sábado, 21 de abril de 2018

A simples lógica do fracasso


Sejam novamente bem-vindos, caríssimos betas! Como é bom poder estar participando da vida de vocês mais um dia, exercitando e pregando os princípios da nossa adorada filosofia diabística, amém? Hoje, diferentemente de outros dias, não bebi, pois estou realizando um tratamento de pele e pelo visto a aparência da minha cútis está prejudicada pelo fato de eu ingerir uma enorme quantidade do líquido emancipador da alegria, do refresco da alma, do elixir dos deuses, ou seja a cerveja artesanal, e também pelo fato de eu estar fumando com altíssima frequência meus deliciosos cigarros de cereja. Seguirei as orientações da minha dermatologista e verei quais são os resultados que virão desse tratamento que estou fazendo desde terça.

O post de hoje decorre de um fato engraçado que ocorreu na semana passada: um conhecido nosso que namora uma favelada de 35kg com bunda de pão de água e pernas de cabo de vassoura resolveu demonstrar os resultados fictícios de seu "empreendimento inovador que está quebrando as regras do mercado e dos empreendimentos": segundo ele, seu lucro está na casa dos 100%. Inacreditável, não? Obviamente que fico surpreso e até feliz, pois me regozijo quando vejo betas evoluindo e se dando bem. Porém, isso só ocorre quando esse sucesso é decorrente de uma situação estabelecida e fundamentada e não quando ela é advinda da ilusão e do extremismo.

E o que eu quero dizer com isso? Quero dizer que não existe dinheiro fácil. Basicamente isso. Em decorrência da deficiente instrução intelectual e da falta de educação financeira, além de uma cultura lixo que prega a diversão e satisfação das necessidades primárias acima de tudo, é típico do brasileiro se iludir e acreditar no extremismo. É normal o indivíduo viver o hoje e jogar as preocupações para depois, afinal por que se esforçar se você não sabe se estará vivo amanhã, certo? Errado, e muito errado. A maior causa de morte da maioria das pessoas é a velhice, logo você viverá um longo tempo além do que já viveu. E o pior, pagará a longo prazo as cagadas que irresponsavelmente fez no passado apenas por uma diversão momentânea.

Não gosto de notas de 2 e 5 reais. Essa graninha aí é só para este fim de semana (depois conto a vocês as minhas peripécias). Será que foi tão ruim ter batalhado e se desenvolvido de forma diabística para hoje poder me dar a esses luxos sem nem coçar o patrimônio? Será que teria sido melhor ser dono do próprio negócio e abrir um dog com mais 6 sócios burros ou uma lanchonete na garagem da mamãe  e ganhar 800 - 1.200 de lucro/mês trabalhando igual a um cavalo 18 horas por dia? Será que é tão ruim assim trabalhar para o chefe gordo bafento que me paga sete vezes mais que os empreendedores falidos ganham? Obs: a nota de 20 do canto eu deixei para dar de gorjeta para o entregador de lanches aqui

Assim, a filosofia diabística prega com veemência o abandono total da ilusão e do extremismo, pois esses são os fatores principais da lógica do fracasso. Sempre tenha os pés no chão e trace metas realistas, pois a chance de fracassar é infinitamente superior que a de ser bem sucedido. Isso ocorre por uma regra simples de mercado: demanda x oferta. Como dinheiro compra tudo, obviamente todos vão querê-lo e quanto mais dinheiro acumulado tiver, maior será o poder de barganha. Assim, a fim de evitar empecilhos e humilhações, mais as pessoas irão disputar o acúmulo de dinheiro, retirando-o daqueles que não conseguem mantê-lo.

Como o dinheiro se concentra nas mãos de quem tem maior poder e habilidade, o esforço para acumulá-lo a cada dia se torna maior, de forma que as pessoas tem que trabalhar mais para ganhar menos do que ganhavam. Assim, as oportunidades vão se rareando, os recursos se esgotando, os bens se encarecendo e a mão de obra aumentando e se barateando. Como cada ser vivo é um gerador nato de despesas, quanto mais pessoas existirem, maior será a despesa, diferentemente da riqueza que não surge do nada, mas sim do empenho de esforços e insumos. Pessoas se multiplicam do nada, riqueza não.

Dessa forma, temos que ter em mente, para sermos bem sucedidos, que a ilusão e o extremismo são os principais agentes do fracasso, sendo a seguir listadas as principais lógicas que empurram o beta para o fundo do poço.



1) Desonestidade social: parecer-ser o que não é


Muito comum nos dias de hoje, ante a grande quantidade de informações e a superficialidade imposta pelas redes sociais, as pessoas tentam ser notadas com base no que lhes pode ser agregado e não no que são verdadeiramente. Você está numa cidade grande, como que um desconhecido vai saber quem você é? Nada que um corpo musculoso cultivado com academia e ergogênicos de qualidade feitos em farmácias de manipulação credenciadas (e não com mijo de rato subdosado e falsificado do Paraguai), um carro poderoso, roupas estilosas e apetrechos ostentadores (relógios caros, pulseiras e correntes de ouro) não falem sobre você, certo? Sim, com certeza. Ou você é um rico que não tem onde enfiar dinheiro ou é um pobre ostentador querendo atenção e afundado em dívidas. A lógica primária é que quem tem dinheiro não precisa se exibir com isso pois ele tem de sobra e ponto final. Agora, quem não tem e quer aparecer acaba torrando o que não tem para ter o mínimo de atenção de desconhecidos que sequer querem saber da sua existência. Qual o objetivo disso? Carência afetiva? Obviamente. No final da história, o empenho e os recursos utilizados para ter uma atenção qual não lhe seja direcionada acaba gerando uma conta que será paga no futuro não só com dinheiro e saúde, mas com lágrimas e fracasso.



2) Superestimar suas habilidades, sua condição e suas ideias: você é só mais um


Você nasceu feio. Você nasceu pobre. Você nasceu burro. Você nasceu beta. O sucesso para você custará muito mais que para um playboy. Ele já era rico e vencedor antes de nascer, pois em algum momento da história de sua genealogia alguém teve que abdicar dos prazeres para conquistar o sucesso. Se a partir dali os descendentes aprenderam a cuidar e ampliar o patrimônio familiar, a hegemonia desse clã está estabelecida. Alguns raríssimos outsiders conseguem usufruir da vida idílica enquanto jovens, mas a maioria das pessoas só aproveitará os frutos do sucesso quando estiverem envelhecidas. Dessa forma, sempre lembre que suas habilidades são medianas, sendo necessário um esforço hercúleo e abdicação colossal de prazeres para se atingir um nível superior ao das demais pessoas. Não é qualquer um que consegue estudar com afinco para passar num concurso de juiz, de promotor ou passar em medicina. Não é qualquer um que tem a criatividade (sorte e contatos) de DJ's famosos para criar hits que explodem na mídia. Não é qualquer um que tem a habilidade para ser um esportista ou um artista de sucesso. A ideia inovadora que você teve, alguém já pensou e já executou (vide Facebook que é uma rede social semelhante às demais que existem e existiram, WhatsApp que é um mensageiro idêntico ao MSN, ao ICQ, ao mIRC), não seria um idiota como você que criaria uma ideia não pensada até hoje.

3) Atuar em um ramo sem ter conhecimento mínimo para isso: você é igual a todos


Vemos muitas pessoas dando dicas de investimentos de risco certeiros (algo contraditório, pois como o nome diz tem RISCO e quando aliado com ignorância, a probabilidade de fracasso é altíssima), muitas pessoas dando dicas de empreendimentos infalíveis (mesmo com o aviso de instituições de renome que atuam no mercado a século - IBGE e SEBRAE - informando que a chance de falência da maioria dos negócios com idade até 3 anos é de 70%) ou muitas pessoas incentivando o investimento em criptomoedas como se essa fosse a chance imperdível do século (não possuem lastro, não possuem regulamentação e não possuem garantia, sem falar que o boom já passou e que dois premiados com Nobel em economia mais outro investidor de sucesso - Warren Buffet - serem totalmente contra). Entendam um coisa: o conhecimento é o maior ativo que alguém pode ter. A partir do momento em que o indivíduo atua, independente da área, sem ter conhecimento do assunto, é como se ele estivesse se jogando em alto-mar para tentar voltar à terra firme nadando e sem bússola. Se uma informação chegou a você, um mero mortal fracassado, como oportunidade de sucesso, saiba que é furada. Quem ganhou já ganhou, o negócio já se exauriu e você será o trouxa que dará o suporte financeiro para os últimos suspiros dessa "oportunidade". O que mais existe por aí são espertalhões que querem tirar o seu dinheiro, ainda mais se você não sabe o que está fazendo como se meter na furada de constituir sociedade com quem não tem dinheiro e não tem conhecimento de mercado na área que atuará ou pagar consultorias para desconhecidos que não exibem provas de seu sucesso e são meros repetidores de livros de auto ajuda.

