrice própria das pessoas). Aí fica a pergunta: quando e quem deve empreender? Primeiramente considere que essa história de que você é chefe e ninguém manda em você e que sua vida será mais tranquila não existe, pois isso é só para empreendimentos grandes, com capacidade de gerência especializada e isso significa que deverá abrir mão de grande parte do que ganha para manter esse luxo, ou seja, isso não funciona para pequenas empresas, então esqueça que terá tempo livre abrindo uma pequena empresa. 

Portanto, meus amigos, esqueça fórmulas de sucesso, ganhos altos em relação à receita e vida boa nos empreendimentos, pois isso não existe. Não dê ouvidos para alguém que abre um negócio totalmente ilegal, sem alvará, sem registrar funcionários, escravizando os pais e não pagando aluguel, água ou luz, pois joga a conta para os velhinhos pagarem. Isso é um negócio sustentável, senhores betas? Óbvio que não! Se esse animal estivesse pagando tudo o que deveria já teria falido no primeiro mês de seu negócio. Considere sempre o lógico e racional, pois dinheiro fácil e sucesso sem esforço não existem! Quer empreender? Primeiro esteja ciente de todas as condições para tal, tenha um bom planejamento e, principalmente, boas condições financeiras para a sustentabilidade do negócio. Por fim, embora Empreendedorismo pareça ser um tema difícil, posso afirmar que não é, basta você se lembrar da Filosofia Diabística e seguir os seus principais mandamentos: abandonar as ilusões e extremismos e viver na mais completa racionalidade e estratégia. Não tem como errar assim!


Um abraço do Pobre-diabo!

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Reflexões diabísticas acerca do futuro


Salve, salve, nobres betas diabísticos! Como vocês já estão acostumados a notar, tenho andado muitíssimo ocupado em razão das agruras diárias sofridas no trabalho por ser um beta B mais feio que cu cagando, mais ridículo que uma mistura do Batoré com Cerveró e Raul Gil e mais covarde que uma cadela. E qual é a solução diabística para esses problemas? Eu ouvi cervejas artesanais e damas da luxúria? Yes, you're right, shitful beta man! Nada faz um beta mais feliz que ele se sentir poderoso ao ingerir o delicioso elixir dos deuses e ser paparicado por maravilhosas damas da luxúria, os quais estão carinhosamente esperando pobres coitados como nós para renovar nossas escassa e betísticas energias. Por isso que digo a vós, betas fedidos e sarnentos: o dinheiro é a solução de tudo. Esqueçam fórmulas milagrosas como as citadas pelo roliço gorduroso de usarem ergogênicos falsificados ou do passarinho aloprado que acha que montar uma biboca com mais cinco sócios ou ter um canal falido de games no Youtube o tornará rico! Pobres iludidos e extremistas!

Como vocês tem acompanhado ultimamente, a vitória do nossos querido presidente já foi suficiente para causar os mais diversos furores nos mentecaptos esquerdistas abobalhados. Contudo, devemos levar em consideração que grande parte do Congresso não foi renovado em sua essência e isso quer dizer que por mais que o cenário seja favorável a mudanças, tudo pode ocorrer. Aliado a esse fato ainda temos a "resistência" que fará de tudo para engambelar a população menos instruída e bloquear as pautas como sempre fizeram nas épocas em que não eram hegemônicos. Por tanto usarem mentiras e infinitamente as repetirem, estas acabam se tornando verdades para aqueles que não possuem capacidade cognitiva para avaliar criteriosamente o que lhes é falado. As pessoas tem que entender que a solução da política não está no governo, mas nas próprias pessoas, pois em tudo o que o Estado mete a mão, o resultado é medíocre, custoso e insatisfatório.

Sim, beta, é desse jeito que você será recebido se continuar acreditando nas merdas que muitos iludidos e extremistas te contaram e te mantiveram convencido até hoje. Sua sorte é que a filosofia diabística veio para te salvar, aleluia!

Tomemos por base o capitalismo, que é um sistema que prima pela liberdade de iniciativa, soberania do consumidor e soberania do eleitor na política. Estes fatores são essenciais para o desenvolvimento de uma nação, haja vista que é repassado aos particulares a liberdade de empreender, ao consumidor a de escolher o que melhor lhe interessar (e assim selecionar os melhores e expurgar os fracassados) e ao povo a possibilidade de votar naqueles que os representarão no Legislativo. Porém, o que notamos é que o brasileiro odeia o político, mas adora uma benesse do Estado, o que acaba por criar uma contradição nas questões de reciclagem do aparato estatal. Tomemos por base a Educação. É sabido que 75% de todo o recurso é direcionado ao Ensino Superior Público, sendo o restante distribuído ao Ensino Básico. Ora, como será possível ter adultos criteriosos se a sua educação básica foi um lixo? 

