sábado, 20 de janeiro de 2018

Como eu me sinto sendo desprezado pelas mulheres


Ontem eu saí do trabalho com um desgaste mental tremendo, pois faz pouco tempo que saí de uma vida idílica e agora voltei para essa vida de estresse. Tentei ouvir uma música no carro para me acalmar, mas o Metal me trouxe um sentimento de nostalgia que fez lembrar de como eu era um adolescente fracassado, isolado, virjão e sem graça. Ao passar na frente de um barzinho eu li uma placa escrita "IPA" e naquele momento eu quase dei uma derrapada e entrei desesperadamente naquele ambiente divino com o carro e tudo. Era disso que eu precisava, do refresco da alma, o elixir divino, ou seja, cervejas artesanais. Dei a volta na quadra, atendi ao chamado divino, pois tenho certeza que foi um sinal vindo dos céus, e estacionei em frente àquele templo dos deuses, a fim de consumir do seu precioso líquido da alegria, paz e da autorreflexão filosófica diabística. 

Três copos da poção do extravasamento mudaram meu humor, tanto que criei coragem e fiquei olhando fixamente para uma mesa com quatro garotas sentadas, muito alegres, a fim de ver se alguma delas era propensa a iniciar um ritual de acasalamento diabístico. Senti na pele o meu super poder de invisibilidade. Não recebi sequer um olhar, afinal, quem que gosta de ficar olhando um ser mais feio que cu cagando, um verdadeiro amontoado de fezes? Isso não me deixou triste, pois eu sei que elas são utilitaristas e só querem dinheiro e também sei que só o dinheiro salva o beta. Não são bombas falsificadas e roupas do Justin Bieber que vão me fazer deixar de ser um beta B, horroroso e escroto. E se elas vissem eu saindo de um Porsche, será que eu seria invisível também? 

Depois do quarto copo, resolvi ir embora e assistir a alguma série no meu Diabo-lar. Eu já estava um pouco mais feliz, então liguei o som do meu Diabo-móvel, coloquei Rick Astley bem alto e comecei a fazer a dancinha escrota dele dentro do carro, parado no semáforo. Quando eu olho para o lado, duas jovens garotas bonitas estavam rindo de mim de dentro do carro delas (um Renegade). Eu tentei aproveitar o momento e dei uma piscadela para elas, acompanhado de um sorriso charmoso, me sentindo um George Clooney (quando na verdade estava mais para uma mistura de Batoré com Raul Gil), mas elas fizeram uma cara de misobetia e começaram a rir mais e aceleraram o carro. Não há dúvidas do poder que eu tenho de causar repulsa nas mulheres. E se eu estivesse em uma Ferrari, será que eu seria tosco também?

- DIABO, OU SOU EU OU AS CERVEJAS ARTESANAIS, ESCOLHA!!! 
- Desculpe, Andressa, mas eu sei que as minhas meninas IPA, APA, Stout, Red Ale, e Porter me amam de verdade e nunca me abandonarão... 

A verdade, meu caros amigos, é que a única mulher que vai te amar na vida, independente do que acontecer, é a sua mãe. Todas, eu disse TODAS, são utilitaristas e gostam mesmo do que você tem a oferecer. Não existe amizade entre homem e mulher, assim como não existe amizade verdadeira entre chefe e funcionário, pois sempre existirão interesses no meio da relação. Você sempre será visto pelo que tem a oferecer, pela sua barganha, e não pelo que você realmente é depois de despido de tudo o que você representa socialmente e financeiramente. Até melhores amigos você deve desconfiar, pois é só envolver dinheiro ou mulher que a amizade acaba e os interesses próprios prevalecem. As relações sociais se moldam conforme barganhas e interesses. 

Você vê alfas poderosos andando com betas fracassados? Você vê panicats gostosas andando com betas pobretões? Você vê playboys de Camaro andando com betas de Uno Mille 97? Você vê alfas sociais, descolados e enturmados andando com betas introvertidos e mais sem graça que A Praça é Nossa? Você vê alfas faciais andando com betas filhotes de urubu como eu? Ninguém gosta de andar com fracassados. Sempre há interesses nas relações. Betas andam com fracassados porque é o que sobram para eles. Gordos namoram gordas feias porque é o que sobram para eles (e para elas também). Porém tudo muda quando a pessoa ganha dinheiro e poder, pois são verdadeiro hacks no jogo da vida, são capazes de tornar qualquer pessoa melhor. Tenha uma posição social e dinheiro para ver como tudo fica mais fácil, amigos aparecem e até orifício rosados para se penetrar!

Não existem atalhos para a vida, betas. Não se iludam, pois a frustração é devastadora. Escolham a racionalidade e batalhem para o melhor. Tenho pena de betas excrementos pobres que acham que serão o Jorge Lemann abrindo um dogão com mais 6 sócios, assim como outros que abrem uma espelunca na garagem da mamãe em um subúrbio pobre, achando que terá uma franquia internacional de sucesso, apenas porque vende um X-salada gourmet. Tenho pena de betas escrotos que se entopem de bomba falsificada e usam roupas do Justin Bieber e acham que serão como o Jeff Seid e o Zizz, quando na verdade jamais terão o corpo deles (que custa cerca de 7k por mês). Tem ainda os que apelam para a religião para tentar fazer a sua rodadinha feia de 35kg virar crente para que ela não saia mais com ninguém e não abandone o coitado do beta fracassado.

Ainda tem gente que diz que é melhor ser casadinho com uma chubby e ter que aguentar os capetas vestidos de filhos correndo pela casa e gritando

No fim, o destino dos betas sempre será o mesmo: vai arrumar uma namorada feia, gorda ou magrela e frígida (muitas vezes mãe solteira). Como é a única coisa que conseguiu na vida, desesperadamente vai casar e fazer filhinhos. No final de tudo, vai virar um escravo fracassado, pobre e assexuado cujo o único objetivo de vida é sustentar a mulherzinha e os catarrentos feiosos e burros, futuros betas. Não terá mais liberdade, nem felicidade e muito menos sexo, pois a esposinha regulará ao máximo (e o próprio beta não vai querer, pois desanimará só de olhar para a baranga que dorme ao seu lado). Seus sonhos nunca se cumpriram e hoje ele está velho, pobre, burro e sem um puto centavo no bolso, pois tudo foi para dar conforto para a família e pagar a viagem no fim do ano pela CVC em 12 vezes. O pior é que muito otário se orgulha disso e diz de boca cheia: "eu sou um pai de família".