4) Negócios baratos e de baixa especialidade: nem todos tem lugar ao sol


Outra questão é a atuação em negócios em que a especialização é mínima, ou seja, todos podem realizá-lo com o mínimo de conhecimento possível. Obviamente que negócios especializados podem gerar altos lucros, mas exigem um maior investimento, maiores equipamentos, maiores conhecimentos e maiores técnicas. Empreendimentos simples demandam apenas mão de obra sem especialização e insumos, só obtendo sucesso no caso de terem tradição ou brigarem pelo preço. Basta alguém ver que sua barraca de cachorro quente está tendo sucesso que montará uma do outro lado da rua com um preço mais acessível para no mínimo dividir a clientela. Basta um diferencial mínimo do seu concorrente que o seu "planejamento a longo prazo" vai pelos ares. Além disso, por ser um mercado concorridíssimo, raramente o empreendedor ficará rico com isso.

5) Ignorar a burocracia: o barato que sai caro


Nunca se esqueçam que no Brasil o empresário é punido por tentar gerar empregos e dinheiro. Ao se atuar em um negócio sem se respeitar as regras, a probabilidade de se complicar é alta. A média de tempo para que a fiscalização retorne após uma visita é de 33 anos, porém se houverem denúncias eles não levam mais que 24 horas para te complicar a vida. Dessa forma, a principal dor de cabeça a evitar se refere aos funcionários. Um determinado indivíduo comentou que constituiu uma MEI (microempresa individual) e estava "empregando" ilegalmente (o certo seria explorar) duas pessoas e pagando 2/3 do salário mínimo (além de escravizar seus pais). Esse mesmo indivíduo não tem conhecimento de que um funcionário chega a custar ao empregador o dobro do salário que recebe (INSS, FGTS, 13o. salário, férias, entre outros) e a partir do momento em que este funcionário comparece por mais de 2x a 3x por semana já está configurado o vínculo empregatício.

Basta apenas o funcionário comparecer à Justiça Trabalhista que a cagada está feita. Já perdi a conta de quantos amigos empresários tiveram que fechar as portas por razões de dívidas trabalhistas. Além disso, a dívida trabalhista tem prioridade no recebimento dos valores devidos, seguidos dos créditos estatais e depois dos credores reais. No caso da MEI, o patrimônio do empresário responde pelas dívidas da empresa, assim como EI (empresa individual) que se divide em ME (micro empresa) e EPP (empresa de pequeno porte). O que mais se vê por aí são otarios que abrem negócios sem nenhum planejamento, apenas fazendo contas de padaria, e depois que entram em falência complicam todo o seu patrimônio e de sua família. Um conhecido aqui do reduto caminha para isso e quem pagará a conta no final? O papai e a mamãe dele pagarão tudo por pena do filho, que só faz burrada na vida e não sabe se virar.

Para evitar que as dívidas invadam seu patrimônio no caso de não existirem fraudes, é muito melhor montar uma EIRELI (empresa individual de responsabilidade limitada), porém o custo do capital social é alto (100 vezes o valor do salário mínimo nacional). Evite sociedade LTDA (limitada) a todo custo, pois é a maior cagada que você pode fazer. Sócios só servem para uma coisa: brigar. Ao findar a sociedade, sua parte será determinada com base no patrimônio líquido contábil, ou seja, até os garfos e as facas da cozinha serão contabilizados para a cisão do patrimônio e se a empresa está com dívidas você sairá com menos do que entrou e ainda ficará mais dois anos responsável pelos compromissos assumidos até a dissolução.

6) Otimismo: ferramenta dos otários


Tenha em mente que a chance do fracasso é infinitamente superior ao do sucesso. Quanto tempo você leva para construir uma casa bonita? E se ela for ainda cheia de detalhes arquitetônicos? Serão meses, até anos. E para destruí-la? Um dia, no mínimo. Seguindo essa analogia, a chance de estragar tudo é muito superior ao empenho de se construir algo. Dessa forma, devemos ter em mente que a partir do momento que tomarmos uma decisão, essa deverá ser analisada da pior ótica possível, pois a superestimação da condição atual e da futura é o que causou as diversas crises pelas quais todos passaram. O equilíbrio do mercado muitas vezes esta baseada não no valor circulante e número de negociações, mas nas expectativas futuras dos negócios que serão realizados. Basta uma notícia ruim que todo o castelo de cartas se desmorona.

Conclusão

Enfim, listei apenas alguns dos fatores que direcionaram grande parte dos meus amigos empresários para o fracasso. Além disso, observamos um conhecido nosso que diz ter montado uma biboca que vende x-salada "artesanal" e que lucrará R$ 7.000 ao mês com base numa progressão aritmética de evolução do faturamento sem base alguma. Ele não leva em conta que o mercado que ele atua tem um nível de competição, saturação e incerteza muito altos, além da limitação natural do ser humano na confecção do trabalho (ainda mais quando este não exige qualquer especialização intelectual e é preguiçoso por receber um "salário" de miséria), precisando dessa forma contratar mais pessoas, o que esbarrará no tamanho do espaço físico (ele está usurpando a garagem dos pais e os escravizando também) e na regulamentação de sua empresa. A ilusão de sucesso acaba por ser o principal fator de fracasso do iludido e extremista, o qual achando que está tendo sucesso não percebe que já está falido assim como a maioria dos empreendedores que não possuem os pés no chão.

Além disso, gostaria de reafirmar que este blog é 100% honesto e não precisa de mentiras para propagar o sucesso da filosofia diabística. Todos sabemos que sou um ferrenho defensor da causa betística e as intrigas que alguns haters têm criado com outros blogueiros apenas enfraquecem a nossa causa tão desacreditada, às vezes, por nós mesmos. Defendo que outros blogueiros devam crescer e evoluir a fim de unirmos nossas forças, pois como muito tem se visto por aí, a nossa forma de pensar e de ver o mundo incomoda muita gente exatamente pelo fato de não aceitarmos as regras sociais impostas sem fazermos críticas. Vivemos numa época em que os adultos não passam de crianças egoístas e mimadas, pois ao invés de aceitarem e apenas ignorarem aquilo que não gostam ou os incomodam, querem censurar e destruir aqueles que não lhes agradam. Obviamente nesse quadro não se inserem aquelas pessoas que através de atalhos ilegais e opiniões erradas querem fazer o beta se afundar ainda mais no lamaçal em que se encontra. Lembrem-se: o canto da sereia é doce, mas o final da história será sempre vil e cruel. Não acreditem em quem oferece uma solução rápida e fácil, pois o mundo é frio, difícil e mal.

Nunca se esqueçam: Só o dinheiro salva.


Um abraço do Pobre-diabo.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Como um beta pode mudar sua realidade?


Saudações, betas deste honrado recinto diabístico! Antes de tudo quero dizer que estou muito feliz e consegui uma marca histórica em minha vida: estou há um dia sem beber! Porém tenho fumado o dia inteiro meus cigarros de cereja, pois eles acalmam essa minha mente doentia. Confesso para vocês que novamente tenho andado muito reflexivo sobre minha vida e os rumos que ela tomará nos próximos anos. Quando você é jovem acha que poderá ser e ter tudo o que quiser, ainda mais quando você ouve frases chavões como “acredite nos seus sonhos”, “tudo é possível, basta ter fé” etc, quando na verdade o seu destino já foi definido pelo universo, por Deus, Zeus, Satanás, Odin, Osíris, seja quem for, sendo muito difícil você mudar essa realidade. O que eu quero dizer na verdade, longe de qualquer tipo de misticismo, é que o sucesso pleno é passado de geração em geração, sendo muito difícil quebrar essa corrente.

A BBC publicou uma notícia apresentando um estudo realizado pelo Banco Central italiano, constatando que em um período de quase seis séculos as mesmas famílias continuavam ricas até 2011 e os sobrenomes dos contribuintes mais pobres também não tinha mudado. Corroborando com isso houve outro estudo, dessa vez na Inglaterra, entre os anos 1170 e 2012, e a mesma conclusão se teve, demonstrando que as mesmas famílias ricas da Inglaterra são ricas e poderosas há 28 gerações. Essas elites sempre se mantiveram nas camadas mais altas da sociedade e se mantiveram nos postos governamentais mais altos, nas universidades mais prestigiadas e nas diretorias de grandes empresas. Nenhuma transformação na sociedade fez com que essa realidade mudasse, nem a Revolução Industrial, disseminação da escolarização universal, ascensão do estado socialdemocrata, Guerras Mundiais, tratados, acordos, NADA!

Aí você beta excremento acha que o pequeno negócio que montou com lixosos 10k virará uma multinacional, que fazendo uma faculdade de Direito facilmente será um juiz federal, promotor ou delegado, que fazendo uma faculdade de Administração será um CEO de uma grande multinacional, que investindo em ações e criptomoedas será um novo Warren Buffett ou ainda poderia ser um atleta ou artista conhecido. Não, seu imundo fedorento, o nosso destino já foi traçado antes de nascermos, pela nossa condição social e genética, e só em casos raríssimos e baseados na pura sorte que um beta vira rico, como, por exemplo, ganhadores da Mega Sena, quem pegou a alta das criptomoedas, alguma startup, alguns YouTube famosos, artistas etc, ou seja, algo praticamente impossível para nós betas. As estatísticas não mentem, de cada dez empresas, seis fecham antes de completar 5 anos (IBGE), pois o mercado é extremamente competitivo, oligopolizado e dominado por grandes empresas capazes de produzir muito a baixíssimos custos, concursos públicos têm 500, 1000, 2000 e até mais candidatos/vaga e isso para remunerações nem tão altas assim, tendo muitas pessoas extremamente inteligentes e qualificadas tentando, ações e criptomoedas são extremamente voláteis e muito difíceis de se estabelecer tendências (embora muitos idiotas acreditem fielmente nas análises técnicas e fundamentalistas da vida feitas por “especialistas”).