Obviamente os cursos superiores públicos acabam sendo direcionados para estudantes advindos de classes sociais mais bem estruturadas, deixando de lado aqueles que possuem menos condições. E qual seria a solução? A implementação de cotas? Com certeza não, pois isso joga para baixo a qualidade das instituições de ensino, sendo que a verdadeira solução seria o investimento na base do ensino. Com isso percebemos hoje o fenômeno da credencialização, pois o que era para ser um fator de diferenciação (ensino superior) é mero requisito para empregos que antigamente bastava ter o ensino médio. Além disso, especializações acabam sendo necessárias, porém devido à intensa especialização de alguns, estes acabam tendo requisitos demais para serem contratados, o que os induzirá a dois caminhos: ou ao desemprego ou à aceitação de um cargo inferior às suas habilidades. 


Daí você para e pensa: se é necessário ter ensino médio para ser um gari, por que um político só precisa demonstrar que não é analfabeto? É uma incongruência inaceitável, não? Relativamente é. Não é o político que tem que passar por estudo, mas o eleitor, pois o que temos hoje é a humorização de algo que deveria ser tratado da forma mais relevante possível. É possível aceitar Tiririca como deputado, jogadores de futebol como senador ou tantos outros como representantes, sendo que eles estão lá apenas por serem famosos e não porque buscarão defender os interesses populares daqueles que lhes elegeram?

A que conclusão, portanto, chegamos? A de que estamos sem rumo, porém uma luz ao final do túnel se acendeu. Ainda é possível para nós, pobres diabos abandonados pelo mundo, nos reerguermos com muito esforço e dedicação, totalmente absortos das ilusões e dos extremismos e lutarmos por aquilo que acreditamos e desejamos. Chega de acharmos que por atalhos conseguiremos o sucesso, assim como copiando fórmulas que foram sucesso no passado e hoje já estão saturadas. Que tal arriscarmos e buscarmos ideias originais ao invés de fazer o que todo mundo faz? Você vai abrir uma biboca irregular na garagem da mamãezinha e a escravizar para dizer que tem sucesso? Você vai abrir uma barraca de cachorro quente com mais cinco sócios e dizer que é um megaempresário? Não betas, apenas fracassados e iludidos acreditam nisso. Eia, avante, juntos na Filosofia Diabística para atingir o nosso merecido sucesso, amém?


Um abraço do Pobre-diabo.

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

2 anos de muitas diabices!


Alegrai-vos, betas, pois o reduto diabístico faz 2 anos de existência! Entres altos e baixos estamos aqui sobrevivendo a esse mundo anti-beta, unidos buscando uma vida melhor, através dos mais preciosos ensinamentos da Filosofia Diabística, sucesso entre todos os betas! Os parabéns não são para mim, nem para o reduto, os parabéns são para todos nós betas diabísticos!

São tantas histórias nesses dois anos, que lágrimas estão escorrendo de meus olhos ao lembrar. Quanto aprendizado, quanto ensinamento, quanta experiência! O reduto se fortaleceu e hoje tem a sua própria cara, ou seja, a cada de todos os betas diabísticos! Para vocês terem ideia, eu estava na praça de alimentação de um shopping esses dias e vi um beta chamando o outro de "beta B", o que fez eu refletir como o nosso movimento está dissuadido e já virou tendência nacional! Outro dia vi dois betas com uniforme de colégio em uma panificadora comentando sobre um post que eu acabara de postar. Nós diabísticos somos referências! 

Obviamente que não foram só coisas boas que aconteceram em nosso reduto. Como não lembrar do dia 27 de agosto de 2017, o fatídico dia em que o primeiro reduto diabístico foi tirado injustamente do ar e que causou grande agitação, furor e tristeza em toda a Diabosfera? Pois bem, nesta triste data ocorreu o que a história chamou de a "Diáspora Diabística", em que houve a dispersão de milhares de betas para outros lugares da internet, alguns nunca mais retornando, tamanho o desgosto. Mas não desistimos, tiramos forças de onde nunca imaginaríamos que teríamos e reerguemos o reduto internacional diabístico, que veio para ficar e com ainda mais força. Conseguimos reagrupar a comunidade beta e continuar com a nossa jornada diabística. 