Enfim, sabem como eu me sinto quando sou desprezado por elas? Eu não ligo mais, pois abandonei os extremismos e ilusões, não procuro romance, além de que sei que sou um beta B mais feio que cu cagando. Se eu quero prazer eu compro ele. Não falo somente em relação às damas da luxúria, mas as próprias civis podem ser compradas com um jantar ou um barzinho, demonstrando o seu poder financeiro (sempre deixando claro o que eu realmente quero degustar no final da noite, afinal não sou um mangina!). Para mim tudo é uma negociação, eu sou o comprador e elas as fornecedoras. Nada é de graça nessa vida. 

Só o dinheiro salva! 


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Seria melhor para o beta ter permanecido na Matrix?

Introdução

Seguindo os inúmeros pedidos que tenho recebido no email diabístico (pobrediabo@protonmail.com), estarei repostando em algumas quartas-feiras os posts de maior sucesso do blog que foi perdido. Assim, trago para vocês, nobres betas, um texto muito importante para refletirmos acerca dos extremismos que as vezes acometem alguns de nós e como a consciência do nosso lugar nos ajuda a não sermos engolidos pela matrix.

____________________________________________________


Não dá para negar que passamos por mudanças profundas quando conhecemos a real. Alguns conceitos chaves passam a nortear o conhecimento de mundo, as atitudes e o próprio entendimento de si mesmo. É como se uma venda fosse tirada de nossos olhos de beta, fazendo com que consigamos enxergar a realidade de forma nua e crua. Passamos a ver nitidamente como a vida é injusta, como as pessoas são ingratas, como a genética é essencial, como o dinheiro é necessário e o principal: como as mulheres são seres terríveis, cruéis, egoístas, egocêntricas, psicopatas e desprovidas de amor, o que contraria a visão romântica que nos é ensinada desde crianças de que elas são seres inocentes, bondosos e cheios de amor para dar.

Você começa a enxergar que o amor de verdade, aquele dos filmes e histórias, não existe. Percebe que se você não tiver nenhum atrativo, você não será sequer olhado por uma fêmea, por mais mediana ou abaixo disso que ela seja. Aprende que não existe esse negócio de conquistar, de ganhar uma mulher com flores, declarações de amor ou um bom papo, até porque elas não se atraem por essas coisas, sendo isto mais uma forma de alimentar o ego delas e não uma forma de conquistá-las, pois foram outros atributos (genéticos, financeiros e de status) que as fizeram se atrair por alguém e não essas demonstrações escrotas e emasculadas de amor. Sente na pele que fazer uma mulher sentir-se atraída por você é algo extremamente difícil. Por fim, descobre que aquela história de ser bonzinho, cordial, cavalheiro e querido não faz com que você seja admirado, na verdade fará você parecer ainda mais fraco e imbecil.

Os famosos manginas e a sua falta de dignidade

Lembro de coisas terríveis que aconteceram comigo, que até hoje mexem com meu psicológico. Quantas vezes, ao sair à noite, ouvi coisas do tipo: “vai ter muita mulher”, “é fácil pegar mulher lá”, “vai ter três mulheres para cada homem”, “só vai gostosa lá” etc., mas quando estava no bar/balada, com minha melhor roupa, a solidão imperava, a hora passava, a depressão aumentava e eu via como eu era invisível para as mulheres. Quando eu perdia o poder mágico da invisibilidade e era visto por alguma vagabunda, eu me sentia como um leproso ou como se estivesse fedendo a mijo e merda, porque as mulheres olhavam para mim com nojo ou riam da minha cara de cu arrombado. Enquanto isso, alfas e semi-alfas riam com seus amigos, divertiam-se, beijavam e se amassavam com uma, duas, três, quatro, cinco...

O que venho trazer aqui é mais uma reflexão, um olhar menos genérico e uma discussão, pois muitos betas que saem da Matrix acabam se tornando muito críticos e até fanáticos no assunto, buscando seguir uma vida diferenciada, entretanto, em vez de melhorar, tornam-se mais infelizes e depressivos. Passam a ignorar todas as mulheres, evitam contato com mães solteiras e vileiras, incutem em suas cabeças que jamais namorarão e passam a viver sem gastar um centavo, buscando acumular quantias enormes de dinheiro para o futuro, a fim de se tornarem poderosos. Na cabeça deles serão velhos de 50 anos, com muito dinheiro e carrão, estando aptos para encontrar uma mulher para namorar, a qual terá 20 anos de idade, será loira e gostosa. Não digo que este não é meu sonho também, porém lá no fundo eu sei como tudo vai acabar: essa merda de vida sempre me enrabando.

Como eu achei que seria a festa e como ela realmente foi

Muitos betas (inclusive esse pobre-diabo) que saem da Matrix começam a criticar a vida de todos os homens casados, dizendo que suas vidas são infelizes, pois eles têm mulher feia e gorda e têm diabinhos na forma de filhos para sustentar. Às vezes penso: será mesmo que eles são tão mais infelizes do que eu? Será que a Matrix não esconde a realidade depressiva da vida deles e apenas mostra a parte boa da sua existência? Na verdade, o ser matrixiano que tem uma vida normal, segundo a sociedade, acaba assumindo um papel de “homem responsável e honrado”, sendo isto o motor para que ele viva uma escravidão vida de menos prazeres, menos sexo e mais responsabilidades, porém isso não significa necessariamente que ele será mais triste que um beta. Nesse caso, ser matrixiano pode evitar frustrações e depressões, dando um ideal de vida, principalmente se o cara não tiver bons atributos. Para fechar com chave de ouro a vida do matrixiano, ele acredita que sua vida é do jeito que é simplesmente porque estava predestinado por Deus para assim ser, dizendo frases como: “se não aconteceu do jeito que eu queria foi porque Deus não quis”. Sabe o que é o pior de tudo? Muitas vezes eles são felizes e eu não!

Agora, voltemos à pergunta inicial: Seria melhor para o beta ter permanecido na Matrix? Eu respondo isto dizendo que depende. Se for para o beta virar um fanático, retardado e virgem, que fica entocado dentro de casa e só sai para trabalhar, vivendo como um miserável, cortando totalmente o contato com mulheres potenciais a serem penetradas sexualmente, eu digo que esse beta corre sérios riscos de desenvolver uma forte depressão. Por outro lado, se for para o betoso conhecer a real, largar mão de ser mangina, parar de babar ovo para mulheres, desenvolver o seu lado social, intelectual, mental e financeiro, aprender a ser menos bonzinho, enfrentar homens e mulheres sem medo, deixar de ser romântico de bosta etc., tudo isto sem criar ilusões impossíveis de acontecer, eu diria que conhecer a real foi a salvação de sua vida!

Quem aí disse mesmo que eu não pego ninguém?