Ele gastou mais de 8 milhões em apenas uma festa, uma quantia que você jamais verá na sua vida, nem se você vivesse 300 anos. Será que a mocinha aí se deu bem? A geração dele sempre será rica e poderosa, enquanto a sua sempre será de betas fracassados que andam de Uno Mille e comem marmitex no almoço

Algumas filosofias buscam pregar a aceitação de sua simples condição, como os evangélicos, por exemplo, que dizem que foi Deus que quis que você fosse um fodido na vida. Eu já enxergo tudo de forma racional e matemática. Meu pai pobre e escroto estava com tesão, comeu a minha mãe feia e nasceu um ser abominável, uma aberração da natureza, não sabendo se realmente era um humano, um filhote de urubu ou um pedaço de merda, ou seja, este Pobre-diabo. Os pais dos meus pais fizeram a mesma coisa e os pais deles a mesma coisa e assim por diante, reproduzindo-se como animais. Todos esses trastes nunca pensaram em acumular dinheiro, em poupar, investir, estudar, nada disso! Queriam apenas comer, beber, meter, fazer filhos e dormir. Nenhum mudou a sua realidade, sempre passando a desgraça para a geração seguinte. Nenhum bem passou de geração a geração no caso desses infelizes. A única herança foi a genética betística, contas e a burrice. Eu queria ter uma máquina do tempo para poder voltar e ver meus antepassados, será que eles eram tão betas quanto eu? 

Enquanto isso, o playboy foi fruto de uma relação planejada, em que seus pais já tinham boas condições financeiras antes de casar, já planejaram os estudos do filho, sua faculdade, seu emprego, seu plano de saúde, sua boa alimentação, o carro que dariam de presente quando ele fizesse seus 18 anos e sua rica herança, e isso quando ele era ainda um espermatozoide e estava nadando no meio da porra acumulada dentro do saco enrugado de seu pai. A mesma coisa aconteceu com os pais, avós, bisavós, tataravós, tetravós, pentavós até os cúavós do playboy. Foram famílias com cultura, discernimento, planejamento e com todo o amparo possível, as quais passaram todo o tipo de cuidado para seus filhos, preparando-os para serem vencedores. Não só isso, mas também os filhos já herdaram a riqueza de seus pais, havendo apenas uma transferência da renda, sem a necessidade de começar a ganhar dinheiro do zero e sozinho, o que justifica a afirmação de que eles já nasceram ricos e morrerão ricos.

Reflitam comigo, qual a probabilidade de um beta que nasceu de dois pais fracassados e burros, sem dinheiro, sem orientação, sem perspectiva nenhuma, sem contatos, perdido no mundo virar rico algum dia? Praticamente nula. Isso serve para outras situações também, como por exemplo com as mulheres. Qual seria a razão de uma loira linda e gostosa ficar com um beta horroroso, pobre e nojento como você se ela pode escolher quem ela quiser e com muito mais dinheiro que você? O que pode acontecer é você se desenvolver e conseguir mudar a sua realidade, como foi o meu caso, ganhando uma remuneração muito acima do que eu já imaginei ganhar algum dia, sendo o mais abastado da família. Eu jamais serei um Dan Bilzerian, isso é obvio, mas terei alguns confortos e prazeres que a maioria não tem, como viajar anualmente para a Europa, transar toda semana com damas da luxúria, comer e beber bem e ter um bom carro e isso já está de bom tamanho. O único motivo de eu poder me dar esses luxo é por ter batalhado muito e aberto mão de viver muita coisa para poupar e investir para o futuro. Se algum dia eu tiver um filho, provavelmente essa pessoa será alguém foda na vida, pois eu farei de tudo para ele ser um vencedor, guiando-o pelos princípios da infalível Filosofia Diabística e provavelmente deixarei uma boa herança para ele.

Eu passando valores viris, másculos e diabísticos para o Pobre-diabinho para que ele não repita os mesmo erros que eu cometi e perpetue o betismo em nossa família, essa doença terrível que assola bilhões de homens no mundo 

Por isso eu sempre digo para vocês não ficarem sonhando demais, como os dois idiotas fracassados que vendem lanches para pobre, um na garagem da mamãe e outro em uma barraca de cachorro quente, falando que vão lucrar horrores e terão franquias de sucesso como Bobs e Burguer King, ou como retardados que vão morar ilegal fora do país, são explorados, não conseguem juntar nada e ainda se acham poderosos por andarem em carro novo e morarem em casa de 100m², não vendo que aquilo é temporário, que não serão legalizados nunca, que não têm previdência e nenhum direito social e que ficarão um dia velhos e impossibilitados de catar bosta de americanos. Ou ainda podemos citar animais que acham que passarão em concursos fodas e em Medicina, mas os excrementos sempre foram os piores alunos da escola e nunca leram um livro sequer, sendo que só caras inteligentes, extremamente decorebistas e geralmente de famílias abastadas passam. Você é só mais um, seu beta fedorento! 

Eu só tenho pena de caras que deixam a vida passar e não fazem nada. Vejo marmanjos perdendo tempo com games, enquanto poderiam estar estudando, se especializando ou trabalhando, outros perdendo tempo e todo seu dinheiro com bombas falsificadas que só estão destruindo a saúde deles e os deixarão com terríveis sequelas nos próximos 20 anos, alguns perdendo tempo e dinheiro com negócios que já nasceram falidos, betas perdendo tempo com mulheres que destroem seu psicológico, levam toda sua grana, não dão sexo e os fazem de servos, alguns perdendo tempo fazendo faculdades sem perspectiva de emprego e em uniesquinas, tem aqueles que perdem tempo com farra em baladas e bares, andando com gente fracassada que nada tem a agregar, enchendo a cara com cerveja barata e terminando a noite sem comer ninguém e tem ainda os que estão apenas sobrevivendo, praticamente estancados na vida, sem fazer nada, sem ganhar nada, apenas vivendo um dia após o outro em seus empreguinhos de fracassados, ganhando seus míseros 1,5k por mês, que não pagariam nem 10 dias de curtição com minhas cervejas artesanais e minhas lindas damas da luxúria.

O que fazer então? Seja estratégico e não deixe a vida passar, pois o tempo é precioso demais! Analise quais são as suas condições e qual é o caminho mais fácil e rentável. Dificilmente você um mero mortal irá ganhar mais do que 3k por mês sem ter nenhuma especialização ou network. Para mim o melhor foi estudar, fazer muitos cursos, aumentar minha rede de contatos e saber jogar, pois todos querem o teu coro, pisar em você e se dar bem. O seu currículo é precioso, então não manche ele com faculdade e especialização bosta, tenha boa experiência profissional e faça uma boa rede de contatos (se envolva com pessoas que agreguem algo e não com pobres fracassados). Se você é burro, então faça um curso técnico em áreas com bastante mercado, trabalhe muito e acumule dinheiro. Se você é um completo fracassado, burro, fraco e preguiçoso então peça dinheiro no semáforo ou cuide de carros. O seu futuro depende de você, então não perca seu precioso tempo com inutilidades. Procure se desenvolver de forma diabística, aprimorando todas as áreas de sua vida. Não existe dinheiro fácil, então aprenda a poupar e investir, única forma de um beta ser alguém algum dia.

Só o dinheiro salva e te dará paz, conforto, prazer, saúde e felicidade. 


Um abraço do Pobre-Diabo!


Obs:
- Aos betas donos de blog ou que querem criar, se quiserem integrar a Diabosfera, então solicitem que eu os adicione ao meu blogroll e mandem seus contatos. 
- Quem acompanha o reduto diabístico desde o início sabe o quanto já sofremos ataques aqui, mas fomos fortes e vencemos. Haters sempre existirão, assim como betas antenados e inteligentes que não aceitam nenhuma desonestidade. Se você está sendo atacado (eu já fui muito), defenda-se e argumente ao invés de ficar chorando e culpando injustamente aos outros. O reduto é democrático e todos podem comentar aqui, inclusive quem se sentiu atacado. 
- Saliento que sou um grande apoiador da causa beta e quero mais é que todos os blogs cresçam e que nossa a Diabosfera se fortaleça. 
- Quero mais uma vez destacar aqui que esse reduto é 100% honesto e que eu nunca comentei deslogado aqui e nem teria motivos, pois o reduto tem uma infinidade de visualizações e comentários, que eu mal dou conta de ler, moderar e responder. Além disso, tenho a infinidade de e-mails que recebo e respondo. Ou seja, tenho mais o que fazer. 

sábado, 14 de abril de 2018

A beleza não é tudo!