E os duros ataques que o reduto recebeu, inclusive de blogueiros impostores? Quem não lembra daquele desonesto sem vergonha que criou três blogs diferentes e mais de 20 perfis falsos, floodando quase 90% de seu blog e atacando o reduto incansavelmente? E quando os betas se uniram para o desmascarar? Foi sensacional! E as humilhações que promovemos aos caras mais mentirosos, ridículos e arrogantes entre os betas, ou seja, o Conservador e o Picca Pau, mais conhecidos como Roliço braço de linguiça e Passarinho chupa pau? Esses matrixianos foram destruídos pelos betas, saindo várias vezes daqui com o rabo entre as pernas! 

Sabemos que ainda não acabou e temos muito o que crescer amigos, pois a Filosofia Diabística tem muito o que amadurecer ainda. Já tivemos até uma Assembleia Geral, ocorrida em 25 de outubro de 2018, que entrou para a história ao definir os rumos da famosa Filosofia Diabística. Vamos juntos inovar e crescer ainda mais, camaradas, pois o nosso objetivo é o desenvolvimento pleno diabístico, que é o único capaz de promover o sucesso e a felicidade plena. Ainda tem muita coisa a se criar, novas teorias a serem estudadas, como a original Teoria da Evidência Diabística, que foi um marco para o ramo do estudo conhecido como Ciências Diabísticas. Temos ditado tendências e muito temos que criar e aperfeiçoar ainda, como a chamada Psicologia Diabística, que será algo que me debruçarei a partir de então. 

Enfim, esse post está aberto para vocês falarem o que quiserem, principalmente quem se lembrar de histórias, curiosidades ou dicas que já foram ditas aqui no reduto, mas que podem ser muito importantes para todos. Comemorando, eu estou agora tomando o meu sexto como de elixir dos deuses (cerveja artesanal), na forma de uma deliciosa IPA. Comprei um cigarro eletrônico e estou usando ele agora com uma doce essência de cereja. Não vejo a hora de fumar ele no barzinho de alto nível que eu costumo ir, o que trará uma boa imagem de sofisticação, ainda mais eu estando com a minha boina italiana, um cachecol e meu lindo e poderoso Tag no pulso. 

"Oi gente, vocês viram o Pobre-diabo? Ficamos sabendo que o salário dele já caiu na conta..." 

Por fim, para que nunca se esqueçam, faço questão de repitir: só a Filosofia Diabística e o dinheiro podem salvar o beta! Junte-se comigo e vamos brindar à todos nós betas diabísticos que fazemos desse reduto um sucesso estrondoso em todo o Brasil! 


Um abraço do Pobre-diabo! 

domingo, 28 de outubro de 2018

Domingo de eleições de um pobre-diabo!


Um ótimo dia, betas desse Brasil. Não postei ontem porque estive ocupado. Teve confraternização do trabalho e depois um churrasco com amigos. Bebi e fumei muito e quando vi já era meia noite e não pude postar o post que já estava pronto sobre política. Para fechar com chave de ouro só precisava ter degustado duas "damlux" (damas da luxúria), mas mesmo assim foi ótimo o meu sábado, visto que passei ele inteiro sob os efeitos transcendentais desse líquido maravilhoso, nos presenteado pelas divindades do universo, que nos acalma e refrigera a nossa alma. 

Hoje como é dia de eleições não posso dar meu posicionamento político por causa da lei eleitoral, visto que esse reduto é acessado por milhares de betas do Brasil e do mundo. Então, a mensagem que deixo para os senhores é que votem com consciência, com o intuito de tentar mudar nosso país. Não sou nenhum inocente para achar que vai mudar totalmente, pois muitas coisas independem apenas do ramo político, até porque temos uma economia porca, desorganizada, quase na totalidade baseada em produtos primários e refém de bancos. Porém, pelo menos a nossa parte podemos fazer!


No mais, já votei e estou em casa tomando elixir dos deuses, essa iguaria sem igual! Por enquanto, para acompanhar, estou assando uma peça de picanha e estou fumando meus cigarros de cereja. Já deixei um charuto Cohiba aguardando para depois das 19h quando selarmos a nossa vitória. Daqui a pouco chegam 3 amigos betas B e C, tão escrotos e feios como eu, para nosso churrasco de comemoração e já vão trazer mais cervejas ainda. Hoje será uma festa de arromba, quem sabe até trazemos alguns brotos para azararmos aqui! 