Entendam: não estou dizendo que ser matrixiano é algo bom. O que quero deixar bem claro aqui é que nem sempre saindo da Matrix o beta será feliz. Conhecer a real é importante para que o beta não seja mais enganado e para que saiba como agir no jogo da vida sem sofrer humilhações. É o beta saber de sua realidade e não se iludir com sonhos impossíveis, pois a frustração é certa. O ideal de vida do beta não deve ser o de namorar uma novinha de 20 anos, que tenha um reto virgem, rosado e com as bordas na tonalidade da pele caucasiana, ou de viver uma vida idílica de muito sexo com gostosas de todos os tipos, pois isso não foi feito para o beta (pobre), ao passo que se este ser miserável e repugnante conseguir segurar uma mulher para baixo da linha média, pelo menos magra, que lhe dê sexo semanalmente e não gaste todo o seu dinheiro já está no lucro. O beta deve procurar a felicidade de outras formas e parar de vez de se iludir. Vale a pena reforçar: nunca contrair matrimônio!

Por fim, quero dizer que o importante é o beta refletir sobre sua vida, buscar aplicar os conhecimentos da real e saber se colocar no seu lugar. O asqueroso do beta nunca será um alfa e muito menos um comedor nato, apenas poderá ter uma vida mais tranquila e com um pouco mais de prazeres. É certo que o beta não pode ser retardado, matrixiano tosco, romântico e mangina de mulher, porém é importante salientar que você sendo um fanático, otário, virgem e mendigo, que vive isolado dentro de casa para economizar, evitando se relacionar com mulheres dispostas a oferecerem seus orifícios naturais quentes e molhados, você correrá riscos enormes de desenvolver um distúrbio depressivo maior, acentuando a sua baixa autoestima e perda de interesse em viver.


Abraço do Pobre-diabo.

sábado, 13 de janeiro de 2018

A tristeza de voltar para essa vida de pobre-diabo!


Saudações, camaradas! Os betas diabísticos que acompanham a saga deste beta B, mais feio que cu cagando e mais assustador que Satanás, sabem que eu estava vivendo uma vida quasi-idílica, diabisticamente falando. Obviamente que milionários como o Dan Bilzerian e Floyd Mayweather me humilham nesse quesito com seus iates, suas degustações de múltiplas vaginas, suas mansões, viagens, Ferraris e tudo o que o dinheiro pode comprar. Entretanto, para um brasileiro normal de classe média, que sempre foi um verme maldito, um verdadeiro estrume fétido, estava bom demais. A tristeza tomou conta de mim, então preparem-se para um post bastante depressivo! 

A parte triste disso tudo é que a paz que eu tinha passou. O sentimento de despreocupação com o trabalho já não existe mais. A tranquilidade de não precisar trabalhar e poder curtir a vida na essência já era. A vida boa de fartura e sem limites que o dinheiro pode proporcionar também já foi, afinal, não quero torrar a grana que eu tenho agora, pois o importante é o futuro idílico e não o "agora" iludido! Por que os deuses me fizeram ser essa aberração humana? Por que pelo menos eu não poderia ter nascido com uma boa herança, já que eu fui defecado nesse mundo? Por que tudo conspira contra os betas? Como podem perceber estou depressivo, assim, para poder continuar esse post acabei de iniciar o ritual diabístico de iluminação mental, só obtido quando se ingere a bebida divina denominada elixir dos deuses (cervejas artesanais). 

É assim que eu me sinto no trabalho

Enfim, toda essa tristeza é em virtude do fim das minhas férias e fim da minha pequena vida idílica, que teve o objetivo de me fazer sentir o gostinho do que será a minha vitória. Foi excelente provar essa vida, porém ter que enfrentar a minha realidade agora é terrível. Dá vontade de chorar só de pensar que terei que levar serviço para casa, olhar para a cara das pessoas do meu trabalho, rir das piadinhas sem graças dos pançudo dos meus chefes, fazer social, economizar, dormir pouco, acordar cedo, manerar no consumo excessivo de damas da luxúria e passar raiva com tudo o que acontece nessa vida de escravo do trabalho (nesse momento, a raiva consumiu a minha mente, acabei de tomar um copo de IPA em um só gole e joguei o copo de vidro com força no chão e agora vou ter que limpar essa merda). 

Sentirei falta de tomar aquele cafezinho delicioso acompanhado de croissaint na panificadora gourmet que eu sempre ia, onde sempre havia gatas riquinhas, bancadas por pais e maridinhos ricos. Sentirei falta de degustar deliciosas mulheres toda semana, estilo panicats que faziam o little devil ir à loucura (rejeito faveladas magricelas de 35kg). E os almoços e jantares nos melhores restaurantes? Acabou de cair um suor diabístico dos meus olhos só de lembrar que nao terei isso todos os dias mais. E viajar para alguma praia paradisíaca quando der na telha, gastando excessivamente com comida, elixir dos deuses e até gatas para se satisfazer? Não terei isso também. Realmente estou triste, meus camaradas, uma vida de 20k por mês é boa demais!

Eu estava me sentindo assim durante esse mês de vida idílica... 

Alguns betas excrementos, iludidos e extremistas vão falar que 20k não é nada. Antes de mais nada eu quero deixar claro que se você que fala isso estivesse na minha frente agora eu iria pegar você no clinch e encher o seu rosto de joelhadas e depois te nocautear com uma voadora diabística na sua cara. Não acredita? Então deixe o seu endereço lá no e-mail diabístico que eu irei até você te destruir na porrada, seu beta de merda! Como você pode falar isso se você não ganha nem 2k por mês, seu imundo? Como você pode falar isso se você está desempregado, mora no subúrbio e vai montar uma lanchonete na garagem da sua mãe que vai render no máximo 1,5k por mês? Como você pode falar isso se você abriu uma barraca de cachorro-quente com mais 6 sócios adolescentes, sabendo que não vai ter nem R$300,00 de lucro? Faça as contas do que você pode gastar com 20k (você sozinho!) em um mês e verá que dá para viver uma vida excelente! 

O mal do beta é se iludir com bobeiras e achar que existem atalhos para a vida. O beta pobre e mais feio e escroto que eu e ainda acha que vai casar com uma ninfeta ucraniana e rica. O animal mesmo sendo um burro acha que passará em concursos fodas ou em Medicina. O excremento usa bombas falsificadas de duzentão e acha que terá o corpo do Jay Cutler. O inútil usa roupas do Justin Bieber e acha que está sendo super adulto e maduro e ainda conquistará mulheres deliciosas, melhores que a Amanda Lee (acredite que teve um excremento que falou isso). O estrume não tem dinheiro, não tem ponto comercial descente, não entende de negócios, vai entrar em um negócio ultra concorrido e ainda acha que em dois anos terá um lucro de 10k por mês, achando que empreender é a coisa mais fácil do mundo. Ainda tem outros que se acham o Warren Buffett e que serão milionários poderosos investindo em ações e criptomoedas (se for esperto e ter sorte dá para tirar um bom lucro, mas pegar a alta absurda que teve e enriqueceu muita gente nunca mais).