No post passado falei da minha experiência de ter saído com um amigo gordo e careca, o qual mesmo sendo altamente social era invisível para as mulheres. Pois bem, minha experiência no domingo e ontem foi diferente, pois fui a um barzinho com três amigos, um beta B fedido igual a mim e outros dois betas A, beirando o semialfismo. Eles ganham seus 2k a 3k por mês, vestem-se bem e são engraçados. Eu como sou um beta B, covarde como uma cadela, introvertido, antissocial e tímido, antes de ir tomei doses cavalares de elixir dos deuses (cervejas artesanais) para me soltar um pouco mais e fumei alguns cigarros de cereja para me acalmar, pois não queria passar a imagem de ser o bobão do grupo.

Já para chegar impondo respeito, coloquei meu relógio Teg Heuer novo, uma pulseira de ouro no pulso direito, joguei o cabelo para trás com uma pomada de efeito molhado e vesti uma camisa mais justa listrada, estilo lenhador. A intenção era demonstrar sucesso, através de poder e dinheiro mesmo. Só em roupa e acessórios eu já tinha mais que todo o patrimônio do blogueiro cujo nome é de uma ave e é conhecido por ser mentiroso e péssimo nos negócios, tanto que abriu um cachorro-quente junto com mais seis sócios. Enfim, encontrei a rapaziada e já iniciamos o ritual alcoólico, com combos de bebidas, caros por sinal, pois eles queriam atrair mulheres com isso. 

Percebam que normalmente em grupos sociais homens querem se gabar com sua virilidade sexual, para tanto contam história exageradas que beiram o impossível, sempre inventando ou aumentando o que verdadeiramente aconteceu, como o nosso amigo falido aqui do reduto que mora com a mamãe, tem uma moto velha, usa roupas ridículas e infantis do Justin Bieber e se entope de bombas falsificadas altamente prejudiciais para a saúde, o qual inventa história de que todas as mulheres aonde ele vai ficam de queixo caído ao olhar para o seu corpo como cadelas no cio. O detalhe é que a primeira favelada, magricela de 35kg, sem bunda e rodada que ele pegou já a pediu em namoro, deu aliança e até virou crente para tentar fazer a moça esquecer o passo negro dela, já planejando até casamento. Que exemplo de alfismo, não? 


A grande verdade da vida é que você deve ser sempre racional, pensar unicamente em si e em sua felicidade, prazer e conforto, abandonando todo o tipo de ilusão e extremismo. Quase a totalidade dos homens se encantam com rostinhos bonitos e angelicais delas e já as imaginam como verdadeiros anjos puros e virgens, sonhando em tê-las somente para si e ser amado como se em um conto de fadas estivesse. Ledo engano, quanto mais bonita uma mulher é, mais ela é assediada, mais alfas e betas estão no seu pé, recebendo milhares de mensagens, curtidas, cantadas e convites, assim, mais confiante e seletiva ela é e muito mais experiência ela tem. Isso quer dizer que com certeza ela já experimentou muitos pênis diferenciados (e o seu será o menor de todos), já tomou muito leitinho de alfa (mas vai te dizer que nunca fez isso), já fez muito sexo anal (com os ex e com alfas também, sempre mentindo que nunca fez), já deu de primeira para vários e até surubas já pode ter participado, porém sempre se fazendo de santinha e mentindo que ficou com pouquíssimos. 

Enfim, sabendo de tudo isso e nunca buscando me iludir, enxergo o mercado sexual e sentimental (não acredito em amor!) sempre de forma estratégica, tendo sempre como objetivo o sexo, pois não sou carente de atenção fútil feminina. O problema é que quando você é um beta B mais feio que cu cagando, um filhote de urubu, parecendo uma mistura de Batoré com Cerveró fica tudo mais difícil. Mais difícil ainda quando você está em um grupo em que você é horrendo e tem alfinhas no meio, como foi o nosso caso, em que um dos caras era alto (também sou), físico Atlético, vestia-se bem e tinha rosto bonito e o outro era magro, mas elegante e com rosto agradável também. Depois de beber algumas, tentamos socializar com algumas garotas. Era engraçado que todas com que nós conversávamos ouviam sempre com atenção e riam quando os betas A falavam e com os betas B aqui era só desprezo, não importando o quão inteligente e engraçado fosse. Eu, como sou um autista com uma mente doentia, apenas observava isso. 

Alguns iludidos irão querer vender as ideias de PUAs e Jogos Sociais, que parecem ser tiradas de filmes de adolescentes colegiais, dizendo que se vestir bem, falar grosso, olhar com charme, demonstrar autoridade e ser engraçado fará as mulheres deliciosas cair aos seus pés, não importando o quão feio você é (um desses é o cara que namora a favelada magrela de 35kg). O objetivo desses idiotas é ganhar a atenção feminina, enquanto na Filosofia Diabística focamos unicamente no sucesso do beta. A verdade é que antes de tudo elas fazem um raio-X completo de você e em poucos segundo analisam a sua barganha (beleza, poder e dinheiro) com a dela (apenas beleza). Em um primeiro momento alguns até enganam elas com conversa fiada, beleza, roupas, relógio e por estar em camarotes, mas é só a fêmea ver que o cara é um fracassado que ela o larga na hora e parte para um melhor, como foi o caso dessa noite.

Não, seu beta imundo, você não irá pegar uma loirinha dessas sendo feio e pobre. Não adianta usar técnicas PUAs infantis, pois ela tem poder de barganha e muitos alfas e playboys aos seus pés. Ela não vai querer um betoso ridículo e fedorento igual a você

Não adianta espernear, criar teorias e querer contar vantagem aqui, porque se você é um beta pobre e fracassado que não demonstra poder e dinheiro, será rejeitado como um papel higiênico cheio de bosta por elas e se pegar alguma só será mulher lixo (nota 1 a 4). Você até pode dar uns beijinhos na balada por ser bombadinho e parecer playboy, mas só enquanto ela não saber ainda quem é você, pois na hora que ela ver que você mora com a mamãe, anda de moto barata, entrega pizzas e não tem um puto no bolso para dar conforto e prazeres para ela, vai te largar sem dó para pegar um que dê isso, afinal é o que elas procuram. Daí você vai ter que se contentar com uma baranga favelada e rodada se quiser ter uma namoradinha e sentir o falso sentimento de ser amado.

Depois de beber várias com meus amigos e mais 3 garotas que conhecemos lá (uma era gorda e feia e as outras duas eram nota 5 e 6, mas altamente comestíveis), todas elas eatavam dando moral para os dois betas A e rejeitando eu e o outro beta B asqueroso, fingindo que éramos invisíveis. Não importava o que eu falasse, elas nem prestavam atenção e nem davam continuidade ao que eu falava, mas quando eram os dois betas A exibidos que faziam suas graças e macaquices elas davam gargalhadas, o que incentivava eles a fazerem mais palhaçadas ainda. Isso já estava me incomodando muito porque eu estava pagando bebida para todo mundo e vendo que quem iria comer aquelas vadias seriam eles. Longe de mim de ser um mangina ridículo, falei que iria embora e todos decidiram ir também. Elas falaram que queriam carona e os dois betas A já se prontificaram, certos que comeriam aquelas safadas.

Ao chegar ao estacionamento, ficamos ali conversando mais um pouco, eu fiquei conversando com o betoso ridículo, enquanto as 3 safadas ficaram conversando com os betas A. Depois eu vi eles mostrando o carro deles para elas (os dois vieram juntos em um carro popular 1.0, simples e lixoso), sendo essa a deixa para eu mostrar o meu poder financeiro. Fingi que fui buscar algo no carro, desliguei o alarme e entrei no lindo e poderoso Diabo-móvel, saindo depois e voltando para o grupo, só para que elas vissem que aqui tem café no bule. Na hora vi que o olhar delas mudou para comigo e já começaram a fazer gracinhas para o meu lado. Uma delas diz: "então vamos embora, gente? Com quem nós vamos?". Na mesma horas os dois betas A exibidos já falaram que eles levavam elas embora. Elas, no entanto, perguntaram para onde eu ia e eu falei o meu bairro, que era longe do delas e que os caras moravam  mais perto.

Como as garotas se sentiram ao verem o carro lixo dos caras, automaticamente os enxergando como fracassados

Surpreendentemente (ou não) as duas mais gatas falaram que era melhor irem comigo, para não me deixar sozinho, visto que os dois já estavam juntos. A gordinha para não ir com os dois, já se abraçou com o o outro amigo betoso, ficando os dois betas A exibidos sozinhos. A cara que eles fizeram foi ótima e na hora eu senti um gostinho muito bom da vitória, confesso, pois os dois mais betoso iriam terminar a noite com as 3 moças. Como eu estava com duas mulheres comigo, decidi investir estrategicamente na que era mais feia e que me dava mais abertura, então fui primeiro na casa da outra deixar ela, para depois voltar sozinho com a minha presa. Fomos conversando no caminho e elas muito simpáticas, diferente de como estavam dentro do bar. Quando deixei a primeira em casa ela agradeceu e disse: "obrigada amigo, você é um amor". Antes que eu pensasse em investir na que sobrou, ela disse: "ai amigo, não precisa me levar, eu vou dormir na casa da minha amiga". Tentei dizer para ela que eu a levava, mas não adiantou. Para não sair no zero a zero pedi o telefone delas, tendo uma me dito: "passa o seu que eu anoto aqui". Fiz isso e fui embora.