Enfim, estou com a minha camiseta do Brasil, já comprei várias bombinhas, rojões, traques e estalos para quando sair os resultados comemorarmos a nossa vitória!  Quero deixar consignado aqui que se vencermos, irei degustar 3 damas da luxúria gostosas juntas amanhã! E vocês, betas, como irão comemorar?


Um abraço do Pobre-diabo! 

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

1ª ASSEMBLEIA GERAL DIABÍSTICA


Saudações diabísticas, senhores betas! Eu, Pobre-diabo, tomei a liberdade de convocar a todos betas do Brasil para esta assembleia  nacional para definirmos os rumos do reduto diabístico e da famosa Filosofia diabística, que para muitos betas já se tornou um guia para a vida, praticamente uma religião! O motivo disso é porque o reduto se aproxima de seu segundo aniversário de existência e muitas coisas aprendemos nesse tempo, assim há a necessidade de lapidarmos nossos conhecimentos e organizarmos ainda mais nossa fraternidade diabística. Para tanto, conto com a colaboração de todos para discutirmos os pontos fundamentais elencados por mim e analisados através de sugestões de centenas de betas aqui no reduto e através do e-mail diabístico.

Pois bem, tendo em vista o grande crescimento de nossa fraternidade diabística e do grande apreço que todos têm pela Filosofia Diabística, que veio para ficar e transformar a vida de muita gente, sendo praticamente uma revolução do pensamento realista que existia até então, é necessário que sejam definidos vários pontos importantes, principalmente as premissas, princípios e objetivos gerais. Quero deixar claro aqui que nossa reunião é democrática e todos tem voz aqui, no entanto, é necessária parcimônia nas sugestões e conclusões, além de objetividade, lógica, coerência e inteligência, que são os nossos pilares, juntamente com o abandono das ilusões e extremismos. Por fim, elaboraremos a ata desta reunião que será publicada oportunamente.

Superada esta primeira fase, vamos definir a nossa pauta sobre os seguintes temas, que servirão de regra no reduto diabístico:

- Glossário diabístico (definição dos termos próprios usados no reduto, além de gírias e expressões diabísticas);
- Manuais de ação diabística (manuais de como agir em determinadas situações sendo um beta);
- Cultura diabística (assuntos gerais relacionados à cultura dos betas diabísticos e que agreguem para a nossa vida);
- Classificações betísticas diabísticas (avaliar as classificações Alfa-betísticas já estabelecida de e discutir se necessitam de ajustes);
- Criação da Psicologia diabística (estudar a necessidade em se criar a Psicologia diabística, ramo da Psicologia que estuda a mente betística sob o enfoque do Diabismo);
- Temas gerais diabísticos (dieta diabística, exercícios diabísticos, culinária diabística, estilo de vida diabístico - diabístico's Lifestyle - esportes diabísticos, moda diabística, artes marciais diabísticas etc) 
- Assessoria de marketing diabístico (equipe para cuidar da imagem do reduto e da FD);
- Coaching diabístico (treinamentos com o fim de ajudar os betas em determinadas situações);
- Assessores gerais diabísticos (para cuidarem da manutenção do espaço aqui no reduto e seu bom andamento);
- Definir os princípios, premissas e mandamentos da Filosofia Diabística;
- Definição de líderes regionais da Filosofia Diabística;
- Treinamentos de conselheiros diabísticos para aconselhar sobre relacionamentos, mercado de trabalho, socialização etc;
- Treinamento de filósofos diabísticos para fortalecer a FD;
- Criação da Fraternidade diabística (espécie de maçonaria);
- Criações de novas teorias diabísticas (como a TED);
- Criação de cursos diabísticos para auxiliar os betas nas mais diversas áreas da vida. 


Considerações Finais

Cabe esclarecer que a nossa fraternidade diabística não tem fins lucrativos. Nosso único objetivo é nos unirmos e salvarmos a vida de milhões e milhões de betas que têm sofrido as piores agruras do mundo por terem nascidos betas, verdadeiros excrementos da natureza. 

Peço que os betas se manifestem sobre os temas, seja aqui ou pelo e-mail. Sua participação é fundamental! Lembrem sempre que a união faz a força e que só a Filosofia Diabística pode salvar o beta! 


Brasil, 25 de outubro de 2018,



Pobre-diabo