Pobre-diabo, às 22:00h, depois de ter bebido todas o dia inteiro para tentar esquecer essa vida cruel 

Enfim, betas, a mensagem que eu deixo aqui é que mais do que nunca é necessário o beta se desenvolver de forma diabística! Só o dinheiro salva, pois ele pode comprar tudo, felicidade, paz, prazeres, conforto, amizades, comida, bedida, viagens e mulheres, muitas mulheres! (estou falando de mulheres de verdade, vileiras de 35kg não contam, pois essas eu rejeito). Lute com todas as suas forças para vencer na vida. Abandone os extremismos e ilusões, pois isso não te leva a lugar nenhum, pois um beta iludido só faz merda e perde dinheiro. Seja racional, calculista, inteligente e estrategista, só assim você chegará ao sucesso, afinal ninguém dá nada de mão beijada para ninguém nesse mundo.

Enfim, hoje estou depressivo e com raiva do mundo. Vou continuar bebendo elixir dos deuses até não aguentar mais e ir para outra dimensão, fugindo dessa vida escrota. Provar o sabor da vitória e depois ter que voltar para a vida de pobre-diabo trabalhador e poupador é uma merda. Não existe argumento para alguém dizer que o dinheiro não é essencial para a felicidade plena. Experimente passar um mês comendo comidas deliciosas (e caras), transando muito com mulheres deliciosas, fazendo viagens tops, acordando a hora que quiser e passando o dia todo curtindo e verá o que é ser feliz. Agora imagine você morando em uma casa de alto nível e andando em um baita carrão, que exala virilidade e atrai vaginas molhadas. Vai dizer que o dinheiro não traz felicidade?

Só a Filosofia Diabística pode salvar o beta!


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Retórica tautológica dos discursos motivacionais


Olá, nobres betas! Estive refletindo profundamente sobre algumas questões que tem colocado o meu cérebro diabístico para pensar o quão absurdo o ser humano pode ser unicamente por não perceber ou não querer aceitar a sua insignificância. Questões simples como uma visão desiludida da realidade seriam por si só suficientes para direcionar o comportamento extremista de grande parte dos seres humanos para padrões de decisões que garantiriam minimamente uma condição confortável de vida apenas com bases nas próprias experiências vividas, porém o sonho de sucesso fácil acaba sendo muito tentador, fazendo com que erros sejam repetidos desde que o mundo é mundo, perpetuando o passado com ilusões inatingíveis.

Como comecei a refletir pesadamente sobre esse assunto e minha cabeça começou a latejar, senti a necessidade de dar uma espairecida e saí para dar umas voltas com a carruagem diabística. Lembrar de algumas figuras conhecidas nossas e suas ideias estúpidas causou uma raiva diabística que invadiu meu âmago e me dominou a tal ponto de a única coisa que poderia apagar esse furor eram os elixires divinos (cervejas artesanais). Como todos sabem do meu amor pelo líquido da vida que traz paz à alma, alegria ao espírito e satisfação ao corpo, não me contive ao limite de ingerir apenas uma caneca desse alimento criado pelos deuses, pois como uma dádiva deixada para elevar o estado de espírito a um patamar superior, honrei o chamado diabístico que me foi dado e ingeri altíssimas quantidades desse líquido até sentir que minha consciência abandonou esse corpo betístico dominado pela feiura mais repugnante que uma mortadela podre e elevou minha consciência para um nível junto aos grandes filósofos e pensadores da antiguidade e da modernidade, fazendo minha mente entrar no modo ultra diabístico reflexivo.

O lugar em que a mente  deste Pobre-diabo vai quando é arrebatada: para junto da sabedoria dos grandes filósofos da humanidade

Não é novidade aos betas que tenho vivido satisfatoriamente esses últimos dias como forma de experimentar a futura vida idílica diabística. Como é bom fugir dos padrões a que estamos acostumados! Devido à grande quantidade de dinheiro despendida para realizar esse plano diabístico, tenho percebido como é fácil nos acostumarmos com coisas boas, notei que nossa condição de betas A, B, C e D mais feios que cu cagando, uma mistura de Batoré, Cerveró e Raul Gil, covardes como cadelas sarnentas, verdadeiros excrementos humanos, refugos da natureza, estrumes fedidos, sem visibilidade social, cheios de traumas e sofredores dos piores bullyings, betafobia e misobetia nos botam para baixo e nos impedem de experimentar o que a vida tem de melhor. Tal sofrimento acaba criando o extremismo na mente dos betas mais fracos, de forma que esses seres repugnantes se escondem atrás de uma verve iludida e extremista, cujos sonhos se limitam a viver em função de atenção social e mulheres.

E é exatamente nesse contexto que entra a retórica tautológica dos discursos motivacionais. Para quem não sabe o que isso significa, a resposta é simples. Retórica tautológica é a mesma coisa que dizer a mesma coisa através de formas diferentes. Não são discursos motivacionais que te farão superar o fracasso em que você está imerso, mas sim muito esforço e muito estudo. Não é fazer o que todo mundo faz que te tornará alguém diferenciado. Não existem atalhos nesse mundo. Quem se arrisca mais acaba obtendo um resultado maior, seja se ganhar ou se perder. Manter-se na zona de conforto te fará ficar exatamente onde está, pois nada diferente está feito para se mudar o status quo.  Tudo isso nos leva a um ponto nevrálgico, no qual nos perguntamos: O que fazer para melhorar? O que escolher para sair do marasmo? Será que abrir uma biboca para vender pão com linguiça "gourmet" na garagem da casa da mãe será a solução? Será que montar uma barraquinha de cachorro-quente com seis sócios mortos de fome te tornará um empresário de sucesso? Será que "contratar" a consultoria de um indivíduo que se baseia na filosofia fake de sedução (PUA e MGTOW) - este indivíduo não sabe escrever direito e sequer consegue expor suas conquistas - seria adequado? Obviamente que não.

Com certeza é a filosofia PUA e MGTOW que fazem damas como essas ficarem tão a vontade dessa forma! Elas nem ligam para ostentação e dinheiro, mas sim se um beta como você faz joguinhos, caras e bocas para seduzi-las. Doce ilusão! 