Fui um mangina otário? Talvez sim, pois além de pagar bebidas para elas servi de taxista gratuito, sem ganhar nada e nem o telefone delas consegui pegar, não sabendo se algum dia me mandarão mensagem. De certa forma eu me senti usado por elas, mas quer saber? Que se foda isso, todas só querem saber de se dar bem, ganhar conforto, dinheiro e prazer, pois nada é de graça nessa vida. O que me confortou e me deixou feliz foi lembrar a cara de idiota dos dois caras metidos a alfinhas sendo trocados pelo beta B imundo aqui depois de elas virem meu poder financeiro frente ao deles. Sabe o que é o pior de tudo? Que o único ali que transou foi o cara mais beta e feio de todos, ele contou que até gozou na boca da gordinha. Isso só demonstra que a beleza não é tudo, que se você for um merda será duramente desprezado e trocado e que só o dinheiro pode salvar o beta. 


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 11 de abril de 2018

A tristeza (e depressão) por ser um Pobre-diabo feio

Post de 26 de março de 2017.
__________________________________


Como sempre tomei no cu na vida, estou de certa forma anestesiado. Estava conversando com uma mulher que conheci em um curso e o papo estava legal. Na quarta-feira decidi chama ela para sair e tomar algo. Parecia que aquela noite eu iria transar. Entretanto, mais uma vez tomo um banho de água fria. Papo vai, papo vem e eu fui tentando me aproximar, encostar na perna dela e a conversar mais intimamente. Porém, ela não dava muita brecha e ficava o tempo todo mexendo no celular. Uma hora ele descuidou e vi que estava conversando com outro cara. Ou seja, eu sou tão bosta que ela está comigo, na minha frente, e falando com outro. Tentei disfarçar a cara de fracassado mas acho que ficou muito evidente.

Depois disso, ficou um silêncio entre nós dois e ela sempre mexendo no celular. Não tive nem coragem de ir embora, foi ela que falou para irmos. Acompanhei até a saída e fiquei sem saber o que fazer, parecia um adolescente cabaço. Só demos tchau e mais nada. Fui embora de lá com raiva de mim, por que eu tenho que ser tão zoado assim? Porra, quem é o problema comigo? A mulher nem era tão melhor do que eu, era magra e tinha um rosto bem mediano. Qualquer alfinha comeria ela em menos de 3 horas e eu já estava conversando com ela fazia 1 mês pelo celular.

Na quinta-feira, depois do almoço vi a rapaziada rindo na cozinha e decidi ir lá tomar um café. Eis que um dois deles começaram a falar da mulher que eu saí na quarta, que eu chamarei de Jada (em homenagem a uma atriz que eu gosto muito). Eles fizeram o mesmo curso, pois a empresa pagou para treinar alguns funcionários. Eis que ouço que um deles comeu ela na quarta de noite, ou seja, depois que ela foi embora e nem encostou em mim. Eles falavam o tempo todo o quanto ela era safada e que todos já comeram ela. Quem foi o único que não? O desgraçado do beta B aqui. Isso me fez muito mal, destruiu minha autoestima. Comecei a me achar 10 vezes mais feio e chato virgem.

As vezes eu sinto como se as pessoas me enxergassem como o Quasimodo, famoso corcunda de Notre Dame.

Tentei me segurar essa sexta, mas não consegui, bebi de volta. Eu estava depressivo e precisava de algo para espairecer. Comecei na praça de alimentação do shopping, depois boteco e por fim na minha casa. Todas as vezes sozinho. Cada vez mais eu sinto que preciso beber para esquecer um pouco dessa maldita vida de beta B. Será que a Jada me achou tão feioso e sem valor social e financeiro? Comecei a refletir: Por que eu tinha que nascer tão feio e escroto? Os deuses devem odiar meus antepassados! Na verdade, colocar a culpa no sobrenatural é a coisa mais tola a se fazer. É só pegar as fotos de familiares antigos, avós, bisavós, tios e primos que dá pra ver como eram pessoas feias, um verdadeiro festival de horrores! Uma genética podre passada de geração em geração. Como pode não ter nenhum miserável bonito na família? E como todos eram e são pobre, relacionam-se apenas com feias pobres, perpetuando nossa condição de beta tosco e fracassado.

Comecei a observar as pessoas no shopping. No geral, gente bonita anda com gente bonita. Gente feia anda com gente feia. Eu sempre digo que a única saída para o beta é ter dinheiro, pois mais bonito ele nunca vai ser, só se fizessem um transplante facial. Não só isso, mas também o poder que ele adquire quando se tem grana, pois normalmente betas são covarde e verdadeiras chacotas ambulantes. É claro que mesmo com dinheiro, o beta não vai aparentar ser poderoso. Vai poder sim ter um nível de conforto mais elevado que é o que importa. Incrível como a beleza física e juventude fazem a diferença! É só observar o tratamento que as mulheres gostosas têm em qualquer lugar. Todos as respeitam. Homens viram cadelas serviçais perto delas! Caras bonitos de rosto e corpo sarado também possuem tratamento VIP em qualquer lugar. Para esses tipos, sexo de qualidade não falta! Impossível um beta querer concorrer.

Beleza facial e juventude são coisas que não se pode concorrer, nem dinheiro ganha (até um certo nível, diferente se você tiver muito dinheiro e andar de Porsche). Enfim, as pessoas gostam do que é bonito. O cara para quem a Jada deu era estiloso e não tinha um rosto estragado igual ao meu. Por isso que eu digo que a única solução é ter dinheiro. Claro que não é só por causa de mulher, quero conforto também, mas que essa situação incomoda isso eu não posso negar. Pessoas que nasceram bonitas têm muito mais oportunidades na vida, e não somente no mercado sexual, mas em tudo! São mais felizes, têm mais autoestima, são mais facilmente incluídas em grupos sociais, destacam-se mais no trabalho, são bem recebidas e tratadas etc. Se você é uma besta ambulante, uma aberração humana igual a mim, você só irá se foder. Só ter uma certa quantia em dinheiro não vai resolver. Para você concorrer com os beneficiados pela genética você tem que ter muita grana e estar incluído muito bem socialmente.

Tem como competir com um cara desses? Nem se estivesse andando num carro de 100k daria, parem de se iludir betas! Não sejam extremistas achando que serão poderosos e terão mulheres gostosas, elas foram feitas para esses caras!

Não é com qualquer R$10.000,00 mensais que você será poderoso, andará de Camaro e comerá somente loiras saradas deliciosas, isso é ilusão! A juventude e beleza são itens muito valiosos, abrem muitas portas. Mesmo eu tendo, relativamente, um bom salário, casa e carro, isso não é suficiente, pois sou um beta B, com quase 30 anos, feio igual a um cu cagando, com cara de velho e não me destaco em nada. Não é andando de Golf ou Civic que você será poderoso, parem de se iludir. A única salvação é o dinheiro. Invistam em vocês mesmos e procurem alegria em outras coisas. Quanto menos pensar em mulher, relacionamentos e a reclusão social imposta em virtude da feiúra extrema, melhor. O beta deve investir em seu intelectual e financeiro mais que tudo, assim compensará sua vida de sofrimento e poderá ter novas alegrias para substituir a tristeza que lhe foi
imposta injustamente pelo destino.

E antes que perguntem, sim, eu estava muito deprimido essa semana, ainda mais depois do que aconteceu. Eu não estava apaixonado pela Jada, porém me senti um enorme pedaço de bosta quando soube que ela saiu e foi dar para um cara que eu conheço pouco tempo depois que estava comigo e nem relou a mão em mim. E não só isso, acho que tenho sido muito pessimista e pensado em tudo negativamente, talvez em virtude da minha extrema racionalidade. Tenho bebido muito, sexta eu só queria esquecer da vida e ter algum momento de felicidade e de certeza forma eu tive, o álcool me ajudou a esquecer brevemente de como sou um merda. Não estou incentivado a beberem, pelo contrário, além de não ajudar em nada, você pode desenvolver um vício e prejudicar o seu corpo, como eu tenho feito. Já sou feio, agora tô ficando com uma pança mais nojenta ainda. Preciso mudar e pensar em algo para ocupar meu corpo e mente. Não postei na sexta porque eu estava muito para baixo e bêbado, até tinha escrito metade do post pelo celular, mas fui dormir e não consegui terminar. No sábado eu tive que trabalhar o dia todo e não consegui terminar nos intervalos que eu tinha. De noite eu resolvi sair para beber de novo e fiz uma idiotice que eu me envergonho muito e mereço ser espancado pelos betas. Eu mandei mensagem para a Jada chamando para sair.

Ela apenas visualizou e não respondeu. Fiquei com muita raiva de mim, parecia um mangina desesperado por mulher. Então eu resolvi beber mais ainda em casa, assistindo séries. Nesse meio tempo eu tentava escrever, mas não conseguia pela raiva, tristeza e solidão que eu estava. Enfim, lá pela meia noite, depois que a tristeza e raiva passaram eu resolvi que vou mudar. Isso é uma necessidade. Vou parar de beber (tanto), vou me exercitar mais, cuidar da minha saúde, ler mais e fazer mais atividade sociais e hobbies. Preciso disso, pois não quero andar feio um otario cabisbaixo por aí, um chorão cuzão, não preciso ser assim, tenho uma boa qualidade financeira, agora só preciso cuidar no meu lado mental e físico para ser mais tranquilo e feliz e, também, menos monstruoso e não assustar tanto as pessoas com a minha feiúra. Hoje já acordei bem melhor, até decidi que vou correr no parque de tarde. Quero ser mais feliz, preciso ser mais feliz.


Abraço do Pobre-diabo.

sábado, 7 de abril de 2018

A ilusão de sucesso e o resultado que ela produz na mente não-diabística


Muito bom dia, nobilíssimos betas diabísticos! Como de costume, passei mais uma noite degustando  exageradamente o licor da alegria, o líquido que alegra a alma, o elixir dos deuses, ou seja cervejas artesanais e outras bebidas etílicas. Como eu amo isso e o melhor, minha condição financeira me permite fazer isso quando e quanto eu quiser. Diferentemente de uns conhecidos nossos que simulam uma realidade de sucesso, mas na realidade são uns coitados que precisam explorar seus ascendentes para montarem negócios fadados ao fracasso, esse Pobre-diabo aproveita a vida experimentando aquilo que o dinheiro pode comprar, pois como todos sabemos, apenas o dinheiro salva.

Em decorrência da minha resistência etílica, tenho que beber muito para poder atingir o estado de êxtase que me apreende e me faz filosofar diabisticamente. Isso, evidentemente, tem um alto custo, pois minha ressaca no dia posterior é insuportável, porém como meu prazer em degustar o elixir dos deuses é tão próximo ao de me deliciar com as damas da luxúria, acabo empreendendo grande parte da minha energia na busca desses prazeres carnais e não percebo quando estou exagerando. Evidentemente que em alguns momentos apenas ficar em casa e assistir algum filme acaba por ser satisfatório, porém como minha ânsia em me embebedar e transar é grande e o salário diabístico suporta meus exageros, programas mais rotineiros acabam por ser extremamente tediosos.


Digo isso porque ontem saí com um amigo beta gordo e careca, porém extremamente bem relacionado. Incrível que onde ele vai todos o conhecem e o tratam bem e gostam de falar com ele. O que noto é que a admiração que todos parecem demonstrar por ele decorre do fato de parecer bem sucedido (ele tem um carro legal, anda sempre bem vestido, trabalha em algo legal), pois é muito mais fácil gostar de quem você sabe que não vai te olhar com cara de fome e te pedir dinheiro emprestado porque fez escolhas erradas na vida como vender cachorro quente numa barraquinha em que abriu com mais 6 sócios e ainda ter coragem de chamar isso de empresa. Enfim, o fato de parecer bem sucedido é um alto valor agregador da imagem social que cada um possui, mas mesmo assim não é unicamente suficiente se sua aparência não colabora. Como eu disse, meu amigo é um beta B gordo e careca, o que já acaba sendo um repelente natural de mulheres e um fator determinante na questão de secar vaginas.


Depois de termos saído do bar em que estávamos degustando as deliciosas cervejas artesanais, resolvemos ir a uma balada direcionada a um público mais maduro que esses estabelecimentos frequentados por crianças recém emancipadas pelos seus 18 anos. Obviamente que em questão de beleza das mulheres e de sua idade esses lugares são melhores, mas quem é o otário que se ilude achando que uma novinha vai querer um beta B mais feio que cu cagando? Elas estão lá em caça dos alfas e como a demonstração física e ostentatória é determinante na formação das primeiras impressões, um beta como eu teria que estar ostentando o suficiente para fazer parecer que os alfas que comigo concorrem são uns bostas. É diferente do que ocorre onde trabalho, pois como todas as mulheres sabem da minha condição proeminente, fica muito mais fácil convencer que meu valor é deveras superior que de outros homens. 

Como eu não gosto de ostentar, frequento lugares mais condizentes com minha condição betística. Assim como eu disse anteriormente, eu e meu amigo beta gordo chegamos nessa balada que citei e para parecer mais descolado fui com um chapéu fedora preto, porém ao entrar notei como as mulheres me olhavam e viravam a cara para o lado rindo de mim. Pensei inicialmente que estava marcando o território e sendo notado para depois ser mais fácil chegar em quem me interessasse, porém lembrei que estava sendo ridículo porque isso é uma técnica PUA e quase vomitei, pois detesto essas mentiras que alguns blogueiros desonestos contam e cobram para tentar enganar betas burros e fedidos. O mais engraçado é que quem olhava para nós achava que estávamos recriando na vida real aquele programa de humor do O Gordo e O Magro, por isso tirei o chapéu e deixei no guarda-volumes. Logo que entramos um garçom já reconheceu meu amigo e fez um sinal com a mão, sendo respondido positivamente por ele. Não deu nem 10 minutos e um grupinho de alfas foi retirado de onde estavam, nossa mesa foi colocada no lugar deles e estávamos na frente do palco com um combo caprichado de bebidas. As mulheres ao redor já nos olharam surpresas, pois como dois betas B mais feios que cu cagando simplesmente despacharam os alfas que estavam dominando aquele lugar? Juro que me senti o Silvio Santos ali.


Enquanto bebíamos, varias mulheres vinham e ficavam ao nosso redor. Meu amigo gordo, extremamente social, fazia todas rirem e em decorrência da minha introspecção patogênica que me faz parecer mais travado que o Stephen Hawking, eu sequer conseguia desenrolar uma conversa que durasse mais que 5 minutos. Percebi que meu amigo tinha conversas prontas e sempre as repetia quando notava estar direcionando para vítimas diferentes que não se conhecessem. Resolvi usar uma de suas estratégias e consegui me engatar com uma morena nota 7,8. Obviamente que ela estava ali comigo não por minha causa, mas por razão de estarmos demonstrando ser bem sucedidos. Percebi que qualquer merda que eu falasse ela ria, logo um ser diabístico sagaz como eu viu que ela estava no meu jogo. Continuei oferecendo bebida para ela e falando besteiras (pois eu já estava bem bêbado) até ter o indício de que o diabinho iria visitar lugares quentes e úmidos nessa noite. Quando ela bobeou, tasquei um beijo nela, o qual foi retribuído com uma carícia oral magnífica.

A noite foi passando e eu continuava pegando a morena nota 7,8 que estava comigo. Enquanto isso, meu amigo beta B gordo apenas ficava fazendo suas macaquices e sempre que tentava chegar em uma das mulheres que riam de suas palhaçadas, elas o despachavam. A partir de um certo momento ele desistiu e ficou apenas conversando com uns amigos que tinha encontrado nessa balada e eu continuei com a morena. Porém, o que não notei foi que nossa bebida já estava perto do fim e ainda faltava umas 2 horas para acabar a noite. Desesperado em manter o que estava acontecendo, chamei o garçom e pedi a carta de preços, mas me desanimei na hora pois eu já teria que dividir o combo que havíamos pegado e eu não bancaria sozinho o próximo. Assim, esperei a bebida acabar e continuei conversando com a morena 7,8. Num determinado momento ela me olhou e disse que precisava ir ao banheiro e já voltava. Então ela saiu e não mais a vi. Depois de 30 minutos tentei a achar, mas a vi saindo do caixa e indo embora. Até acenei, mas ela fez uma cara de poucos amigos e me ignorou. Me senti um completo idiota, pois estava me sentindo muito bem em decorrência do que estava passando e por ter esquecido minha repugnante condição de beta B mais feio que cu cagando, mas não percebi que tudo aquilo era ilusão. Como não havia mais bebida, estávamos desacompanhados e a noite estava acabando, chamei meu amigo para irmos embora. Ele topou e chamamos a condução, pois não tínhamos condição de irmos embora dirigindo. 


O que tiramos de lição disso tudo, caros diaBETAS? Que o sucesso (ou a ilusão de sucesso) é um dos maiores afrodisíacos que o homem pode ter. Obviamente que você tem que cuidar de sua carcaça para que ela não seja usada contra você, visto que ninguém gosta de gordos, feios, magrelos e pobres. Porém se você for usar a ilusão de sucesso a seu favor, você tem que ter o timming dos eventos. Por exemplo, se eu tivesse intimado a morena 7,8 para irmos embora enquanto ainda tinha bebida e estávamos bem alcoolizados talvez ela teria aceitado, pois até aquele momento eu estava demonstrando ter mais valor que os meus concorrentes. Porém como eu esperei a bebida baixar e não paguei outro combo, imediatamente ela percebeu que eu sou um pão-duro de primeira categoria. Como a muquiranice é um alto fator secador de vaginas, ela desistiu de mim.

Portanto, caros betas, desapegai-vos de toda a ilusão e de todo de extremismo, pois bem aventurado é aquele que não se deixa iludir pelos devaneios de nossas mentes. Amém ou não amém?


Um abraço do Pobre-diabo!