Nesse ponto que vemos como os discursos motivacionais, geralmente iludidos e superdimensionados, fisgam o beta de forma a afundá-lo ainda mais no seu fracasso e tomar dele o pouco que conquistou. Desde sempre este Pobre-diabo enfatiza que se o beta não ganha suficientemente bem, não será "investindo" R$1.000 por mês que o tornará milionário. Seria muito melhor realizar cursos técnicos e migrar para áreas que paguem melhor do que imaginar que um dia você conquistará a independência financeira e será rodeado por mulheres jovens e gostosas e estará no seu superesportivo aplicando uma quantia tão irrisória. Se você não nasceu com uma inteligência acima da média, nunca passará num concurso de juiz ou de promotor, assim como nunca passará em medicina. Se você não possui um capital de giro suficientemente alto e conhecimento na área de atuação, sua chance de fracasso ao "empreender" é altíssima, visto que 80% das empresas que são abertas fecham em menos de 3 a 4 anos. Obviamente isto não deve ser um desincentivo ao beta para galgar melhores condições em sua vida, mas um aviso que deve ser levado em consideração, que é a plausividade de suas metas, a fim de não experimentar o fracasso como o resultado esperado. 

Oras bolas, seres betísticos, algo que defendo desde a criação desse blog é o abandono completo da ilusão e do extremismo e discursos motivacionais são repletos disso. Nunca acreditem em seres que prometem milagres em que o esforço é mínimo para um resultado máximo, pois nessa vida não existem atalhos. Você nunca ganhará o salário que esse Pobre-diabo recebe após anos de muito estudo e esforço vendendo X-salada ou pão com linguiça feito pelo seu pai num moquifo montado na garagem da sua mãe e entregue com a sua moto velha e acabada. Devido a diversos fatores, a probabilidade de um "empreendimento" como este virar um sucesso como o Madero é mínima. Leve em consideração que não basta a "especialização" de um determinado produto para a criação de uma franquia de sucesso, mas também as seguintes variaveis:

- o nome do negócio não é conhecido e não tem credibilidade
- o negócio não tem um ponto comercial bom
- o negócio não tem estacionamento 
- o negócio é improvisado (garagem da mãe) 
- o negócio está em um bairro pobre (pobres só comem hambúrguer barato e dogão, não adianta especializar o cardápio!) 
- o negócio vai ser um lugar simples, porque o dono não tem dinheiro para decorar bem
- não tem muito o que inventar, pessoas normais gostam das mesmas coisas de sempre, hambúrguer, dog, esfiha e salgado. 

Exemplo de negócios de sucesso! Um grande guru dos negócios disse que só basta você ter um produto diferenciado que seu negócio se tornará poderoso (sendo sarcástico, obviamente) 

Tentar empreender não é melhor se você não tiver um bom plano de negócios, projeto de viabilidade (sou especialista nisso) e, principalmente, capital inicial competitivo. Vender pão com linguiça na garagem de casa vai no máximo ajudar a pagar as contas, mas NUNCA dará R$7.000 de lucro, nem franquias pequenas dão isso. Chega de extremismos! O problema do beta é sempre ser extremista e iludido, sempre considerando casos de sucesso que são 0,00000001%. Se fosse tão fácil empreender teríamos um Jorge Lemann em cada esquina. O beta precisa abandonar extremismos e ilusões, ser racional e a partir daí bolar suas estratégias. Você acha que qualquer produto se vende facilmente? Sem contar que o ramo alimentício é enorme. A maioria das pessoas se está com fome para em alguma padaria, lanchonete, shopping, restaurante, dog, hamburgueria e etc.

Existe competição e uma ampla variedade. Porém, o beta sempre acha que terá sucesso. Sucesso com as mulheres, sucesso na vida, corpo do Jeff Seid, rico como o Bill Gates. Repito: beta não sabe se colocar em seu devido lugar, pois acha que existem atalhos na vida. Não basta fazer musculação e dieta, tem que usar bomba falsificada barata. Não basta abrir um negócio para complementar a renda, já acha que vai abrir uma multinacional. Não basta deixar de ser adolescente e virar homem, o cara usa roupas do Justin Bieber, lê PUAs e quer imitar artistas. Por isso que o beta sempre fracassa. Ele quer ser algo que não é, copiando ideias prontas que não foram feitas para ele.

Segundo um beta extremista e iludido aqui do reduto, em 1 ano esse "empreendimento" pode estar faturando mais de 7k por mês e em 5 anos poderá se tornar uma franquia poderosa em todo o Brasil! Tenho certeza que ele não é nem um pouco iludido... 

Destaque-se, ainda, dentro dos discursos motivacionais, a filosofia da sedução pregada por um determinado indivíduo que sequer sabe se expressar direito e ainda cobra por isso. Ele defende que PUA é realidade, porém todos sabemos que é besteira. Um beta tentando representar o que não é será apenas um macaco adestrado que causará vergonha alheia nas outras pessoas. Mulher olha para você devido a sua barganha. Se você for mais feio que cu cagando e ter o jeito do Batoré não adianta ter charme e fazer caras e bocas. Só o dinheiro te salvará. 

Entendam de uma vez por todas, camaradas: o beta precisa virar homem, deixar de ser mangina e ganhar dinheiro! Se você insistir que o sucesso é fácil, mande seu endereço no email diabístico (pobrediabo@protonmail.com) que eu vou na sua casa arrebentar essa sua cara de burro. Falei e disse.


Um abraço do Pobre-diabo mitador. 

sábado, 6 de janeiro de 2018

É possível ser feliz sem ter dinheiro?


Saudações diabísticas, betas. Este pobre-diabo passou o dia de hoje sem fazer absolutamente nada, apenas deitado e refletindo sobre a vida. Enjoado de não fazer nada, levantei e fui comer um salgado perto de casa. Porém, ao passar na frente de uma cervejaria, senti algo muito forte tocar meu coração ao mesmo tempo em que uma voz suave e divina me chamou para adentrar àquele recinto, um dos templos do prazer diabístico. Não pude recusar ao chamado sobrenatural e entrei naquele local cheio de alegria, paz e vida. Depois de ingerir quantidade elevadas de elixir dos deuses (cervejas artesanais), um espírito filosófico tomou conta de mim e consumiu minha mente e espírito, que entraram em um estágio profundo de reflexão diabística.

Acredito que esse mês em que aproveitei para viver mais (e gastar muito mais, é claro), a fim de ter um gostinho do que será a vida idílica diabística futura, a qual tanto sonho, fez com que eu pensasse sobre coisas muito importantes para as nossas pobres vidas de betas A, B, C e D, mais feios que cu cagando, uma mistura de Batoré, Cerveró e Raul Gil, covardes como cadelas sarnentas, verdadeiros excrementos humanos, refugos da natureza, estrumes fedidos, sem visibilidade social, cheios de traumas e sofredores dos piores bullyings, betafobia e misobetia.

Será que o dinheiro é tão importante assim e indispensável para que o beta seja feliz? Há algumas situações em que vemos pessoas que realmente parecem feliz mesmo possuindo pouquíssimo dinheiro. É o caso daqueles favelados que nasceram na miséria, mas tendo uma Kaiser ou Pinga barata misturada com Fanta, ao som de Funk, faz eles pularem como símios e até se reproduzirem durante esses atos, criando seres feios como eles, sem cultura, na mesma condição de pobreza financeira e intelectual, perpetuando esse ciclo maldito. 