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Um feriado depressivo e como tudo pode mudar por causa de uma vagina

Post de 15 de abril de 2017
_____________________________

O que motivou a escrever esse post foi a grande quantidade de comentários depressivos no último post, retratando a realidade da vida de muitos betas A, B, C e D. Alguns betas que se acham fodões ficam criticando nós pobres-diabos, dizendo que só sabemos chorar, o que não é verdade, o que fazemos é lamentar e desabafar e isso faz muito bem, pois de uma certa forma colocamos para fora essas frustrações. Engolir essas coisas só faz com que a depressão destrua mais nosso psicológico e aqui é o lugar certo para discutirmos, brigarmos, desabafarmos etc. No meu caso eu desabafo e isso me ajuda a procurar refletir mais sobre o que posso mudar para não acabar me deprimindo ainda mais e afundar no alcoolismo. Qual a culpa que temos de ter as vendas dos olhos tiradas pela filosofia realista diabística?

Esta sexta-feira foi a famosa sexta-feira santa, feriado em todo o país, data esta em que é lembrada a crucificação de Jesus Cristo, ou seja, uma data que lembra sofrimento. Como o feriado caiu na sexta emendou-se uma sequência de dias de folga. Para nós betas o sofrimento lembrado nesta data não fica só na lembrança, pois ele se materializa em nossas vidas desgraçadas. Vimos diversos relatos de betas descrevendo seu feriado, o que me deixou bastante triste, pois vejo que todos nós temos vidas de merda bastante parecidas, e que fomos condenados pelo universo para viver uma vida depressiva, de infelicidades, sofrimentos, de vontades não satisfeitas, sonhos não realizados e humilhações. É só abrir as redes sociais que vemos todo mundo se divertindo em viagens, churrascos, baladas etc, sempre rodeado de amigos e mulheres. Cada foto que vejo das pessoas se divertindo parece que é um soco na boca do estômago que levo e quando vou revidar apanho ainda mais, demonstrando o porquê eu sou um beta B, um excremento humano, um ser ostracizado pelo mundo, um demônio asqueroso, um mendigo social, um verme fétido, um cu quebrado arregaçado por consolos gigantes, proibido pelos deuses de ter uma vida digna.

Acordo às 7 horas da manhã, mesmo sem despertador, pois meu corpo de beta gado acostumou com essa vida de pobre trabalhador escravizado pelo mundo capitalista (não sou adepto da filosófica comunista, antes que os otários extremistas falem alguma coisa). Abro os olhos, fico imóvel, lembro que hoje é feriado, então fecho os olhos e tento dormir de volta, pois nada de interessante tem para que eu levante da cama, entretanto pensamentos diversos invadem minha mente, não deixando eu dormir. Levanto da cama e sento na beirada dela e imóvel fico olhando fixamente para o chão, imaginando como será o meu dia de feriado, ou seja, triste, depressivo e solitário. Depois disso levanto e vou para a cozinha preparar o meu café, que tomarei sozinho e com raiva desse mundo de bosta.

Sento novamente na cozinha e olho para o teto refletindo sobre como será o meu dia. De certa forma a rotina do trabalha deixa sua mente beta ocupada e quando você sai dessa rotina acaba estranhando. Abandonei a ideia de fazer um café e ligo para minha mãe e combino de ir tomar um café com ela e meu velho pai. Coloquei uma roupa qualquer e fui. Chegando lá sou recebido com um sorrido no rosto pela minha velha; meu pai, por sua vez, só me dá um aperto de mão e um tapa no ombro e já senta no sofá de novo. Nunca tive um contato muito próximo com ele, talvez por ele sempre ter sido alfa enquanto jovem e depois virou pai de um filho beta B, feio, covarde, fracassado, bobão, escroto e nerd. Minha mãe sempre contou histórias de como meu pai chamava atenção da mulherada quando era jovem e pegava todas. Ele deve olhar para mim e se perguntar: “Será que essa escória é meu filho? No meu tempo homem não era assim. Que ser mais horroroso, parece um cu cagando!”

A cara que meu pai me olha. "Será que esse fracassado é meu filho?" Será que ele não gosta de mulher? Eu na idade dele comia duas vadias por semana.

Conversei um pouco com minha mãe, mas nada com meu pai. Comecei a me sentir mal ali, pois não é mais como quando era jovem, parece que não faço mais parte daquele lugar. Por estar incomodado com a presença do meu pai, tomei uma xícara de café e inventei que tinha logo que ir embora. No caminho fui refletindo sobre o que poderia fazer hoje. Parei no semáforo e abri meu aplicativo de mensagens. Nenhuma mensagem para mim, somente alguns grupos em que o pessoal mandava suas piadinhas ou enviava fotos de carnes assando na churrasqueira. Isso me deixou com mais raiva de mim, por que eu nasci um beta B? Por que eu não puxei o meu pai e tive que nascer essa aberração humana e social? Tentei esquecer essas coisas, pois prometi para mim que iria mudar. Então mandei mensagem para dois amigos beta C (“Vai uma cerveja hoje?”) e para a menina que eu falei que peguei o telefone no post “Na verdade elas gostam mesmo é dos machistas!” eu mandei “e aí, o que vai fazer no feriadão?”. Olhei outros telefones que eu tinha na agenda, mas nenhum iria dar boa. Continuei dirigindo.

Como eu já disse, ela é feia de rosto, mas tem uns peitos legais, até achava que eram silicone, pois são grandinhos e redondos. A pele é branca e o cabelo castanho claro. A bunda é razoável, nem grande e nem pequena, mas bem comestível. O único problema é que ela tem uma mini barriguinha, coisa que eu mais odeio em uma mulher, logicamente que eu não deixaria de transar só por esse detalhe. A chamarei aqui de Mandy (em homenagem a uma atriz, como de costume). Antes que me chamem de mangina que só pensa em mulher, eu mandei as mensagens já esperando que não fosse respondido, enquanto isso já estava pensando em dar uma corrida, depois comer alguma coisa diferente em algum restaurante e fazer alguma coisa diferente depois. Um beta escroto e solitário deve bolar várias coisas para não ficar depressivo em casa, chorando que nem uma marica.

Cheguei em casa, fiquei um pouco navegando na Internet, depois tomei um banho e saí para almoçar aqui perto em uma churrascaria. Que comida gostosa! Brevemente eu fiquei feliz comendo aquela carne deliciosa. Pensei comigo: como é bom ter dinheiro para poder comer a vontade uma comida gostosa dessas, que não vai nem coçar meu patrimônio, imagine se eu fosse casado com uma gorda e tivesse dois filhos nossos e mais 2 filhos dela com outro macho, meu dia estaria sendo uma bosta, seria obrigado a viajar e torrar minha grana suada com eles. Mas não, ainda sou jovem, tenho meus bens, meu dinheiro guardado e um bom salário. Olho meu celular de novo, mas ninguém respondeu e automaticamente eu penso: o que adiante ter tudo isso se eu não tenho uma companhia, se eu não tenho amigos? A tristeza novamente veio, porém tentei afastar ela da minha mente, entretanto a mente derrotada e fracassada do beta é mais forte. Paguei a conta e fui embora chateado.

Fiquei deitado o dia todo em casa, trocando de canal, tentando assistir séries, tentando ler algo interessando e até homenageei uma atriz que eu admiro muito o trabalho. Nada disso conseguia tirar aquela pressão na minha mente, aquela raiva pela solidão que estava sentindo. Até que cochilei, talvez tenha sido a parte mais feliz do meu dia, quando minha mete se desligou e parou de pensar nessa vida bosta. Eis que meu celular toca e eu acordo com um susto. Já estava escurecendo. Pego meu celular e pelo ícone do aplicativo vejo que recebi várias mensagens. Entre as mensagens dos grupos, um amigo respondeu, dizendo que tinha um churrasco para ir, convidando para que eu fosse também. Isso me animou. Porém fiquei mais feliz quando vi que Mandy me respondeu. Porra, como pode elas mexerem tanto com a gente? Será que só betas são carentes ou isso faz parte de todos os homens? Se assim não fosse, veríamos muitos solteiros por aí, porém isso não acontece, pois todos querem ter sua família, namoradas, esposas, amantes... Entendam que não estou falando se isso é certo ou não, são apenas reflexões diabísticas.

Não, a Mandy não é igual essa gostosa, seus betas haters do caralho! Ela não chega nem perto disso, obviamente porque nunca uma deliciosa assim daria mole para um beta B mais feio que um cu cagando e mais sem graça que as piada de A Praça é Nossa.

“Oi Diabo, visitei minha vó e não tenho nada pra fazer mais e você?”, respondeu Mandy. Como eu não tinha nada a perder com ela, tampouco pensava em namorar ou casar, mandei: “afim de tomar uma cerveja?”. Ela só respondeu: “partiu!”. Na hora parece que toda a tristeza e solidão betística esvaeceram como fumaça, um grande sorriso encheu a minha face e eu dei um soco no ar de alegria. Combinamos de eu passar na casa dela e irmos para um barzinho. Destaco aqui que não estou apaixonado, só precisava fazer algo diferente e nada melhor como uma possível transa para alegrar um beta B cocozão como eu. Tomei um banho, coloquei uma camiseta polo, uma calça mais justa (antes usavau mas calças largas e me deixava com cara de mais nerd), meu relógio dep onteiro novo, passei um perfume, arrumei o cabelo e fui.

No carro fui pensando em tudo o que eu poderia falar e os assuntos da conversas. Como eu sou um beta cuzão e com fobia social, preciso preparar tudo o que falar para não parecer um retardado autista. Comecei a pensar comigo: Porra, eu sou um cara relativamente bem sucedido, com quase 30 anos, por que estou agindo como um adolescente? Se ela fosse uma deusa gostosa de nível A, tudo bem, mas não, ela é uma feinha que não deve ter dinheiro nem para comprar uma bicicleta! Obviamente que para elas não interessa ter dinheiro ou não, basta ter uma vagina que qualquer homem paga pau. Mas esse não seria eu hoje. Precisava demonstrar confiança, pois hoje eu estava para o crime! Hoje eu iria transar! Hoje eu não seria um beta bundão mongo e chorão! Hoje eu seria no mínimo um beta A e iria colocar o diabinho, que ultimamente só servia para mijar, para trabalhar!

Era início da noite quando cheguei na casa dela. Mandei mensagem e ela entrou no carro. Que diferente ela estava! A mulheres são exímias mascaradoras da realidade, parece que conseguem se transformar em outra pessoa quando arrumadas. Confesso que ela até que estava bonita com aquele 1 kg de massa corrida que meteu na cara. Colocou um vestidinho preto e até menos pança parecia ter (com certeza ela teria colocado aqueles corpets por baixo, só pode. Não que eu possa exigir muito, até porque eu sou um demônio de tão feio). Cumprimento-a com um beijo no rosto e automaticamente meu olhos fixam em seus seios. A safada colocou um decote que ressaltou bem suas mamas e isso tirou brevemente minha atenção por alguns segundos. Volto o olhar para ela (quedeve ter adorado ter visto minha cara de beta cabaço tarado), pergunto se está tudo bem e já vou tomando rumo para o barzinho. Já comecei a contar as coisas que eu tinha feito, uma atrás da outra, pois não queria que ficasse aquele silêncio no carro. Comecei então a fazer perguntas para fazer com que ela falasse, afinal mulher adora falar. Tive sorte pois Mandy adora falar, então me poupava de ter que ficar falando e ser interessante, coisa que eu como beta B escroto não sou. Tentei agir normal sem ficar secando aqueles peitões e me mostrar um cara normal e não um desesperado atrás de sexo.


Já no barzinho começamos a tomar cerveja, nada de drinks frescos para ela. Eu já chamava o garçom e ia direto pedindo cerveja para nós, nem perguntava o que ela queria. Aprendi que quando você tem menos barganha não deve demonstrar fraqueza nem manginisse, senão você será pisado pela fêmea. A gente conversava e eu tentava não olhar para os peitos dela, já imaginava toda a sorte de coisas perversas, porém não queria parecer um tarado e nem deixar ela se achando. Fomos ficando alegrinhos e eu consegui me soltar, ri bastante, falei besteiras e fiz ela rir muito. Aquela noite ela estava na minha. Aquele dia de tristeza, raiva e solidão passou. Naquele momento, como em um jogo de RPG eu dei um upgrade em mim, subi de level, virei um beta A. É incrível como as mulheres tem um poder imenso de mexercom os homens. É só observar como os símios brigam nas baladas por mulher,matam e se matam por causa de mulher, trabalham igual cavalos por causa de mulher, enfim, vivem em função de mulher. Não estou dizendo que eu sou assim, mas confesso que meu dia melhorou totalmente naquele momento, mesmo não sendo nenhuma beldade.

Mandy estava na minha. Fisicamente ela está muito acima de mim, até dá um contraste vendo nós dois, principalmente ela toda arrumada. Tenho certeza que ela só deu mais moral para mim por me achar bem-sucedido, pelas minhas roupas, por morar sozinho e por ter um bom carro. Se eu fosse um beta do cu quebrado, pé rapado ela não teria nem aceitado sair comigo. Enfim, paguei a conta, que deu um pouco mais de R$100,00 e fomos para o carro. Eu estava um pouco nervoso pois nem havíamos nos tocado ainda e eu não admito gastar dinheiro sem pelo menos pegar em mamas e receber carícias orais em meu falo. Fomos em direção ao estacionamento e quando chegamos no carro eu só pensei: “É agora!”, agarrei ela, com uma mão na cintura e a outra segurei ela na nuca e beijei forte. Que sensação boa! Minha terceira perna aumentou imediatamente e já a senti cutucando a barriga de Mandy. Fiz questão de que ela sentisse a minha espada diabística praticamente perfurando seu abdômen.

Depois disso, foi tudo mais fácil. Entramos no carro e começamos a nos beijar ainda mais ali dentro. Já fui pegando nos peitos e bunda e ela deixou. Isso que é bom de mulheres mais experientes e não tão novinhas, não ficam fazendo ceninha (não estou falando que namoraria ou casaria com rodadas, antes que falem merda!). Meti a mão por dentro do decote, tirei uma teta para fora e já cai de boca. “Diabooooo, aqui não!”, disse a gazelinha, presa fácil, prestes a ser devorada pelo leão faminto que era o Pobre-diabo naquele momento. Vamos para um lugar mais tranquilo. “Já vamos, fica tranquila que o vidro é escuro, não dá para ver nada” (um dos motivos de eu colocar insulfilme 5 foi esse). Coloquei a mão dela em meu amigo fálico maligno e ela já tratou de fazer o resto: tirou o para fora, mexeu um pouquinho nele e o abrigou em sua quente, macia e molhada boca. Eu estava louco, eu estava feliz, eu estava em êxtase, eu estava afoito, eu não era um beta tosco, eu era um predador faminto!


Ela começou a chupar igual a uma doida, gemendo com uma vozinha fininha, enquanto punhetava o diabinho, se babando toda. Estava bom demais! Enquanto isso, eu segurava o cabelo dela com a mão esquerda e a direita apertava sua bunda e relava o canto de seus peitos. Que sensação ótima! Aquele dia de merda foi esquecido. Não! Não só aquele dia de merda, mas a semana toda de merda foi esquecida! De repente eu falo: "Calma, Mandy, calma!" Tendei tirar o diabinho de seu abrigo quentinho e molhado, porém não tive tempo. Fui obrigado a alimentar uma pobre moça com laticínios humanoides e ela, parecendo um bezerro faminto, tomou tudo. Aquilo foi maravilhoso. Obviamente, que eu me liguei na malandragem da moçoila, já me fez gozar ali mesmo, acredito que fez isso para não me dar de primeira, talvez para fazer uma imagem de boa moça. Pare, né? Para o Pobre-diabo aqui não! Mesmo assim, a noite valeu muito, pois me diverti muito, consegui me sentir menos bosta e ganhei um baita boquete. Nada mal para um beta B escroto, não?

Guardei o bichão, que neste momento já estava dormindo, e fui indo em direção à casa dela. Fui apertando suas coxas e logo senti umas latejadas e o diabinho querendo acordar de novo. Intimei para irmos para minha casa, porém ela disse que não podia, pois precisava acordar cedo e queria passar a noite com seus pais. Não insisti, até porque ela caprichou no agrado ao little devil e eu estava satisfeito. Conversamos até chegar em sua casa, até que parei o carro na frente. Ela tirou o cinto e já me pegou pelo pescoço para me beijar, deu primeiro um selinho e meio que abriu a boca para dar um beijo de língua, momento em que senti um cheiro de porra nojento, que me embrulhou o estômago. Na hora eu agarrei ela, segurei pelo cabelo e comecei a morder o pescoço dela. Tenho certeza que ela percebeu que eu estava com nojo daquela boca podre. Então eu me despedi, dei mais um selinho e já coloquei as mãos no volante, indiretamentea expulsando de meu santuário de quatro portas, onde rituais de luxúria acontecem.

Eu sei que pareço um adolescente cabaço que fez sexo e fica impressionado, porém quando as coisas dão certo para um beta B depressivo é assim mesmo que acontece. Depois de vários dias de tristeza, estresse e depressão, sair assim, divertir-se e terminar a noite desse jeito não é nada mal. Cheguei em casa, sentei na mesa liguei o notebook e comecei a escrever essa história para vocês, amigos betas. Prometi que hoje eu não atrasaria o post e que não iria beber antes de terminar e acabar bêbado como das outras vezes. Agora mesmo acabei de terminar o post, beberei algumas cervejas que tenho na geladeira antes de dormir, assistindo alguma coisa na TV ou vídeo no PC. Quero destacar aqui como pequenas coisas podem nos fazer feliz e elevar nossa autoestima. Não necessariamente pegar uma mulher seja a solução para os betas, mas qualquer vitória, por mais pequena que possa parecer, é capaz de melhorar mil vezes o dia de um pobre-diabo fracassado. Só o fato de eu sair de casa, sentir-me interessante, conversar e ter um momento agradável com uma fêmea foi o suficiente para que meu dia fosse espetacular. Tenham uma ótima noite e um ótimo fim de semana, camaradas!


Abraço do Pobre-diabo!


Obs: como já foi dito em posts anteriores, alguns textos do blog antigo serão postados novamente, para não perdermos algumas preciosidades de nossa tão famosa Filosofia Diabística. No post de sábado teremos Diaboladas.