Será que eles são felizes de verdade? Todos vivem dentro de suas matrix e não conhecem a realidade. Talvez seja a única forma de não se frustrar (embora uma hora ou outra caiam na real). Então escolha bem se quer sair da matrix e conhecer a Filosofia Diabística! 

Outro caso são aqueles evangélicos fervorosos, que andam de ternos baratos comprados em brexó e com a Bíblia embaixo do braço. Para eles tudo é do Diabo (não este que vos fala), seja bebidas, cigarro, músicas não-cristãs, programas de TV, bares, sexo, amizades com pessoas que não são evangélicas etc. Eles vivem como se sempre estivéssemos perto do fim do mundo e, para tanto, não é necessário correr atrás de tanto dinheiro e sim converter almas para seu Deus, que é a missão deles aqui na Terra. Vivem em um mundo mágico diferente, em que ouvem vozes divinas, veem anjos, falam em um idioma espiritual bizarro, guerreiam contra demônios e possuem uma vida diferenciada. Para eles o que importa é a vida espiritual, então dão todo o seu dinheiro para a igreja. Não sei se os pastores que recebem esse dinheiro pensam assim também...

Existem também aqueles grupos de pessoas que querem ser diferentes e parecer revoltadas. São os punks, rippies, esquerdistas, comunistas, feministas, alternativos e qualquer tipo de ativista, os quais criam um ideal em suas mentes e passam a querer combater a todos que sejam diferentes deles, tentando desconstruir conceitos sociais estabelecidos, a vida em harmonia dos mais abastados, o conservadorismo dos que assim escolhem ser etc. Eles vivem em um mundinho próprio em que todo mundo é errado, principalmente quem teve a sorte de ter muito dinheiro, atingiu a felicidade plena e quer viver como bem entender.

Há também outros exemplos, como monges franciscanos, missionários mórmons, Buda e outros que escolhem viver sem acumular riquezas, apenas com o mínimo necessário, atingindo assim paz de espírito. Fora isso, não vejo como alguém não querer sempre mais dinheiro. Quem não quer ter segurança financeira? Quem não quer ter uma conta gorda capaz de nunca deixar você passar necessidade? Quem não quer comer bem? Quem não quer fazer boas viagens? Quem não quer ter um belo e confortável carro, atraidor de vaginas? Quem não quer degustar deliciosos orifícios vaginísticos? Quem não quer ter dinheiro a ponto de trabalhar se tornar facultativo? 

O amor é lindo, não é mesmo? Tenho certeza que essas garotas se apaixonaram pelo caráter, pelo charme, pelo papo e pelas técnicas PUAs que ele usou durante a conquista! Dinheiro não foi nada importante nesses relacionamentos (betas excrementos realmente acreditam nisso) 

Muitos betas, por terem nascido em condições de fracasso (financeiro, social e genético), acabam desenvolvendo terríveis traumas em suas vidas, pela não satisfação de seus desejos, pelas humilhações que sofreram, pela repulsa e nojo das mulheres e pela exclusão social que sempre viveram, enquanto eram obrigados a ver alfas tendo vidas perfeitas, com muitos amigos, muitas mulheres e tendo tudo o que queriam. O que acontece é que o beta passa a ter uma visão iludida e extremista da vida, buscando sempre compensar o seu passado maldito e miserável.

Vemos betas procurando atalhos para a vida, como trintões que usam bombas falsificadas e roupas do Justin Bieber, emulando adolescentes alfinhas, fazendo PUA infantil e tosco, tornando-se ainda mais ridículos, outros metidos a empresários, investindo quantias irrisórias de dinheiro (alguns tendo inúmeros sócios, cada um investindo 5k, deixando óbvio o fracasso que terão) e alguns metidos a especialistas financeiros, querendo opinar sobre investimentos como se fossem o Warren Buffett. A maioria acaba quebrando a cara, depois que muitos problemas começam a surgir e acabam sucumbindo à matrix, vivendo uma vidinha de pessoa "normal" depois. 

O maior objetivo de vida dos iludidos e extremistas se concentra nas mulheres. Tudo o que fazem é para conseguir ser amado por alguma mulher ou para não perder sua namoradinha ou esposinha, afinal, elas não querem um fracassado pobre ao seu lado, querem alguém que dê conforto, emoções e prazeres (menos o sexual, pois é moeda de troca para elas a fim de manipular o beta imundo). Nesse contexto, vemos a enorme importância em se ter dinheiro, pois uma vez que o beta seja largado ou tratado como um lixo por não ter grana, ele desenvolverá terríveis depressões e muitos até se matam por conta disso.

Tem certeza que dinheiro não traz felicidade? Tem certeza que ele não compra tudo? Não vejo nenhuma tristeza nessa foto... 

É claro que o beta pode seguir o tipo de vida que quiser e até pode ser feliz com sua escolha (embora esteja sendo cego e manipulado). Entretanto, vemos que a felicidade plena só pode ser atingida com a Filosofia Diabística, pois ela não se concentra somente na busca por dinheiro, mas sim em toda uma transformação psicologia, mental, social, financeira e intelectual. Quando você escolhe ser adepto de nossa formidável filosofia, vendas são tiradas de seus olhos e você passa a enxergar a vida de forma racional e diabística. 

Passa a entender que não há razões para se preocupar com coisas que estão fora de seu controle. Passa a ver que a pessoa mais importante no mundo é você mesmo. Abandona ilusões e extremismos, que não o levarão a lugar algum, e adota uma visão racional, estratégica, inteligente e progressista de vida. Mulheres jamais devem ser o foco da sua vida, pois elas só representam gastos, com um retorno mínimo e ridículo se for considerar a questão sexual. São caras demais pelo que oferecem (a maioria só oferece pressões psicológicas, gastos excessivos e chatices).

Depois de libertar a sua mente de conceitos sociais prontos (ser casadinho honrado e a obrigação de ter filhinhos, por exemplo), o beta deverá buscar a sua felicidade plena, obtida unicamente pelo dinheiro. Para tanto, além da necessidade de turbinar seu currículo e seu intelectual, deverá melhorar sua sociabilidade, tudo isto de forma estratégica, com o único objetivo de ganhar mais dinheiro, que é a salvação do beta. Dinheiro compra paz, conforto, sexo, satisfação, emoções e prazeres. Dinheiro compra/aluga casa confortável, compra carro poderoso, compra damas da luxúria belíssimas, compra refeições maravilhosas, compra elixir dos deuses, compra viagens, compra amizades, poder e destaque. Dan Bilzerian tem tempo para ser triste? 

Enfim, só a Filosofia Diabística e o dinheiro podem salvar o beta!


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Reflexões diabísticas do sucesso


Sejam muito bem-vindos ao blog diabístico mais influente de toda a Diabosfera, nobres betas. Como é sabido por todos, a filosofia diabística inaugura o ano de 2018 com muitas novidades, entre elas algumas surpresas que surgirão nos próximos posts, com dicas infalíveis para o sucesso diabístico do beta! 

Em decorrência da terrível condição de sofredores natos por sermos betas mais feios que cu cagando, mais covardes que cadelas medrosas, mais sem graça que piadas do programa Zorra, nós betas não possuímos poder de barganha suficiente para evitar os impecilhos que nos impedem de atingir a felicidade plena, sendo necessário um esforço extra humano para termos o que quem foi sorteado pela loteria genética e financeira tem sem fazer qualquer esforço. Assim, devemos sempre nos atentar ao tripé que fundamenta a filosofia diabística para atingirmos o sucesso, cujos princípios são: independência financeira, desapego sentimental e dedicação aos próprios prazeres. Assim que o beta gravar em sua mente putrida esses princípios, a lição de casa já está feita.

Hoje estou animado, pois além de ter comido em um restaurante delicioso (e muito caro), farei mais uma vez o que todo beta diabístico deve fazer: desfrutar da companhia das damas da luxúria e do elixir dos deuses. Já escolhi as damas que topam fazer o serviço juntas e para daqui a pouco estarei pondo o little devil para fazer as suas diabices. 

Com tantas damas da luxúria dispostas a alugar o seu amor, você ainda quer viver uma paixão iludida de adolescente? 

Como sempre enfatizo, a primeira coisa a se fazer é eliminar o extremismo. Você nunca será aquilo que imaginou sem pagar o preço necessário para isso. Tenho visto nos comentários betas achando que serão bem sucedidos sem fazer esforço algum. Se ter um sócio já é difícil, pois você tem que DIVIDIR o seu lucro, como que você terá lucro tendo 6 sócios numa biboca de fundo de quintal? Ou pior, quando você é demitido por ser um inútil e monta uma biboca na garagem de casa achando que terá sucesso por fazer o que todo mundo já fez e fracassou?

Ou ainda usar roupas do Justin Bieber e usar anabolizantes falsificados achando que se tornará o Jeff Seid (que é profissional, rico e gasta mais de 7k por mês em seu corpo) e virará um galã, quando na verdade vai ser mais ridículo ainda  com seus braços de linguiça querendo imitar um adolescente. Entendam uma coisa simples: se você planta batata, vai colher batata. Se planta feijão, vai colher feijão.  E colherá isso se não der nenhum problema na plantação, pois a maioria só tem prejuízos! Não tem como obter resultados diferentes de você continua fazendo a mesma merda de coisa sempre.

A prova de amor desse Pobre-diabo para o desfrutar da companhia das damas da luxúria que serão degustadas essa noite. 

O beta deve se atentar ao fato de que por não possuir atributos que cativam a atenção das pessoas, ele deve ser direto ao buscar seus objetivos. Esqueça concursos top em que você tem que ter uma inteligência acima da média. Esqueça faculdades em que você tenha que ter uma inteligência superior para passar. Se você é mediano, faça um curso técnico numa área em que haja vagas. Por exemplo, o beta ganharia muito mais sendo um operador de trator em terraplanagem que se estivesse buscando emprego como advogado. A cada ano a população aumenta e as vagas de bons empregos diminuem. Assim como você não é um diferencial em inteligência e não possui dons que te destaque entre a multidão, os melhores empregos não serão destinados a você só porque concluiu uma faculdade que de bom só tinha o nome.

Entenda, seu escroto, se você sempre foi fracassado, você não terá sucesso de uma hora para outra! Se você sempre foi burro, nunca passará em um concurso de juiz ou em uma Universidade Federal no curso de Medicina. Entenda que vivemos em um mercado oligopolizado, em que grandes empresas dominam todas as áreas. Você acha mesmo que fazendo um empréstimo de 15k e abrindo um negócio você algum dia terá lucros de 50k mensais? Você acha que investindo agora em criptomoedas vai ter a mesma sorte de quem entrou há 3, 4 ou 5 anos e ficaram milionários, sendo que todo mundo está tentando fazer o mesmo? É mais fácil você se foder  com essa bomba do que ganhar beta, porque você é burro, azarado e iludido! Se eu visse um beta na minha frente agora eu ia meter a mão na cara dele de tanta raiva que estou! Melhor eu nem me olhar no espelho senão eu irei socar essa minha cara de beta B de bosta! 

Esta noite o Pobre-diabo estará desfrutando da nobre companhia das damas da luxúria e elas estarão degustando o palmito diabístico até ingerirem lacticínios humanoides. Enquanto isso, um ser abobado estará em casa com sua noiva raquítica mais rodada que pneu de caminhão acreditando que as juras de amor dela são verdadeiras. 

E, por último, nunca se esquecer do prazer pessoal. Um beta satisfeito é um beta feliz. Por mais que as vezes eu me sinta triste por ser um ser abominável, quando lembro que meus investimentos e meu salário são capazes de gerar rendimentos que alguns pseudo-empresários sequer sonham ganhar na vida, a alegria retorna à minha vida. Com ele compro os melhores elixires divinos. Com ele pago a companhia de ótimas damas da luxúria. Com ele, vivo a verdadeira essência da felicidade. Por isso, caro beta, procure ganhar dinheiro! Mulher não deve ser prioridade nunca, elas só sugam nossa vida, felicidade e dinheiro. Se você tem poder e dinheiro você tem tudo.

Nunca se esqueçam: Só o dinheiro salva.


Um abraço do Pobre-diabo! 

domingo, 31 de dezembro de 2017

O Ano Novo de um Pobre-diabo e metas para 2018


O congelador está cheio de carnes e as compras já foram feitas para o jantar de hoje, antes dos fogos. Como era de se esperar, litros de elixir dos deuses (cervejas artesanais) já estão me aguardando. Será uma comemoração de ano novo? Não para mim, esse pobre-diabo, beta B, mais feio que cu cagando e escroto, mas para meus familiares símios e é claro que o motivo de existir a necessidade de a geladeira estar cheia da poção mágica da alegria é justamente para eu ter energias mentais, físicas e psicológicas para aturar aquele bando de excrementos. Na verdade eu já estou tomando elixir dos deuses (uma deliciosa IPA) desde às 16:00, que foi a hora que comecei a escrever esse post e já estou um pouco bêbado. Adoro essa sensação. 

Estou sendo muito rude? Talvez, porém só estou falando a verdade. É difícil para mim fingir estar alegre simplesmente pela troca de calendário. Qual a diferença na vida das pessoas por causa disso? Absolutamente nada, pois vão continuar com suas mesmas vidinhas de merda e eu continuarei ficando cada vez mais velho e mais razinza. Vão continuar pobre, burros e endividados, mas mesmo assim estarão com a taça cheia de champagne e dizendo que 2018 será um ano melhor. A vontade que eu tenho quando alguém me deseja feliz ano novo é socar a boca do estômago dele e mandar para a casa do capeta. Só de imaginar as minhas tias gordas gritando de felicidade eu acabei de meter uma porrada na parede e agora a minha mão está doendo.

Esse é o pequeno pedido de chope que fiz para essa adorável moça antes de ir para a festa de Ano novo dos meus parentes para ver se consigo aguentar ficar perto deles

Estava muito bom lá na praia. Sem problemas, tranquilo, bebendo muito elixir dos deuses até atingir o estado transcendental máximo de reflexão diabística, transando e me divertindo, longe de toda a caterva daqui. O pior é que como eu tenho uma condição financeira maior que a maioria da minha família, tenho que ficar aguentando brincadeiras de todo mundo, falando que eu tenho dinheiro, que tenho que casar porque estou ficando velho, sem contar os discursos sobre Deus, família unida etc, ou tendo que vim ficar conversando e fingindo ser sociável com pessoas que só sabem falar sobre o Faustão, Gugu, Futebol, artistas e novela. 

Eu queria arrumar uma desculpa para não ir, mas não quero decepcionar minha mãe. Até pensei em inventar uma caganeira para ir embora mais rápido, mas vai ser pior porque vou virar o assunto da noite. Então o melhor a se fazer é me embebedar com o líquido da alegria, que refrescará a mim e a minha alma. É capaz até de eu suportar essa reunião escrota e me divertir. Talvez a minha prima traga duas amigas dela de fora e me apresente para elas, assim como ela me apresentou a Mia (lembram dela?), quem sabe depois de alguns goles não role algo? Talvez muito bêbadas elas não liguem para essa minha cara horrorosa mais feia que cu cagando. 

O meu sonho era passar a virada de ano assim, rodeado de belas damas, e não no meio de um povo sem educação e cultura, berrando igual a uns loucos ao som de fogos de artifício irritantes

Na festa de Ano Novo, terá churrasco, amigo secreto, brincadeiras e brinde com espumantes de pobre nojento na casa de um tio meu. Depois eles vão soltar foguetes (tem coisa mais idiota que soltar foguetes por isso? Eu só soltaria foguete se eu tivesse ganhado na loteria). Juro que eu queria passar o ano novo no templo da luxúria, junto com as deusas do pecado, as sacerdotisas do prazer, ou em algum lugar bem longe daqui, sozinho e completamente embriagado, pois acho que estou um pouco depressivo de ter voltado daquele paraíso e agora ter que me juntar com esse povo maldito que exala fracasso. 

Sei que é foda pensar assim, mas quando olho meus chefes, caras de sucesso, ou conhecidos bem sucedidos, médicos e concursados de alto escalão, e depois olho para meus parentes pobres fracassados e burros eu fico extremamente desapontado e com raiva. Pessoas que poderiam viver três vidas que jamais conseguiram atingir um estágio de inteligência mínima a ponto de se tornar atrativas para uma conversa de mais de 5 minutos. Não sei se fico com pena ou raiva deles ao ver como são conformistas com suas vidas de merda, sendo felizes apenas por tomar cerveja barata, pagar as contas, fazer filhos e ouvir músicas de merda. Esses dias um tio disse: o Pobre-diabo é rico, ganha R$3.000,00 por mês. Eu só dei um sorriso amarelo e saí de perto. Imagine se ele soubesse o meu salário real... 

Essas lindas garotas me chamaram para passar o ano novo com elas, mas terei que passar com meus familiares, irritado e com vontade de sumir de lá... 

Enfim, não quero mais pensar nessa merda de festa, vamos pensar nas nossas metas para 2018:

Pessoal

Quero fazer uma boa dieta para perder gordura da barriga, beber menos cerveja, pois o excesso pode fazer mal para minha saúde, e treinar mais para melhorar o físico. Quero trocar de carro também (talvez uma caminhonete). Quero ler mais e talvez fazer mais alguma especialização Quero conhecer novas damas também, pois não adianta só guardar dinheiro e não aproveitar as coisas boas que ele pode proporcionar, não é? Dessa forma, quero fazer muito sexo e comer bem, pois é isso que importa, sem comprometer o patrimônio, obviamente. 

Financeiro

Pretendo continuar no trabalho, pois o salário está ótimo para o meu padrão atual. Esse fim de ano decidi gastar bastante para colocar em prática o plano diabístico de vida idílica e tem sido ótimo, pois estou comendo e bebendo do bom e do melhor e não passando vontade. A partir de janeiro quero investir mais (renda fixa. Estou sem saco para acompanhar renda variável e quero segurança por enquanto. Criptomoedas eu estou pensando, só não quero estar quando a bolha estourar) e tentar reduzir meus gastos. Atingirem uma boa marca financeira em meus investimentos e talvez tenha um valor ainda mais expressivo caso venda o meu imóvel, que é a minha intenção. 

Reduto diabístico

Tivemos um ano turbulado, com a reconstrução do reduto diabístico e a perda de vários posts de sucesso em toda a Internet, que serão postados novamente em 2018. Mesmo assim, vencemos as dificuldades e estamos firmes e fortes, com milhares e milhares de visualizações, uma infinidade de comentários, discussões e e-mails. Enfim, pretendo manter as duas postagens semanais, fortalecer a Diabosfera fazendo uma integração entre os blogs parceiros e desenvolver novos temas betísticos para ajudar a comunidade beta. Aos que possuem blogs parceiros, deem suas ideias para fortalecermos os nosso laços, relacionando as nossas postagens etc. Também complementaremos os principais conceitos da Filosofia Diabística, que tem ajudado no desenvolvimento pessoal de milhares de betas.

O paraíso resumido em uma só foto. Se você não tem acesso a isso, você não é feliz. Então não tem nada que ficar festejando aí, seu excremento! 

Por fim, meus camaradas, vocês que estiveram comigo nessa caminhada diabística, que acompanharam a saga da minha vida de merda de um pobre-diabo escroto, beta B e mais feio que cu cagando, entre altos e baixos, desejo sucesso e paz (mesmo que isso não sirva para merda nenhuma, pois só serviria se alguém te desse dinheiro, palavras não matam a fome). Acredito que esse ano teve mais coisas boas que ruins e ano que vem as coisas melhorarão, pois a filosofia diabística têm nos salvado e nos mostrado que devemos nos preocupar apenas com nós mesmos. Nunca se esqueçam que só o dinheiro salva, então vamos atrás dele, amém irmãos??? 


Um abraço do Pobre-diabo e feliz Ano Novo!